Tipos de copos para cervejas especiais

Quer degustar suas cervejas preferidas e ter uma experiência completa?

A dica que trago é: tenha uma diversidade de copos. Afinal, eles fazem a diferença na hora da degustação de cerveja. No texto divulgado anteriormente, eu falei sobre essa importância de usar o copo correto na hora da degustação da cerveja.

No texto de hoje, vou falar sobre alguns tipos de copos, seu desenho e qual o estilo de cerveja ideal para degustar nele. Como existe uma infinidade de formato, falarei sobre os principais.

pils.jpg

Pilsner: Intimamente chamado por nós de “tulipa” é o copo ideal para as cervejas pilsen. Com o formato fino embaixo e largo na boca proporciona que o aroma dos lúpulos vá direto para o nariz. É confundida com o copo Lager, mas, o Pilsner tem a boca mais larga.

lager

Lager: É o mais indicado para tomar aquele chopinho. E muitos usam para tomar as pilsen também. É alto e tem forma cilíndrica. Esse formato ajuda na formação e manutenção da espuma e da temperatura.

copos-de-cerveja-1200x520

Weizen: Ideal para as cervejas de trigo alemã, as Weiss. O copo foi pensado para caber todo o líquido das garrafas de 500ml, inclusive as leveduras que ficam no fundo da garrafa, sobrando ainda um espaço para a formação da espuma, que vai ajudar a não deixar que a cerveja esquente tão rápido.

download.jpeg

Pint: Comum nos pubs ingleses e irlandeses, o nome refere-se a uma unidade de medida. Um Pint na Inglaterra equivale a 568 ml, já nos Estado Unidos, 473 ml. Comporta uma grande quantidade de cerveja, por isso, a base é estreita para diminuir a transferência do calor das mãos. Ele é ideal para cervejas de intensidade aromática moderada como: IPA, Stout, English e American Pale Ale.

canecaCaneca ou Mass: os canecões alemães têm um material mais robusto. Não é à toa que nos eventos alemães podem ser observados aqueles brindes feitos com vontade, batendo uma caneca na outra. São usados com frequência por choperias que oferecem maior quantidade de chopp e não tem um estilo específico, aqui o que vale é a quantidade. Algumas cabem até 1 litro.  Por isso, ficam melhor para cervejas que não têm problema tomar em temperatura ambiente.

tumbler.jpg

Tumbler: Ideal para tomar cervejas de trigo belga, as Witbier. Como essas cervejas não formam muito creme, não exigem que o copo tenha uma boca tão fechada. E são bem resistentes.

goblet

– Goblet: Ideal para as belgas, trapistas, que são encorpadas e complexas. Chamado também de Cálices, a borda é larga para que o creme da cerveja não se perca e mantenha o aroma concentrado. Sua haste comprida evita que a mão esquente a cerveja. Alguns ainda possuem uma técnica de entalhe no fundo, formando um ponto de nucleação de dióxido de carbono, que permite a formação constante de espuma.

tulipa

– Tulipa: Ideal para cervejas aromáticas e que possuem bastante creme como as Belgian e Brown Ale, Tripel e Bock. Sua borda larga é virada para fora para facilitar a saída dos aromas. Mas, confesso que sua haste curta me incomoda.

americano

– Americano: Para nós, mineiros, é COPO LAGOINHA. Provavelmente você tem um desse em casa. Ele é sem frescura. Ideal para American Lager. Como é pequeno, a cerveja não fica por muito tempo dentro dele, com isso ela não corre o risco que ficar quente.

caldereta.jpg

Caldereta: Também é mais fácil achar nas casas. Bem versátil devido seu formato, pode ser usado para tomar as lagers claras, Bitter até Porter e Stout. É bom tê-lo que é um coringa.

copopokal

Pokal: seu formato facilita a visualização da transparência do líquido e o pequeno estreitamento na borda retém os aromas. Considerado um copo coringa também, é usado para beber a maioria dos tipos de cerveja, em especial, as carbonatadas, escuras ou claras.

– Dublin: Seu corpo arredondado com bocal mais estreito concentra os aromas, e a curvatura na parte superior ajuda na evolução e estabilidade de espuma. Ideal para cervejas que possuem bastante creme como a Belgian Ale, Bière de Garde e Bock.

Gostou? Eu sou a maníaca do copo. Só não tenho mais porque não tenho mais espaço.

Agora, é só escolher seu estilo preferido, o copo ideal, um tira-gostinho e pronto. Pröst!

Post: Limpeza do copo influencia na degustação

Hofbrauhaus: Visita à fábrica de BH

Apesar de o bar/restaurante da Hofbrauhaus BH já ter aparecido por aqui nas dicas de Onde Beber Artesanal, hoje, darei como dica a visita à fábrica da HB.

20191109_110653

20191109_110641

É uma experiência única em BH já que, além de aprender todo o processo produtivo e toda tecnologia envolvida na preparação de algumas das melhores cervejas do mundo, que é exatamente igual à da matriz, em Munique, você ainda tem o prazer de experimentar pratos típicos alemães.

Tem uma visita por sábado. E os sábados são definidos pela cervejaria, que recebe o agendamento pelo seu no site.

20191109_110635

A visita começa com um dos sócios da casa, Henrique, contando um pouco da história e curiosidades da cerveja, que é produzida desde 1589, em Munique. Além disso, ele conta como foi o trâmite para trazer a marca para Belo Horizonte, sendo a única filial da América Latina.

20191109_111132

Enquanto ele conta, é servido alguns dos principais pratos da casa, super alemães: o Pretzel, que nem precisa falar que eu amo.

Que é um pão típico bávaro, inclusive vem de Muniquepara BH; e a Salsicha tipo Bratwurst  ou Vitela (não sei) servida com 3 mostardas típicas também. Tudo muito saboroso, fazendo você se sentir na HB original.comida alema

Depois do reforço no estômago, partimos para conhecer a produção. Na parte externa, a gente vê os tanques de fermentação que dão um charme à parte e os outros equipamentos que fazem parte da produção dos quatro estilos de cervejas disponíveis na casa: três fixos (lager, weizen e dunkel) e um sazonal, que muda a cada mês.

20191109_114310

A Lager é uma Premium Lager tradicional alemã com equilíbrio e refrescância; A Hefe Weizen é a cerveja de trigo, bem marcante, com o aroma e sabor frutados; a Dunkel, é uma lager escura com combinação de sabores tostados e tons de caramelo. Para mim, a melhor!; e a sazonal era a Pils com caráter maltado levemente adocicado em equilíbrio com o amargor dos lúpulos alemães, de toques florais e herbais. Final seco e refrescante.

20191109_111030

Os ingredientes para fazê-las são 100% importados e a água passa por um processo de beneficiamento para que se iguale à água utilizada na fábrica de Munique. Isso faz com que a cerveja produzida no Brasil seja idêntica a produzida na Alemanha. Os padrões de produção são bem rigorosos. Ou seja, você toma a mesmíssima cerveja que tomam em Munique, Berlim…

A casa é um BrewPub, já que a fábrica é ligada ao restaurante e as cervejas servidas são frescas, saindo diretamente dos tanques.

image-asset

Depois de algumas explicações e dúvidas sanadas, chegou a melhor parte: a degustação das cervejas da casa.

20191109_114815

Nem precisa de falar o quanto todas são maravilhosas. Depois de degustar a régua, você pode escolher a sua preferida, eu escolhi a Dunkel, para você mesmo retirá-la na biqueira.

20191109_121653  20191109_121733

A gente aprende a tirar cerveja do Gruber, um sistema austríaco de dosagem para servir as bebidas. Nele, o desperdício é zero, o que acontece muito nas cervejarias com chopeiras. Depois que a medida certa é servida, a máquina trava, sai a espuma na risca certa e não cai uma gota para fora do copo. Interessante, né?

20191109_120428

Depois disso, é só sentar, apreciar essa beleza de chope e bater aquele papo gostoso com a galera do tour.

Adorei essa experiência! Prosit!!

Hofbräuhaus Belo Horizonte
Av. do Contorno, 7613 – Lourdes
Belo Horizonte- MG
http://www.hofbraubh.com.br
Instagram: @hofbrauhausbh

Sobre estilos: Weiss (Trigo)

kit-graos-para-cerveja-artesanal-weiss-trigo-para-20l.jpg

Aqui, no Brasil, a conhecemos como cerveja de trigo, mas podem ser chamadas também de Weiss/Weizen ou Weissbier/Weizenbier. Pode usar qualquer um desses nomes pois, em alemão, weizen significa trigo e weiss branco.  São assim que elas são conhecidas na Alemanha, país onde ela é tradicionalíssima, mais precisamente na região da Bavaria. Que, aliás, tem como costume tomar cervejas de trigo no café da manhã.

índice

De acordo com as leis alemãs, para serem consideradas cervejas de trigo, a receita deve apresentar, no mínimo, 50% de malte de trigo e o restante de malte de cevada. Além do lúpulo e da levedura apenas.

A cor dela varia de amarelo claro a âmbar claro. A maioria delas são mais turvas e esbranquiçadas porque não são filtradas. Normalmente, elas têm a nomenclatura “hefe” na frente (hefe-weissbier), que são feitas para serem apreciadas com o fermento. Devido a esse fermento, o copo para tomá-la tem que ser diferenciado (como esse ao lado – grande com a parte de cima larga), de forma que, durante a degustação, dê para misturar o fermento que deposita no fundo do copo.

As cervejas de trigo tradicionais têm sabor frutado, lembrando banana, além do sabor e aroma que se assemelham ao cravo ou noz moscada. São mais adocicadas e muito pouco amarga (com o IBU de 8 a 15). Possuem um teor alcoólico mais leve, entre 5% a 6%. Por isso, muitos que estão começando no mundo das artesanais começam com ela. É fácil de tomar. E comigo não foi diferente. Foi o primeiro estilo artesanal que tomei.

As minhas preferidas são hefe-weissbier alemãs! Essas podem tomar de olho fechado.

Variações do estilo10514450743326.jpg

Witbier ou Wheat – Cervejas de trigo típicas da Bélgica. São ainda mais refrescantes que as alemãs, levam em sua composição cascas de laranja e especiarias como coentro, a tornando mais cítrica. “Wit” em flamenco quer dizer branco, numa analogia semelhante à usada na Weissbier. São mais amareladas.

American Wheat Beer – Cervejas de trigo americana. Não lembra a alemã. Tem um sabor maltado do grão de trigo e lúpulo americano ou nobre, normalmente com notas cítricas e florais.

dunkel-bt-drf

Dunkel Weizen – Cervejas de trigo feita com maltes torrados, por isso são escuras. Além das notas de banana e cravo, tem um maltado mais intenso lembrando achocolatado.

Weizenbock – Uma Dunkel Weizen mais forte, mais alcoólica e potente, com aromas intensos de frutas escuras, como ameixa, e frutas passas. É bem adocicada e encorpada.71xEYU0ojdL._SL1500_

Berliner Weisse – Cerveja de trigo ácida, seca e leve, com bastante gás carbônico. São mais clarinhas.

Deu água na boca, né!?

#TBT: Barbara Cabesas Bier – Palacio Salvo (Montevidéu)

20180409_002849-e1557367749342.jpg

A cerveja do #tbt de hoje é uma cerveja de trigo bem boa!

É a Barbara uma Weiss da Cervejaria Cabesas Bier, uma cervejaria do Uruguai, sobre a qual eu já falei por aqui.

A cor dela é bem turva devido a sua levedura especial e por ela não ser filtrada. O aroma é bem tradicional, conforme manda o estilo, de cravo e banana. Assim como o aroma, seu sabor é tradicional de uma Weiss:  doce e frutado. Muito refrescante de tomar, nada enjoativa. Amargor quase não tem, seu IBU é 15 e o teor alcoólico é 4,9%.


O ponto turístico é um dos cartões postais de Montevideo: o Palácio Salvo, um edifício inaugurado no ano de 1928.

PlazaIndependencia

O prédio tem 95 metros e 27 pisos, foi a torre mais alta da América do Sul por vários anos.

A sua localização é bem privilegiada, já que fica em frente à principal praça da capital, a Plaza da Independencia, e na esquina da principal avenida, a 18 de Julio.

pontos

Fizemos uma visita guiada, que vale muito a pena. Pois o guia conta muitos momentos marcantes e lendas desse prédio.

Uma coisa que achei interessante é que todos os detalhes da construção têm um significado, já que sua estrutura e decoração se basearam nos princípios da alquimia e da maçonaria.

Hoje, o prédio é ocupado por empresas e apartamentos residenciais. Além disso, tem uma sala onde acontecem jogos e campeonatos de sinuca.

Visitamos vários andares, cada um com um pouco de história para contar, até chegar no terraço.

20180405_154115

Aí sim. Lá de cima, você tem uma linda vista da Plaza Independecia, do Rio Prata e de boa parte de Montevidéo. Como diz o guia, logo ali atraz daquela linha horizontal, está a Argentina. 🙂

20180405_154117

20180405_153949

Para quem gosta de história e vista bonita, vale muito a pena esse passeio.

#ficaadica