Cervejarias criadas por mulheres

As mulheres estão cada vez mais presentes no universo das cervejas artesanais.

Temos marcado presença em diversas áreas do meio cervejeiro seja apenas como consumidoras, apreciadoras, seja trabalhando diretamente com cerveja em fábricas antes, durante e depois da produção, no marketing, no comercial. Enfim, as mulheres estão ocupando um espaço que pode ser delas também.

Quando o assunto é consumo, de acordo com uma pesquisa feita pelo MindMiners, 57% das mulheres brasileiras consomem bebidas alcoólicas, sendo que 72% consomem cerveja. 

Divulguei recentemente, aqui, essa outra pesquisa feita em 2021. Mulheres contribuem com o aumento do consumo de cerveja

Quando o assunto é o mercado profissional, sabemos que ainda temos muito para caminhar. Segundo o 1º Censo das Cervejarias Independentes Brasileiras (2019), do DataSebrae, cerca de 89% das cervejarias nacionais são comandadas por homens, contra 11% comandadas por mulheres.

Mesmo com uma participação discreta nesse ramo de atuação, algumas mulheres têm tentado mudar essa realidade. Aqui, eu listo oito cervejarias fundadas por mulheres e que, com certeza, vão inspirar outras a fazer o mesmo.

Atenção! Além dessas oito, em seguida, mencionei mais um monte de cervejarias criadas por mulheres. Então, siga até o final para não perder nenhuma!

1 – Cervejaria Lokira

Criada em 2019, em Belo Horizonte, por Ana Flávia Gomes Lopes e Flaviana Guimarães. A cervejaria tem como um dos objetivos promover a democratização do mercado e do universo cervejeiro no geral.

2 – Cerveja Benedita

Criada por três mulheres periféricas de São Paulo, Melissa Miranda, Eneide e Márcia Martins, a Cerveja Benedita tem como slogan “Feita por elas para Todos”.

3 – Cervejaria Dádiva

A Cervejaria Dádiva foi criada em 2014, em Várzea Paulista,  por Luiza Lugli Tolosa. A cervejaria produz inúmeras cervejas especiais. De acordo com a Dádiva, eles criam com ingredientes novos cervejas inovadoras.

4 – Maria Bravura Cervejas Especiais

Criada em 2016, em Paraguaçu Paulista, pela psicóloga Maria. A cervejaria apresenta receitas diferentes e caseiras de cervejas artesanais.

5 – Cerveja Macuco

A Macuco é uma cervejaria independente criada por Mica e Nanda, em 2016, na cidade de Porto Alegre. A cervejaria preza pelo fortalecimento da identidade brasileira, principalmente nas receitas das cervejas que levam ingredientes selecionados como frutas nacionais. 

6 – Japas Cervejaria

Um trio de mulheres nipônicas, de São Paulo, Maíra Kimura, Yumi Shimada e Fernanda Ueno, são responsáveis pela cervejaria que resgata as origens japonesas e busca representar a união entre o Brasil e o Japão através de cervejas com sabores e aromas diferentes.

7 – Cervejaria Teresense

Inaugurada em 2019, no Espirito Santo, a Cervejaria Teresense foi criada pela engenheira e mestre-cervejeira Luana Hoffmann. A cervejaria traz receitas próprias e um jeito especial de preparar cerveja artesanal: aliando a paixão, matéria prima de qualidade e tecnologia.

8 – Femme Cerveja Artesanal

Diretamente da Paraíba, a Femme Cerveja Artesanal é uma cervejaria criada em 2017 por Ranny de Sousa. Que também é quem elabora todas as receitas das cervejas.

Fonte: o Guia da Cozinha

Muito mais cervejarias criadas por mulheres!

Depois que publiquei o post “8 Cervejarias criadas por mulheres” no Instagram, diversas pessoas começaram a indicar cervejarias criadas por mulheres que eu não havia citado.

Com isso, peguei todas as cervejarias mencionadas, conferi e inclui nessa lista.

No total, consegui reunir dezenas de cervejarias criadas por mulheres, além dessas oito. Li sobre todas e vou te contar, tem cada história!

Sei que tem muito mais, mas, fiquei feliz demais pela repercussão do post e pela ajuda de todos.

Para organizar a lista, separei por estado e indiquei a cidade e o @ de cada cervejaria. Assim, você vai poder procurar saber sobre cada uma, além disso, vai poder procurar por elas para consumir seja online ou quando for em suas respectivas cidades.

Caso saiba de alguma que não esteja nessa lista, me manda por direct no www.instagram.com/cervejeirauai para que eu possa atualizá-la.

Aí vão as outras 50 cervejarias criadas por mulheres:

Para ver o post parte dois, clique aqui.

Minas Gerais (16)
@cervejalibertaria  (Viçosa)
@castrocervejaria (Uberlândia)
@trioracervejaria (Uberlândia)
@pandega_beer  (São Domingos do Prata)
@cervejariamagia (Belo Horizonte)
@cervejariaaldeiadamata (Serra da Canastra)
@cervejariarhara (Belo Horizonte)
@cervejariaonix (Capim Branco)
@cervejariaflorestaelfica (Catas Altas)
@cerveja_serafina (Belo Horizonte)
@cervejariaempirica (Montes Claros)
@ovelhanegracervejaria (São João del-Rei)
@cervejariapelizer (Araguari)
@hop.makers (Divinópolis)
@cervejarialiberteoficial (Paracatu)
@alavrasnovense (Lavras Novas)

São Paulo (3)
@blondine.oficial (Itupeva)
@saobernardocervejaria (São Bernardo)
@bemtebrew (Ribeirão Preto)

Rio de Janeiro (2)
@adcraftbeer (Nova Friburgo)
@cervejadamulherguerreira (Rio de Janeiro)

Espirito Santo (1)
@cervejariagrecco (Venda Nova do Imigrante)

Rio Grande do Sul (10)
@daluzcervejaria (Porto Alegre)
@cervejasapatista (Porto Alegre)  
@staunenbier (Porto Alegre)
@hildegard_cervejas  (Porto Alegre)
@cervejainsurreicao (São Francisco de Paula)
@zingarabirra (Porto Alegre)
@muttbrewery (Porto Alegre)
@sinapses.conexoes (Porto Alegre)
@mataleaooriginal (Santa Maria)
@oripacha (Morro Reuter)

Santa Catarina (4)
@cervejacevademina (Florianópolis) 
@ballenabrewery (Florianópolis) 
@maltescraftbeer (Florianópolis)
@penhascocervejaria (Penha) 

Paraná (1)
@lavelkra (Matinhos)

Goiás (2)
@cervejariasaobento (Alto Paraíso)
@cervejacolombina (Aparecida de Goiânia)

Bahia (3)
@proacervejaria (Lauro de Freitas)
@cervejarosaroja (Salvador)
@brabahcervejaria (Salvador)

Acre (1)
@seringalbier (Rio Branco)

Maranhão (2)
@cervejariaquadra66 (São Luis)
@cervejariadona (São Luís)

Alagoas (1)
@pareacervejaria (Maceió)

Paraíba (1)
@birrificio55 (João Pessoa)

Piauí (1)
@cervejariaininga (Teresina)

Pernambuco (2)
@cervejariarisoflora (Recife)
@friedahaus (Recife)

Em 2022, para atualizar esses dados e manter as pessoas informadas, publiquei um novo post: “50 cervejarias criadas por mulheres”. Veja a repercussão dele clicando aqui.

Hoje, já estamos em 58 cervejarias. Com certeza esse número é maior. Me mande e ajude a divulgar!

Mulheres contribuem com o aumento do consumo de cerveja

Não é novidade que as mulheres estão cada vez mais inseridas no mundo da cerveja. Temos visto a presença delas em todos os espaços cervejeiros: nas fábricas durante a produção, como especialistas formadas e qualificadas falando sobre o assunto, atrás dos balcões vendendo e nas mesas dos bares, apreciando o líquido sagrado. Essa tendência de aumento das mulheres no meio cervejeiros foi comprovado no recente relatório divulgado pelo Consumer Insights, feito pela multinacional Kantar.

@cervejeirauai

De acordo com a pesquisa, o terceiro trimestre de 2021 registrou o maior número de consumidores da cerveja desde o terceiro trimestre de 2019. Houve um aumento de 27% no consumo. E, segundo esses dados, o perfil que mais contribuiu para essa alta foi o composto por mulheres de 40 a 49 anos, pertencentes às classes A e B. Por outro lado, mesmo que tenha tido um aumento do público que consome cerveja, caiu a frequência com que as pessoas, no geral, bebem. A frequência caiu em 42% na comparação entre o terceiro trimestre de 2019 e 2021. Os homens que fazem parte da mesma faixa etária e classe social, citada anteriormente, foram os responsáveis pela queda na frequência do consumo.

O estudo também apontou que a alta do público que consome a bebida é consequência direta da flexibilização das regras de distanciamento da Covid-19 e da reabertura gradual do comércio. E que a consumação ocorre, principalmente, em dois momentos: locais públicos e casas de amigos e familiares.

Em locais públicos, a presença das mulheres, em geral, cresceu 6,7pp nos últimos 12 meses. Em setembro de 2020, essa participação era de 14,5%, 12 meses depois, foi para 21,2%. Nas casas de amigos e familiares, por sua vez, o consumo cresceu 4pp, atingindo 18,3%, segundo Hudson Romano, gerente sênior de consumo fora do lar da Kantar.

Ainda é importante ressaltar que a preferência por cerveja cresceu, principalmente, em momentos de happy hours e aos fins de semana. Neste contexto, o aumento foi de 10pp, chegando a 45% das preferências.

Lembrando que, não significa que as mulheres estão bebendo mais que os homens, mesmo porque fazer uma disputa dessa não é nada saudável. A pesquisa aponta apenas que mais mulheres passaram a consumir cerveja. E digo mais, esses números podem ter aumentado pelo fato de mais mulheres passarem a confirmar que tomam cerveja. Falo isso porque, há alguns anos, devido ao preconceito, muitas mulheres não bebiam ou não falavam que bebiam cerveja.

Como eu sempre digo, quanto mais mulheres estiverem no mercado e nas mesas de bares, falando sobre o assunto, bebendo cerveja com moderação e mostrando que mulher pode e entende de cerveja, outras se sentirão à vontade para entrar nesse mundo caso ainda não esteja ou, se já estiver, não ter receio de falar que é adepta à umas cervejinhas!

Alguém ainda tem dúvida que mulher combina com cerveja.

Mitos e Verdades sobre a cerveja artesanal

87864033786
Ninkasi – Deusa da cerveja

A gente sempre escuta muitas informações sobre a cerveja artesanal e fica na dúvida se é verdade ou se é mito.

Vamos desvendá-los?

– A cerveja tem uma Deusa da mitologia: Verdade

Ninkasi é o nome da Deusa da Cerveja da Mitologia Suméria. Diz-se que ela fornece ao mundo o segredo para fazer cerveja. Na cultura sumeriana, ela também é conhecida por seu poder para satisfazer o desejo humano e saciar o coração. Além disso, ela é a Deusa do álcool e responsável pela “água espumante”. Ninkasi produzia a própria cerveja e a consumia diariamente. Esta história é de 10.000 a.C.

 – A validade da cerveja artesanal normalmente é maior que a indicada no rótulo: Verdade

As obrigações sanitárias no Brasil não permitem uma flexibilização em relação às validades nas cervejas artesanais. Depende muito do tipo de cerveja, da concentração de malte e da graduação alcoólica. Normalmente uma cerveja artesanal dura mais do que sua validade e mesmo assim a deterioração é gradativa e não de um dia para o outro. Porém, algumas ficam melhores depois da validade, outras, piores. Tudo depende do estilo, da forma como foi produzida e como foi armazenada.

– Não existe copo específico para tomar cerveja: Mito

Para que os diferentes sabores e aromas da cerveja sejam ressaltados, cada estilo de cerveja pede um tipo de copo adequado. A Pilsen, por exemplo, pode ser apreciada em uma tulipa, por ter um formato fino em sua base e mais largo na boca, mantém a espuma constante e faz com que o aroma do lúpulo seja melhor sentido. Já a Weissbier, cerveja de trigo, será melhor apreciada em um copo Weizen. Esse tipo de copo é alto, possibilitando colocar todo o líquido da garrafa, incluindo o resto de levedura que fica depositada no fundo. Veja o post sobre “Tipos de copos”.

– A espuma tem uma função específica na cerveja: Verdade

A espuma protege a bebida da oxidação, ou seja, impede que ela entre em contato direto com o oxigênio e oxide. Além disso, ela mantém o sabor, o amargor que está presente na cerveja e mantém a temperatura da bebida no copo. O ideal são dois dedos de espuma. Portanto, sem essa de pedir ou servir cerveja sem colarinho! Veja este post sobre “A espuma e sua importância para a cerveja”.

– Cerveja artesanal é sempre amarga: Mito

Existem centenas de estilos de cerveja artesanal, alguns com o amargor quase que imperceptível outros com o amargor muito alto. Algumas são bem adocicadas, outras bem equilibradas que não sente nem o amargor e nem o dulçor em destaque. Então, não é verdade que todas as cervejas artesanais são amargas. Veja esta página que fiz dedicada somente aos estilos.  

–  O Lúpulo (ingrediente natural que dá o amargor à cerveja) é um poderoso conservante natural: Verdade

A função do lúpulo vai muito além de conferir o amargor e aroma característicos de uma cerveja. Além dessas características dele que já sabemos, ele também tem a função de conservante natural da bebida, ajudando a prolongar a vida de prateleira da cerveja. Além disso, ele pode ser utilizado na culinária e na cosmetologia para clarear a pele e prevenir manchas e inflamações do tecido dérmico. Veja este post sobre “O lúpulo na cerveja”.

– Cerveja engorda: Mito

A cerveja tem menos calorias do que a maioria das bebidas alcoólicas. Por exemplo, a cachaça, a vodca e o vinho são bem mais calóricos que a cerveja, pois, a caloria está presente no álcool. Portanto, quanto menor o teor alcoólico, menos caloria a bebida vai ter. O que engorda é beber de forma exagerada e optar por petiscos mais gordurosos. Se quer manter a dieta, beba com moderação e opte pelas cervejas menos alcoólicas.

– Existe diferença entre armazenar cerveja em lata ou garrafa translúcida, verde ou marrom: Verdade

O recipiente em que a bebida é guardada e a cor dele interfere no sabor, no aroma e na durabilidade de uma cerveja. Por exemplo, quanto mais clara for uma garrafa (garrafa transparente), maior é a exposição do líquido aos raios solares. Com isso, maior será o impacto negativo nos aromas e sabores da cerveja e menor será sua durabilidade. Na garrafa marrom, esse impacto é menor. Porém, o recipiente ideal para armazenar a cerveja é a lata. Nela não entra raio solar nenhum, isso faz com que o líquido se mantenha intacto. Por isso, algumas vezes, é possível sentir diferença em uma mesma cerveja na lata ou na garrafa. Veja o post sobre “O recipiente pode influenciar no aroma e sabor da cerveja”.

– Cerveja e saúde não combinam: Mito

Os ingredientes que compõe a cerveja (água, malte e lúpulo) são todos naturais e cada um traz um benefício para saúde. Se o consumo da bebida for moderado e responsável, é possível obter os benefícios do consumo da cerveja. Um exemplo são os polifenóis, compostos orgânicos presentes na cerveja, que desempenham importante função antioxidante no organismo. Veja esse post que falo sobre “Os benefícios da cerveja para a saúde”.

– Ingredientes naturais da cerveja têm potencialidades que merecem ser exploradas: Verdade

Os ingredientes naturais da cerveja fazem bem à saúde dentro e fora da garrafa. A cevada, por exemplo, é considerada pelos especialistas como um ‘superalimento’, ou seja, um alimento bastante completo, nutricionalmente muito rico e que pode ser ‘coringa’ em qualquer dieta balanceada. O grão pode ser consumido em substituição ao arroz, à farinha de trigo e na preparação de saladas, risotos e até chá.

– Há diferença nos ingredientes do chope e da cerveja de garrafa: Mito

Os insumos utilizados na fabricação do chope e da cerveja são os mesmos. Portanto, não há diferença. Por exemplo, o chope Pilsen de uma marca X, que está dentro do barril, tem os mesmos ingredientes da cerveja Pilsen dessa mesma marca que está na garrafa. O que difere é que temos o costume de chamar de chope o líquido colocado dentro do barril que não passou pelo processo de pasteurização. Por ele não ser pasteurizado, acaba ficando mais fresco, com sabores e aromas mais presentes e com um prazo de validade menor. Além disso, a forma como o chope é retirado das torneiras fazem com que ele receba oxigênio tornando-o mais cremoso. Leia o post Chope x Cerveja

– A cerveja deve ser sempre servida muito gelada: Mito

Cervejas muito geladas tendem a diminuir a percepção do sabor e da complexidade das cervejas. Isso significa que, ao beber a cerveja trincando, como costumamos falar, poderá perder parte da experiência que determinadas cervejas podem proporcionar. Cada estilo de cerveja tem uma temperatura ideal para ser servida.

Em caso de dúvida há uma regra básica que pode seguir: quanto mais escura, menos fria. Não é uma regra perfeita e para a qual existem muitas exceções, mas há boas possibilidades de acertar se a seguir. As cervejas mais escuras muitas vezes são mais complexas e a temperatura a menos fria realça esses sabores. As mais claras, especialmente as de menor grau alcoólico, tendem a ser menos complexas e mais refrescantes, por isso poderão ser tomadas em temperaturas mais baixas. Mas, como já disse, em se tratando de cerveja, não é uma regra. Veja este post sobre “Como armazenar a cerveja artesanal“.

Falando em cervejas escuras, elas têm bastante mitos e verdades. Vai aí um bloco inteiro sobre elas:

cerveja escura

– Toda cerveja escura é muito alcoólica: Mito 

O responsável pela cor da cerveja é o malte. No processo de malteação, os cereais são germinados e o procedimento é interrompido no momento ideal por diferentes maneiras de secagem, como tosta, torrefação e defumagem. De acordo com esse processo as cervejas ganham cores e sabores diferentes. Portanto, a cor da cerveja não tem ligação com seu teor alcoólico. Um exemplo é a Dry Stout, que é uma cerveja bem escura, porém com o teor alcoólico entre 4% e 5%.  Veja este post sobre “Como é colocado o álcool na cerveja“.

– Cerveja escura é sempre doce: Mito

A coloração escura de uma cerveja definitivamente não é um indicador de dulçor. A Guinness, cerveja escura mais famosa do mundo, não é nada doce. Existem, sim, cervejas escuras doces, mas não é uma regra. Mas, sim, é a maioria.

Cervejas escuras são muito encorpadas: Mito

Mais uma vez, a cor da cerveja nada tem a ver com corpo. Existem cervejas claras encorpadas, escuras leves, claras leves e escuras encorpadas.

O corpo não é definido pela cor do malte, mas sim pela quantidade. A grosso modo, quanto mais malte for utilizado em sua receita, mais a cerveja será encorpada. Veja aqui o post “O malte e sua múltipla função“.

– Cervejas escuras não podem ser refrescantes: Mito

Apesar da maioria das cervejas escuras serem menos refrescantes, existem sim relevantes exceções. Exemplo são as Schwazbier e as American Brown Ale são bem refrescantes!

Acho que com esses mitos desvendados e as verdades confirmadas deu para aprender um pouco mais sobre a cerveja artesanal, né?!

Aproveite esses links que coloquei em cada tópica para aprender mais ainda.

Pröst!!

Cerveja Blumenau: Do tour ao bar da fábrica

O Onde Beber Artesanal vai para Blumenau, Santa Catarina.

Se você está indo para Blumenau, agarra essa dica!

Não deixe de conhecer a Cervejaria Blumenau. Ela nos oferece uma experiência completa desde um tour guiado na fábrica à degustação de suas cervejas em um bar próprio.20181012_123739Ela é uma cervejaria nova, sua fábrica foi inaugurada em 20 de setembro de 2016. Hoje, conta com 14 rótulos de cerveja e um licor. É muito estilo diferente.linha-cerveja-blumenauFalando nisso, foi a Cervejaria Blumenau quem fez pela primeira vez o estilo Catharina Sour, estilo que foi catalogada pela Beer Judge Certification Programa (BJPC), respeitada e mais importante instituição internacional de juízes da bebida. Na prática, o Brasil agora tem, oficialmente, o seu primeiro estilo próprio de cerveja, que pode ser julgado em concursos do mundo inteiro.

A Cervejaria Blumenau traz em seu nome o amor pela cidade. Tanto que seu slogan é “Uma cidade apaixonada por cerveja só poderia dar nome a uma cerveja apaixonada por uma cidade.”. E seus rótulos, todos fazem menção a algo da cidade.

Voltando para a cervejaria, nós chegamos bem cedinho para poder fazer a visita na fábrica. Enquanto esperávamos o responsável por nos apresentar a fábrica, degustamos todos, eu disse, todos os rótulos. Fiquei até com medo de já começar a visita alterada…rs. Mas deu tudo certo. Todos atendentes são supersimpáticos.

20181012_091009

Durante a visita, percorremos toda fábrica. O responsável começou falando sobre a história da cervejaria. Em seguida, nos explicou todos os processos de produção das cervejas, desde a seleção dos ingredientes ao envase. A visita durou cerca de 30 minutos.

20181012_092226

Depois da visita, fomos para o bar da fábrica que fica anexado à fábrica.

Bar da Fábrica

20181012_122907

O local: o bar tem uma parte de parede de vidro que tem vista para a fábrica. Tem mesas nesse ambiente ou do lado de fora.

blumenau

Além de muita cerveja e comida boa, por lá, você encontra uma loja da marca. Com cervejas para levar e souvenir como: garrafas, camisas, bonés e outros.


Para beber: O bar serve todos os rótulos da cervejaria. Você fica até perdido, pois são 14 torneiras com todos os estilos. Para tentar te ajuda, o cardápio fala sobre os rótulos e sua descrição sensorial, dá dicas de harmonização para cada cerveja, a temperatura correta de cada e o tipo de copo em que ela deve ser servida.

E não é que eles respeitam cada copo e estilo? As cervejas que pedimos, vieram em seus respectivos copos. Veja aí o que tomamos. Todas muito gotosas!


Para comer: O cardápio tem com comidas típicas alemãs. Só coisa gostosa. Se você gosta muito dessa comida, tem uma opção de pagar um valor fixo e poder comer à vontade, durante o almoço, em um self-service. Por lá tem salsichões, joelho de porco, chucrute (repolho) etc.

20181012_114147.jpg

A experiência é completa. Passamos a manhã toda lá. Ahh, recomendo chegar cedinho, já que por volta das 11h já está bem lotado.

Adorei tudo por lá! Não deixe de colocar a cervejaria em seu roteiro!

20181012_092158

Cervejaria Blumenau
Rua Arnô Deling, 388 – Itoupavazinha
Blumenau /SC
http://www.cervejariablumenau.com.br
@bardacervejablumenau