Cervejarias criadas por mulheres

As mulheres estão cada vez mais presentes no universo das cervejas artesanais.

Temos marcado presença tanto como apreciadoras quanto à frente da produção, divulgação e em todas as áreas do mercado cervejeiro.

Quando o assunto é consumo, de acordo com uma pesquisa feita pelo MindMiners, 57% das mulheres brasileiras consomem bebidas alcoólicas, sendo que 72% consomem cerveja. 

Quando o assunto é o mercado profissional, sabemos que ainda temos muito para caminhar. Segundo o 1º Censo das Cervejarias Independentes Brasileiras (2019), do DataSebrae, cerca de 89% das cervejarias nacionais são comandadas por homens, contra 11% comandadas por mulheres.

Mesmo com uma participação discreta nesse ramo de atuação, algumas mulheres têm tentado mudar essa realidade. Aqui, eu listo oito cervejarias fundadas por mulheres e que, com certeza, vão inspirar outras a fazer o mesmo.

Atenção! Além dessas oito, a seguir, mencionei mais um monte de cervejarias criadas por mulheres. Então, siga até o final para não perder nenhuma!

1 – Cervejaria Lokira

Criada em 2019, em Belo Horizonte, por Ana Flávia Gomes Lopes e Flaviana Guimarães. A cervejaria tem como um dos objetivos promover a democratização do mercado e do universo cervejeiro no geral.

2 – Cerveja Benedita

Criada por três mulheres periféricas de São Paulo, Melissa Miranda, Eneide e Márcia Martins, a Cerveja Benedita tem como slogan “Feita por elas para Todos”.

3 – Cervejaria Dádiva

A Cervejaria Dádiva foi criada em 2014, em Várzea Paulista,  por Luiza Lugli Tolosa. A cervejaria produz inúmeras cervejas especiais. De acordo com a Dádiva, eles criam com ingredientes novos cervejas inovadoras.

4 – Maria Bravura Cervejas Especiais

Criada em 2016, em Paraguaçu Paulista, pela psicóloga Maria. A cervejaria apresenta receitas diferentes e caseiras de cervejas artesanais.

5 – Cerveja Macuco

A Macuco é uma cervejaria independente criada por Mica e Nanda, em 2016, na cidade de Porto Alegre. A cervejaria preza pelo fortalecimento da identidade brasileira, principalmente nas receitas das cervejas que levam ingredientes selecionados como frutas nacionais. 

6 – Japas Cervejaria

Um trio de mulheres nipônicas, Maíra Kimura, Yumi Shimada e Fernanda Ueno, são responsáveis pela cervejaria que resgata as origens japonesas e busca representar a união entre o Brasil e o Japão através de cervejas com sabores e aromas diferentes.

7 – Cervejaria Teresense

Inaugurada em 2019, no Espirito Santo, a Cervejaria Teresense foi criada pela engenheira e mestre-cervejeira Luana Hoffmann. A cervejaria traz receitas próprias e um jeito especial de preparar cerveja artesanal: aliando a paixão, matéria prima de qualidade e tecnologia.

8 – Femme Cerveja Artesanal

Diretamente da Paraíba, a Femme Cerveja Artesanal é uma cervejaria criada em 2017 por Ranny de Sousa. Que também é quem elabora todas as receitas das cervejas.

Fonte: o Guia da Cozinha

Muito mais cervejarias criadas por mulheres!

Depois que fiz esse texto e publiquei o post “8 Cervejarias criadas por mulheres” no Instagram pedindo que indicassem mais cervejarias, recebi várias indicações de cervejarias criadas por mulheres que eu não havia citado.

Com isso, resolvi revisar esse texto e incluir todas as cervejarias mencionadas.

No total, consegui reunir dezenas de cervejarias criadas por mulheres, além dessas oito. Li sobre todas e vou te contar, tem cada história!

Sei que tem muito mais, mas, fiquei feliz demais pela repercussão do post e pela ajuda de todos.

Para organizar a lista, separei por estado e indiquei a cidade e o @ de cada cervejaria. Assim, você vai poder procurar saber sobre cada uma, além disso, vai poder procurar por elas para consumir seja online ou quando for em suas respectivas cidades.

Caso saiba de alguma que não esteja nessa lista, me manda por direct no www.instagram.com/cervejeirauai para que eu possa atualizá-la.

Aí vão as outras 43 cervejarias criadas por mulheres:

Para ver o post parte dois, clique aqui.

Minas Gerais
@cervejalibertaria  (Viçosa)
@castrocervejaria (Uberlândia)
@trioracervejaria (Uberlândia)
@pandega_beer  (São Domingos do Prata)
@cervejariamagia (Belo Horizonte)
@cervejariaaldeiadamata (Serra da Canastra)
@cervejariarhara (Belo Horizonte)
@cervejariaonix (Capim Branco)
@cervejariaflorestaelfica (Catas Altas)
@cerveja_serafina (Belo Horizonte)
@cervejariaempirica (Montes Claros)
@ovelhanegracervejaria (São João del-Rei)
@cervejariapelizer (Araguari)
@hop.makers (Divinópolis)
@cervejarialiberteoficial (Paracatu)
@alavrasnovense (Lavras Novas)

São Paulo
@blondine.oficial (Itupeva)
@saobernardocervejaria (São Bernardo)

Rio de Janeiro
@adcraftbeer (Nova Friburgo)
@cervejadamulherguerreira (Rio de Janeiro)

Espirito Santo
@cervejariagrecco (Venda Nova do Imigrante)

Rio Grande do Sul
@daluzcervejaria (Porto Alegre)
@cervejasapatista (Porto Alegre)  
@staunenbier (Porto Alegre)
@hildegard_cervejas  (Porto Alegre)
@cervejainsurreicao (São Francisco de Paula)
@zingarabirra (Porto Alegre)
@muttbrewery (Porto Alegre)
@sinapses.conexoes (Porto Alegre)
@mataleaooriginal (Santa Maria)

Santa Catarina
@cervejacevademina (Florianópolis) 
@ballenabrewery (Florianópolis) 
@maltescraftbeer (Florianópolis)
@penhascocervejaria (Penha) 

Paraná
@lavelkra (Matinhos)

Goiás
@cervejariasaobento (Alto Paraíso)

Bahia
@proacervejaria (Lauro de Freitas)
@cervejarosaroja (Salvador)
@brabahcervejaria (Salvador)

Acre
@seringalbier (Rio Branco)

Maranhão
@cervejariaquadra66 (São Luis)

Alagoas
@pareacervejaria (Maceió)

Paraíba
@birrificio55 (João Pessoa)

Dicas de cervejas para beber no outono

la-vem-o-outono

O dia 20 de março marcou a chegada do Outono aqui no Brasil. Uma estação de transição entre o verão e o inverno, considerada por muitos como um tempo de mudança. Nessa estação, as noites são gradativamente mais longas que os dias à medida que a estação avança, há uma redução gradativa das temperaturas e a diminuição da umidade do ar.

Pensando nessa alteração climática, convidei nossa querida sommelière, Jaque Oliveira, para falar um pouco sobre os estilos de cervejas que combinam com nosso outono.

Fala aí, Jaque:

Voce sabia - OutonoCostumamos relacionar a cerveja com os dias de muito sol e calor. Mas, o friozinho do outono também combina, e muito, com uma boa cerveja artesanal. Basta saber escolher para apreciar sua bebida favorita também nos dias de temperatura mais baixa.

Quanto aos estilos ideias, penso que é relativo. Tem gente que toma RIS no calor e não se importa porque é um estilo de cerveja que a pessoa gosta muito. Eu tomo IPA e não me importo se é verão ou inverno, pois é meu estilo preferido.

stoutMas tenho minha sugestão para o outono: A Stout. Dentro deste estilo é possível encontrar desde cervejas Irish Stout, até cervejas muito alcoólicas, amargas e licorosas.  São várias opções para a pessoa eleger a sua preferida.

As Stouts são cervejas de alta fermentação (tipo ALE), produzida com bastante malte torrado (ou cevada tostada), de sabor tostado, além de uma cor muito escura, que é a característica mais marcante desse estilo.

Indico ela porque, no outono, eu acredito que as cervejas devem ser de graduação alcoólica intermediária e maltes tostados. A Stout cabe muito bem dentro do clima ameno do Outono. E, sensorialmente falando, uma cerveja mais “quente” trará uma experiência mais agradável ao nosso copo.

Quanto às marcas de Stout, não podemos deixar de falar da Guinness. Sem sombra de dúvidas a cerveja mais clássica e a mais consumida do mundo do estilo e que acredito ser mais palatável para o público em geral. Tem a Lohn Bier Carvoeira também, que é uma Imperial Stout densa, complexa com notas amadeiradas e aroma de baunilha.

Porém, Minas Gerais tem cervejas maravilhosas neste estilo e a sua mão como:

  • Falke Villa Rica;
  • Albanos Irish Dry Stout;
  • Uaimií Chico Rei que ganhou prêmio no Concurso do Festival Brasileiro da Cerveja.

E para finalizar uma importada que vale a pena experimentar: Young’s Double Chocolate Stout!

guinness lohn falkie  irish dry stout2 uaimii2 chocolate

Em relação à harmonização, penso que não devemos amarrar como regra obrigatória as harmonizações.  Sugiro que a pessoa faça experiências sensoriais para descobrir suas preferências.

Mas, aí vão minhas dicas de harmonização com Stout.
Sobremesas com chocolate : brownies, um petit gateau ou torta de chocolate;
Sobremesas com frutas: como cheesecake com calda de frutas vermelhas;
Queijos como o gorgonzola, o gouda maturado ou o parmesão.

Aventure-se nesse estilo!

No Instagram: https://www.instagram.com/p/BvecF4mluFe/

Sobre a Jaque:

Jaqueline de Oliveira Silva começou nessa aventura cervejeira, em 2011, ao reencontrar o amigo Marco Falcone (dono da Falke Bier), em 2011, quando foi apresentada ao mundo da cerveja especial. Segundo ela, foi realmente amor à primeira vista. A partir de 2013, passou a trabalhar somente com o mercado de cerveja especial, atuando em redes sociais, eventos, assessorias e na Academia Sommelier de Cerveja (A.S.C).

Hoje, aos 54 anos, é sócia e coordenadora administrativa da A.S.C que, há 8 anos, forma duas turmas por ano de sommelier, estando na 15º turma. Além disso, trabalha com eventos e assessorias ligados ao mercado de cerveja.

E o currículo da Jaque não para por aí não, respirem fundo que tem mais!

– Pós-Graduada em Gestão Estratégica da Informação pela UFMG
– Gestora de Redes Sociais
– Diplomada Sommelier de Cerveja pela Academia Sommelier de Cerveja
– Membro da CONFECE – 1ª Confraria Feminina da Cerveja
(“Se você imaginar que este movimento começou há 12 anos, quando o mercado ainda era praticamente masculino e tinha pouquíssimas cervejas, vai entender a importância da Confece. Nossa festa se tornou um evento no calendário cervejeiro nacional, além de ser uma festa linda que se propõe a divulgar a cultura cervejeira”, Jaque.)
– Participou do Coletivo ELA (Empoderar, Libertar, Agir) – Grupo que surgiu, em 2016, da união de mulheres cervejeiras do Brasil inteiro ligadas ao mundo da cerveja, que reuniu 65 cervejeiras artesanais para produzir uma cerveja a fim de chamar a atenção para o machismo presente no segmento.
– Membro das Minas Cervejeiras – Um grupo de mulheres que fazem cerveja, mandam muito bem e se juntaram para trocar ideias, encontrar e fazer acontecer neste mercado da cerveja. 

“Já tenho história para contar no mercado da cerveja e experiências incríveis!”, Jaque.

Então é isso, gente! Espero que tenham gostado da convidada dessa estação e suas dicas. Eu adorei aprender mais um pouco, fora que fiquei super feliz quando a Jaque aceitou meu o convite. 

Aproveitem essas dicas, aproveitem o outono e suas peculiaridades.
E, Jaque, muito obrigada pela disponibilidade! A gente se esbarra por aí, sempre! 🙂

Como começar com o Marketing Cervejeiro?

pc.png

Você pode ter um produto maravilhoso, você pode ter os melhores insumos na sua produção, porém isso tudo não fará da sua cerveja um sucesso, se você não souber exatamente como oferecer a sua cerveja para o consumidor certo. Esse é um dos pilares do marketing cervejeiro e logo abaixo, você vai aprender um pouco mais sobre esse tema.

Eu me chamo Daiane, sou a criadora do projeto Mulheres Cervejeiras e hoje tenho a honra de escrever esse artigo para o blog Cervejeira, uai! . Que com muita responsabilidade, vem trazendo informações relevantes e fomentando a cultura cervejeira em Minas e no Brasil.

Veja, existe uma armadilha em oferecer os melhores insumos, 100% malte, ou qualquer coisa semelhante na expectativa de atrair a atenção do público cervejeiro. Se o seu marketing cervejeiro inclui alguma dessas frases eu te convido a parar imediatamente e refletir um pouco.

Você não cria um diferencial competitivo oferecendo commodities.

Malte, é commodity.
Lúpulo, acredite, também é.
A Água cristalina de Agudos (a melhor da galáxia, rs) também não te traz nenhuma vantagem.

Não acredita?
Pense comigo, com exceção da água de Agudos, você consegue operar a compra de sacas de malte em mercados de contratos futuros (simplificando, como se fosse a bolsa de valores) comprando e vendendo a futuro, a termo e etc.

Da mesma forma que é possível operar café, açúcar, trigo, moedas, entre tantos outros.

Agora, você pode estar até pensando: O meu cliente não faz a menor ideia do que isso realmente significa.

starbuks

Ok, concordo.

Então você poderia me explicar por quê ele não aceita pagar mais do que R$2,50 num pingado (cafézinho) “commodity” e fica louco de feliz ao pagar R$6,00 (postando fotos nas redes sociais) ao tomar algo na Starbucks?

O marketing cervejeiro deve focar na experiência que vai oferecer ao seu consumidor e conseguir comunicar isso para as pessoas certas.  Juntamente com técnicas de SEO (otimizar as buscas para sistemas como Google) e gestão de redes sociais, o cervejeiro tem uma chance de ouro para se comunicar e se relacionar com os seus potenciais clientes usando todo o poder (e baixo custo) da internet para isso. Essas 3 estratégias juntas formam o tripé do Marketing de Conteúdo.

Marketing Cervejeiro é realmente importante?

marketing-digital-para-cervejarias-

Candidatos a ciganos é o que não faltam por aí, você sabe.

Já existem teorias de bolhas cervejeiras e que em breve, a navalha vai correr no mercado. Fala-se que “somente os bons” vão sobreviver… Mas, o que são os “bons”?

Sejamos honestos: São aquelas empresas que têm maior fluxo de caixa (os que vendem mais). São essas que vão sobreviver.

Você sabe, isso não quer dizer, necessariamente, que são as cervejas que usam os melhores insumos. Sabe por quê? Essa é a obrigação de todas as cervejarias!

E você não encanta ninguém pelas “obrigações”.
O que você prefere: Acordar cedo para ir pro trabalho (obrigação) ou o happy hour para tomar uma cervejinha (o que é legal!).

startup-business.jpg

Agora, eu acredito que você já entendeu que o marketing cervejeiro é muito importante e você está começando a se perguntar sobre o que deve fazer para começar o seu.

Existem duas coisas que você pode fazer agora: arregaçar as mangas e fazer você mesmo, ou contratar alguém. O certo é, que você não pode desprezar essa área do seu negócio.

Ao colocar a mão na massa, você vai levar mais tempo, mas vai chegar lá. Hoje existem diversas ferramentas gratuitas que podem te ajudar. A internet está aí e o seu público também está nele. Não importa se você não gosta de redes sociais ou não, importa se o seu público potencial está lá. E acredite em mim, ele está!

Ao contratar alguém, você chega mais rápido. Porém procure se certificar o quanto essa pessoa conhece do mercado cervejeiro. O marketing cervejeiro é um campo muito novo, assim como a nossa cultura cervejeira é.

Como eu posso começar a fazer meu marketing cervejeiro, agora?

Como bom cervejeiro que você é, você vai querer por a mão na massa e fazer você mesmo.

Então, abaixo eu te apresento uma dica de como você pode começar com o pé direito a sua campanha de marketing cervejeiro.

Existe aquele grupo de cervejas que servem para “pagar as suas contas” e aquele outro grupo, que serão suas cervejas de “investimento” para o futuro. E são essas que você deve colocar maior empenho em buscar brechas no mercado para começar a se relacionar com o público potencial.

lupuloAtualmente, cervejas lupuladas tornaram-se alvo das mais diversas criações, chegando até a incomodar um pouco aos cervejeiros mais antigos. Como se não houvesse mais espaço para novas criações, inundando o mercado com as mais diferentes IPAs.

Então, como você pode começar a criar o caminho para transformar a sua cerveja numa campeã em vendas?

bodebrownQuero usar como exemplo a cervejaria Bodebrown, que na minha opinião, tem um dos melhores marketing cervejeiro. Ela se comunicando perfeitamente bem com o lado “selvagem” de quem se liberta do mundo mainstream e o seu consumidor deve ser forte, por que ela não é indicada para os fracos!

Essa cervejaria depende exclusivamente da sua IPA? Da sua receita com cacau? Não! Volta e meia sai uma Kolsch, uma Sour ou algo novo. E vendem… Mas a comunicação não muda. As cervejas de “entrada” se encarregam de levar o novo consumidor até o mundo dos “selvagens”.

Para você começar a criar um marketing cervejeiro, olhe os nichos de mercado (subnichos) que formaram-se dentro da cultura cervejeira. O mundo das cervejas lupuladas está competitivos demais. Mas só existe essa possibilidade?

Caramba, entre estilos e sub-estilos de cerveja existem mais de 100 no Guia BJCP.

Eu me pergunto “Por quê raios não surgiram cervejas inspiradas na escola Inglesa, até hoje?” Aquelas cervejas que os seus consumidores, ao apreciá-las devem se portar como um autêntico gentleman? Ou então uma deliciosa Old Ale, para os homens das antigas, do tipo lenhador, do tipo caçador de recompensas, rústicos e matutos. Mas que no fundo, são hipsters, vão a barbearias estilosas e são gente fina pra caramba!

Atenda a necessidade dos grupos de forma inteligente. Deixem as pessoas felizes com as suas individualidades e mais felizes ainda, por se identificarem com os seus grupos!

Eu sei que o assunto é longo, mas o primeiro passo é esse!
Pensar fora da caixinha!

Você vai descobrir o caminho, por quê as respostas estão com você.
Você só tem que descobrir como fazer a pergunta certa!

E no que precisar, podem contar comigo.

mulheres

Você pode nos encontrar no Instagram pelo perfil @mulheres.cervejeiras e o meu e-mail é contato@mulherescervejeiras.com.br

Muito obrigada à Deborah e ao Blog Cervejeira, uai! pela oportunidade, foi uma honra.

mulheres dai

Beijos.
Daiane
Mulheres Cervejeiras