Latitude 20º: mais uma opção para os cervejeiros de plantão (Ouro Preto)

A dica de Onde Beber Artesanal é em Ouro Preto hoje.

A dica é um bar simples, porém muito aconchegante. O Latitude 20º.

latitude20

O nome do bar Latitude 20º é o mesmo nome dado à cervejaria, que é uma homenagem à Ouro Preto, pois a cidade se localiza na latitude 20º23’08”.

O local: O Latitude é bem completo, pois atende muitas áreas da cerveja.

No espaço, funcionam várias coisas: uma loja onde vendem insumos para fabricação de cerveja, além dos produtos da cervejaria; eles dão cursos com temas relacionados à cerveja; é growleria, já que além de abastecer seu growler, você também pode alugar barris (com chopeira e gás) abastecido com a cerveja deles para levar para casa e fazer a festa; e é bar!

Para beber: No bar, eles servem chopes de fabricação própria. Quando estive lá, estavam plugados: Cream Ale, American IPA, Stout e Double IPA. Todos a preços justos. Os de 300ml variam entre R$7 a R$13; de 475ml entre R$10 a R$17; e de 1 litro entre R$18 a R$32.

Só não experimentei a Double IPA, porque não ia dar conta…rs. Seu teor alcoólico era 8,7% e o IBU 80. Jisuis. Estava querendo algo mais leve no dia. As demais estavam ótimas!

Também tem caipirinha e vinhos.

20181228_200352

Para comer: São poucas opções, como pode ver acima. Mas, é o suficiente para você experimentar um delicioso petisco mineiro bem caseiros. Nós pedimos contrafilé na manteiga de ervas e vinho com fritas. Estava divino. Ah, tem opções vegetarianas também.

20181228_210021

downloadIsso tudo embalado pelo bom e velho rock.

O atendimento é bem rápido e o atendente muito educado e paciente. Me explicou sobre cada cerveja e me deu algumas dicas. Conversei com um dos donos também, que foi bem solicito.

Trouxe uma garrafa de cerveja deles, a Session IPA. Olha ela aí!

session ipa - latitude 20

Fica então essa dica. Além de cerveja e comida boa, a vista de lá é linda da Igreja do Rosário e das montanhas que estão no em torno de Ouro Preto.

Cervejaria Artesanal Latitude 20º
Rua Gabriel Santos 16A – Rosário
Ouro Preto
https://www.facebook.com/cervejarialatitude20/
Instagram: @latitude20ouropreto

 

Duke’n Duke artesanal da cerveja ao burguer

20181103_020202

O Onde Beber Artesanal hoje vai mergulhar nas gordices da vida!

Minha dica é um restaurante que oferece um dos hambúrgueres mais conhecidos e tradicionais de Belo Horizonte. Além de conhecidos são hambúrgueres premiados!

Estou falando do Dunk’n Duke, Savassi, que une hambúrguer, steaks, cerveja artesanal e música boa.

O local: O ambiente parece aqueles antigos pubs ingleses, com a iluminação baixa (percebe-se pelas fotos) e com rock e jazz rolando no fundo. São poucas as mesas, por isso, o pub enche bem rápido. Mas a rotatividade é bem grande, pois muitos comem e vão embora.

duken duke

Para beber: Atualmente, são oferecidas duas cervejas de fabricação própria e dezenas de outros rótulos nacionais e importados dos mais diversos estilos. Dá para ficar perdido. Porém, optamos em tomar as cervejas da casa: a Duke Lager (R$16,90) e a Duke Six IPA (R$19,90). Todas bem gostosas e excelentes para acompanhar os burgeres que iríamos pedir. Eles têm drinks também.

Para comer: Como a casa é famosa pelos hambúrgueres, a gente pensa que só tem essa opção. Mas, não! Além das dezenas de opções de hambúrgueres, têm grelhados, saladas e outras opções.

Os burgeres são sempre homenagens a grandes músicos e artistas da música. Antes de trazer, eles perguntam o ponto da carne. Nós pedimos o Thelonious (Monk) – Pão Australiano, Burger dupla face de picanha e  peperoni, queijo, estepe com pimenta, presunto parma italiano e home sauce com tomate, manjericão e alho) – R$46

20181103_005359

E o Armstrong (Louis) – Pão exclusivo, burger de picanha 180g, bacon, alface americana, queijo prato, cebola roxa na manteiga e home sauce de tomate, manjericão e alho – R$39,90

20181103_005349

Maravilhosos os hambúrgueres. Todos vêm acompanhados de batata canoa ou chips (a sua escolha). Eu, sinceramente, achei que não fosse conseguir comer tudo. Mas, enfim, ralei, mas comi tudo…rs. Sai de lá rolando!

20181103_010614

Os valores são bem salgados, mas, uma vez ou outra, vale a pena. Tudo muito gostoso, atendimento rápido e excelente. Estão de parabéns!

Ah, eles sempre têm algumas promoções. Sigam eles nas redes sociais ou acesse o site deles para ficar por dentro.

Eles abrem para almoço e à noite.

20181103_000557

Duke´n Duke
Rua Alagoas, 1470 – Savassi
Belo Horizonte-MG
http://www.dukenduke.com.br
@dukenduke

Cerveja Artesanal no Brasil

brasil cerveja artesanal
Cervejaria Ritter e Filhos – 1943 – Porto Alegre

Apesar dos historiadores contarem que, em 1846, Georg Heinrich Ritter instalara uma pequena linha de produção de cerveja na região de Nova Petrópolis – RS, criando a marca Ritter, a principal parte da história da cerveja artesanal/especial no Brasil é muito recente. Elas só ganharam força nos anos 1990, quando surgiu um maior número de fábricas.

Em 1995, surge a primeira microcervejaria do Brasil, a Dado Bier. Em seguida, em 1996, nasce a Cervejaria Colorado. E, aqui em Minas, a Krug Bier surge em 1997 e a Wäls em 1999.

Foi em 2005, que explodiu ainda mais o surgimapa artesanalmento de cervejarias artesanais, tendo no mercado um crescimento impressionante.

De acordo com a Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), em dez anos o Brasil foi de 70 para 700 cervejarias, fora as que não possuem registro. Em 2018, por exemplo, cerca de 185 novas fábricas foram registradas, um crescimento de 35% no ramo.

As cervejarias brasileiras têm influências das grandes escolas cervejeiras, porém, elas se sentem à vontade para inovar. Pelo fato de ter influências de diversas nacionalidades, a cerveja nacional assimilou diversos estilos e não ficou presa a regras das escolas de cervejas clássicas. Lembrando, assim, a escola americana, que inovou não somente em insumos, mas também em seu uso e adaptações dos estilos clássicos para seu paladar (confira o post sobre a Escola Americana).

Mesmo com o mercado em expansão, o consumo dessas cervejas ainda é pequeno, representando entre 1% e 2% do volume total de cervejas consumidas no país e, além disso, os investimentos na área ainda são baixos. Temos muito que evoluir ainda, mas estamos no caminho!

E a tal Escola Cervejeira Brasileira?

Com toda essa empolgação e17008_large com a criatividade dos nossos mestres cervejeiros a mil, impulsionados pela diversidade dos nossos ingredientes nativos, muitos falam da tal Escola Cervejeira Brasileira.

Como não sou especialista na área, resumi alguns pontos que pesquisadores e especialistas acham sobre o Brasil se tornar uma escola cervejeira. Segundo eles, o Brasil deve:

– Possuir um mercado consumidor maduro, capaz de absorver uma boa diversidade de estilos e assim fomentar a criatividade e a competição. Para influenciar o mundo você tem que ser forte dentro do seu país. O que não é o nosso caso;

– Ser capaz de gerar um perfil próprio de consumo, criando adaptações e estilos para atender este perfil de mercado interno. Para isso você precisa do tal consumidor maduro;

– Ter o reconhecimento da identidade dos aspectos culturais, históricos e/ou inovação no modo de elaborar e consumir.

Portanto, o Brasil tem potencial, mas isso não vai acontecer de uma hora para outra e nem será fácil. Antes de se criar uma cultura cervejeira, é necessário criar um mercado, é preciso ter cautela.

Percebemos que aumentou bastante o número de bares e supermercados que oferecem a cerveja artesanal/especial. Aqui em Minas Gerais, cresceram os festivais e eventos com chope artesanal, além de muitas lojas e cursos especializados. Isso é ótimo! Com isso, muitos passam a ter acesso e passam a pensar nas artesanais como uma opção de consumo.

Na minha humilde opnião, as cervejas artesanais ainda não atingiram um público maior por causa dos preços praticados. Com valores mais baixos, teremos mais pessoas consumindo, tornando-se cada vez mais exigentes, buscando rótulos com melhores ingredientes e ajudando, assim, a criar um perfil de consumo.

Mas, sei que por traz desses altos valores tem muita discução como impostos, importação de produtos, ingredientes de qualidade. Isso é assunto para outra oportunidade. E o que nos resta? Rezar e beber!

índice

Curiosidades:

– As cervejarias artesanais são responsáveis por produzir 7,5 mil produtos diferentes.

–  As produtoras da bebida estão concentradas no Sul (42%) e no Sudeste (41%) do país.

– O menor índice está no Norte, com 3%.

– Segundo dados do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) de 2018, o maior número de cervejarias está em Porto Alegre com 35 cervejarias registradas. A segunda cidade com maior cervejarias registradas é Nova Lima com 19 e a terceira é Caxias do Sul com 16. Veja o ranking abaixo.

grafico mapa2

Então é isso! Deu sede. Vamos tomar uma?