Escolas Cervejeiras

Escolas Cervejeiras: Escola Americana

E este é o último post sobre escolas cervejeiras. Hoje falarei da mais recente escola cervejeira: a americana. Mesmo não sendo considerada uma escola pelos tradicionalistas, ela merece destaque pelo novo jeito de pensar a cerveja.

A coragem de criar fazem dos americanos excelentes criadores. Foi assim que surgiu a escola americana, incorporando todas as três escolas cervejeiras em uma completamente nova.Ou seja, eles inovaram os estilos já conhecidos mundialmente e criaram o estilo próprio.

Um pouco de história

Foram diversos obstáculos enfrentados por essa escola. Em 1876, nos Estados Unidos, as cervejas artesanais eram produzidas, principalmente, pelos imigrantes europeus que colonizavam o território e detinham a técnica de fazer cerveja.

lei secaEm 1920, foi promulgada a Lei Seca, nesta época, os EUA tinham algo em torno de 1800 micro-cervejarias. A lei estabeleceu que todas as cervejarias deveriam fechar, pois o governo acreditava que o álcool era o agente causador de todos os males vividos pelo país. Isso acabou com todas as cervejarias e milhares de litros de cerveja foram confiscados e jogados fora.

Esta lei durou por 12 anos. Assim, as cervejarias começaram a ressurgir. Porém, nessa época, quando a lei acabou, os EUA viviam em recessão econômica, por isso a indústria cervejeira sofreu uma transformação e se viu obrigada a produzir cerveja com o menor custo possível, e passaram a usar matérias primas mais baratas, como o arroz e o milho e diminuíram o lúpulo. O resultado foi uma cerveja mais pálida e com pouco aroma, que é o caso das Standard American Lager e Light Lager, que é muito conhecida por nós. As cervejas de massa hoje.

Nos anos 60, grupos de cervejeiros caseiros começaram um movimento, o “craft brewing” (fabricação caseira) que se espalhou pelo país inteiro. Hoje, os EUA já têm algo em torno de 1300 micro-cervejarias.

cervejas americanas

Características principais da Escola Americana

Os americanos são conhecidos por gostar de tudo exagerado e não seria diferente com as cervejas. Gostam e fazem cervejas mais amargas, mais alcoólicas, mais encorpadas, mais robustas, com ingredientes mais incomuns. Não bastando ter reinventado as American IPAs (com mais lúpulo que as IPA), inventaram as Imperial IPAs, ainda mais alcoólicas, com muito mais malte, muito mais amargas, e claro, mais aromáticas que as IPAs. E foi daí pra cima. Eles não têm limites.lupulo

A criatividade é a principal característica da escola.  Reinventaram os estilos clássicos existentes: Hora incluindo ingredientes diferentes (abóbora, bacon), hora exagerando nos ingredientes (muito malte, muito lúpulo). Outra característica é o exagero das receitas:  muito malte, muito lúpulo, muito álcool, mais tempo de maturação, mais badalação. Mas, quem predomina é sempre o lúpulo,  conferindo uma cerveja bem cítrica, característica dos lúpulos americanos.

Então, se você curte cervejas encorpada com amargor exagerado, aposte nas cervejas que seguem a linha americana.

Enfim, chegamos ao fim dos posts sobre escolas cervejeiras. Espero que tenham gostado! Até o próximo tema.

—————————–

Aqui, apresento alguns estilos da escola americana:

American IPA: A diferença dela para a IPA inglesa está entre os lúpulos usados. Com o uso dos lúpulos americanos, a antiga APA, hoje American IPA, carrega aromas muito mais cítricos que a inglesa. Outra diferença importante é que a American possui um certo dulçor, enquanto a IPA inglesa é conhecida por possuir um final bem seco.

Imperial IPA ou Double IPA:  é uma versão “forte” das tradicionais IPAs. Mais intensas, com alto teor alcoólico e amargor.

California Common: são cervejas mais leves e fácil de beber, de cor âmbar, corpo médio e sabor equilibrado entre malte e lúpulo, com notas carameladas e tostadas.

India Black Ale (IPA com Stout/Porter): mantem o amargor e aromas de lúpulo das IPAs, porém contam com maltes tostados na receita, tornando-as mais escuras e podendo adicionar aromas remetendo a café e chocolate amargo.

Cream Ale: A partir de uma cerveja American IPA, foram acrescentadas leveduras Lager e adjuntos como milho e arroz. Assim surgiu uma cerveja equilibrada, sem predomínio do malte ou do lúpulo no sabor, com uma cor clara e boa carbonatação de uma característica cremosa.

Wheat Wine: inspirado nas Barleywine mas que se diferenciam por um alto uso de trigo na receita. A quantidade de trigo usado na receita pode superar os 50% dos grãos usados.

Hop Weizen (Weissbier com lúpulos): Uma variação de cerveja de trigo com uma carga maior de lúpulo tanto no aroma quanto no amargor. Podemos falar que é uma IPA de trigo.

3 comentários em “Escolas Cervejeiras: Escola Americana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s