O lúpulo na cerveja

Já falamos da água, do malte e, agorlupuloa, é a vez dele: O Lúpulo. Ingrediente muito amado por muitos, pois ele é o responsável por conferir o amargor e o aroma (o perfume – floral, cítrico, picante…) de muitas cervejas.

O lúpulo é uma planta trepadeira que pertence à família das Canabidácea e gênero cannabis. Seu nome científico é Humulus Lupulus.

Seu uso varia de acordo com a cerveja fabricada. Ou seja, a quantidade de lúpulos que é inserida, o tipo de lúpulo usado e quando ele é colocado durante a fabricação, determina qual será o produto final.

Lúpulos no Brasil

plantacao de lupuloPor muitos anos, achava-se impossível ter plantação de lúpulo aqui no Brasil, devido a nossa posição geográfica. Por isso, o lúpulo era totalmente importado, a maioria dos EUA e Alemanha, países onde o verão são mais longo que no Brasil. Com isso, o lúpulo aproveita esse longo período para florescer antes do inverno chegar (eles precisam de luz). No Brasil, não se tem tantas horas de luz solar durante o desenvolvimento do lúpulo, o que o impede de crescer.

Porém, devido a novas técnicas e diferentes soluções, já é possível cultivar a planta no Brasil.

Para se ter uma ideia, nos EUA e Alemanha é possível obter 800g de cone seco por planta em uma safra. A média no Brasil, hoje, é de 200g/planta. Porém a Fazenda de Fartura (uma das pioneiras) já conseguiu 500g/planta durante uma safra (dados Aprolúpulos). Já existem fazendas que fornecem lúpulos 100% nacional, como a Brava Terra.

A longo prazo, espero que com os lúpulos nacionais sendo fornecido em maior escala, ajude a diminuir os preços das cervejas.

Veja aqui uma matéria que escrevi logo que se começou  a plantar lúpulos no Brasil.

Voltando ao lúpulo…

São vários os tipos de lúpulos, vindo de países diferentes como Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, Austrália, e com características diferentes para diferentes estilos de cerveja, como os com pouco aroma, aroma cítrico, aroma herbal, muito amargo, menos amargo, etc. Por isso, é preciso saber as característica de cada um para saber qual colocar em cada estilo de cerveja para que ela não saia do estilo determinado.

Funções do lúpulo

hop

Além da função de dar aroma e amargor à cerveja, o lúpulo tem outras atribuições. A principal dela é servir como um conservante natural da cerveja. Ele possui algumas substâncias que inibem a proliferação de bactérias na cerveja.  Com isso, ajuda a prolongar a vida da cerveja nas prateleiras, antes de ir para a geladeira. Além disso, o lúpulo é rico em substâncias antioxidantes, que atuam contra radicais livres. Como as cervejas especiais não usam produtos químicos, como já falei anteriormente, a planta é de suma importância para a cerveja e sua conservação.

Foi por isso que um estilo particular de cerveja surgiu, a India Pale Ale, famosa IPA. Contam historiadores que, na virada do século XVIII, um cervejeiro britânico teria produzido uma Pale Ale mais forte e aumentado sua carga de lúpulos para preservar a bebida durante a viagem de vários meses para a Índia. O lúpulo garantia que, durante toda a viagem, a bebida chegaria sem contaminação do líquido. No final da viagem, a cerveja acabava adquirindo grande intensidade de aroma e sabor de lúpulo. Perfeito para satisfazer a sede do pessoal britânico nos trópicos e se mantinha conservada.

E não para por aí, a estabilidade da espuma da cerveja depende de vários fatores e um deles é a presença dos compostos amargos do lúpulo.

Quando eles são inseridos durante a produção?

dry-hopping-1
Dry Hopping

Existem vários momentos para a adição do lúpulo. Isso vai depender de que tipo de cerveja você vai querer. Pode ser colocado antes da fervura, durante ou depois. Como este é um assunto técnico, não vou entrar em detalhes.

Obs: Em algumas cervejas vemos a seguinte descrição: Dry Hopping,  que é o processo onde há a adição de lúpulo na cerveja durante o período de fermentação, ou seja, na fase fria do processo, para adicionar aroma de lúpulo fresco ao produto final. Essa técnica deixa a cerveja super aromática! Quando bem feito, ao abrir a cerveja, sente aquela explosão de aromas lupulados. HUuMm.

Curiosidades

– A evidência mais aceita do primeiro campo de cultivo de lúpulo data de 736, no jardim de um prisioneiro de origem eslava, próximo a Gensenfeld, no distrito de Hallertau, região da atual Alemanha. Seu uso é bem antigo;

– O lúpulo foi introduzido nas cervejas da Inglaterra no início do século XVI, e, no caso dos Estados Unidos, tendo o cultivo começado em 1629, no estado de Virginia Ocidental onde, hoje, é o Distrito de Columbia e a cidade de Washington;

– Hoje, existem mais de 200 opções de lúpulo. Dentre as diversas possibilidades, podemos destacar notas florais, cítricas, herbais, frutadas, resinosas e picantes.

– Enquanto o malte dá uma característica doce à cerveja o single-malt-single-hop1lúpulo fornece um contraponto amargo à esse doce. Ou seja, ele é usado também para dar equilíbrio à cerveja. Enquanto o malte adoça, vem o lúpulo com seu amargor não permitindo que a cerveja fique enjoativa, doce;

– Nas cervejas comerciais, o lúpulo aparece quase que só para quebrar o doce maltado. Eles existem nelas, mas colocam tão pouco que são imperceptíveis;

pellets
Pellets

– Para a produção cervejeira, o lúpulo é vendido tanto ao natural (em flores) quanto na forma de pellets (mais comum);

– O IBU: é a abreviatura para International Bitterness Unit. Em português, podemos chamar de algo como unidade internacional de amargor. É pelo número de IBU que podemos ter uma ideia de o quão amarga é uma cerveja. Quanto maior o número indicado, mais amarga é a cerveja;

– O lúpulo leva normalmente 3 anos para atingir a sua maturidade em campo;

– Você sabia que o lúpulo faz bem para saúde? Ele auxilia desde os problemas com insônia a tratamento de dermatite. Confira esses dois link sobre os benefícios do lúpulo para a saúde: Link 1     Link 2 ;

– Lúpulo em inglês é hop e em alemão é hopfen;

– Pode ser fatal para cães e gatos: O contato não é comum, mas, para quem produz cerveja em casa, vale a pena informar. O lúpulo jamais deve ser ingerido por seu cão ou gato, pois é altamente tóxico para eles, provocando ataque epilético, problemas no coração e pode até causar a morte.

lúpulo-planta

Sobre estilos: IPA

taça-ipa

Então, hoje, vamos falar da queridinha de muitos e que tomou conta do gosto e dos eventos cervejeiros? Sim, estou falando dela: A IPA. Os lupulomaníacos até choram!

Primeiro, vou começar com a história dela, que alguns dizem não ser verídica, mas… Eu não estava aqui pra ver, vamos ao que nos contaram.

Segundo historiadores, lá no século XVIII, quando os ingleses colonizaram a Índia, haviam oficiais britânicos que moravam na Índia. Naquela época, o calor era muito bravo e a água potável era bem escassa. Para resolver esse problema, os ingleses começaram a levar cervejas da Inglaterra para a Índia. Como o caminho era longo e as cervejarias não usavam conservantes artificiais, assim, as cervejas estragavam.

ipa-cerveja

O que eles pensaram? “Vamos colocar uma dose extra de lúpulo, que é um conservante natural (já falei sobre ele aqui), assim a cerveja resistirá alguns meses de viagem.”. Assim, eles passaram a colocar na tradicional Pale Ale (que também já falei aqui) uma quantidade maior de lúpulo. Com isso, a cerveja que era Pale Ale mudou sua característica, ficando com o aroma mais definido e fresco, mais amarga e com o teor alcoólico mais alto. Para diferenciá-la da outra, passaram a chamá-la de Índia Pale Ale, a famosa IPA.

Principais características

lúpulo-640x340O amargor marcante é sua principal característica. Nela, os maltes ficam bem discretos, mas têm aqui a função de contrabalancear com o lúpulo para a cerveja não ficar super amarga. Mas o lúpulo não vai dar somente o amargor, ele dita o aroma também. Uma boa IPA tem que ser arromática. Algumas, só de abrir a garrafa, já vem aquele aroma gostoso. Os mais encontrados são os cítricos. São cervejas super refrescantes.

Sua cor deve ser de dourado a acobreado. Apresentam um teor alcoólico que normalmente vai de 5,5 a 7,5%.

Seu IBU padrão vai de 40 a 70. Já uma Imperial IPA pode ir até 120. Vamos falar então desses sub estilos?

Alguns sub estilos de IPA: 

downloadAmerican IPA:  Tem um amargor acentuado como a IPA, porém, devido aos lúpulos americanos usados, ela tem aromas mais cítricos. Tem um pouco de dulçor, enquanto a “somente IPA” tem o final seco.

English IPA: Tem uma característica de malte mais acentuado que a versão americana e um aroma de lúpulo mais discreto. Tem notas terrosas e herbais dos lúpulos ingleses. É mais balanceada que os outros estilos.

black ipa

Black IPA: são chamadas assim pela utilização de maltes tostados. Costumam ser robustas, com notas de café, chocolate, caramelo, além do amargor comum a qualquer IPA.

Imperial IPA/Double IPA: É a versão mais hard da IPA. O amargor é ainda mais acentuado, com doses exageradas de lúpulo e teor alcoólico elevado. Com isso é preciso usar mais maltes também, mas sem equilibrar demais. Muito muito amarga, definitivamente, não é minha praia.

sitra

Session IPA: Diferente da Imperial essa é uma IPA com baixo teor alcoólico sem perder as características lupuladas. É aromática, menos amarga e com leve teor de álcool. Dá para tomar muitas. Esse é o outro sub estilo fácil de tomar.

NEIPA Haze
New England IPA /Juicy IPA: Têm aparência turva (a cor lembra de um suco de manga), contém trigo, centeio ou aveia na composição. São mais encorpada e aveludada, bastante frutada, lembrando frutas amarelas e tropicais. Tem uma quantia significativa de lúpulo e malte não caramelizado. Seu amargor é curto.

Sobre estilos: Pale ale

1487876879_blog3

A Pale Ale é um dos estilos de cerveja mais antigos do mundo. Surgiu na Inglaterra, por volta do ano 1640, onde ela continua sendo super popular.

Em sua fabricação, utiliza-se leveduras Ale, que trabalham em temperaturas mais altas que as Lager, sendo de alta fermentação.

ubk10270-daredevil-pale-aleA expressão Pale Ale é utilizada para indicar uma cerveja pálida. Pois, quando ela surgiu, era uma cerveja mais clara. Porém, com o passar do tempo, foi surgindo variação no estilo e em sua coloração, indo do dourado ao acobreado. Mas, o nome se manteve.

Suas principais características: Além da variação na tonalidade, as Pale Ale tem aroma terroso e herbal. Pode ganhar um sabor que remete ao caramelo. As notas frutadas também podem ser sentidas em algumas.

Quanto ao amargor, ele vai de médio a alto. Já quanto ao dulçor, varia de médio a baixo.

Se quiser começar a sair da cervejas mais leves, como pilsen e weiss, e começar a tomar as cervejas um pouco mais amargas, aposte na Pale Ale.

Como é um estilo versátil , harmoniza com diversos pratos e combina com qualquer clima. É um estilo que não tem erro. Eu adoro me perder nas Pales.

Fica a dica!

E como pronuncia “Pale Ale”? A forma certa de falar é “peioueiou”, mas fale como quiser, vão entender de qualquer forma.

beer_318844

Esse estilo possui diversos sub estilos. Vou falar sobre alguns:

English Pale Ale: costumam ter coloração dourada ao cobre, com notas herbáceas e terrosas de lúpulos ingleses. O amargor é médio, com forte presença de lúpulo no sabor. O corpo é médio a alto e possui notas de malte no sabor e aroma que podem lembrar caramelo.

apaAmerican Pale Ale: são caracterizadas pelos aromas cítricos e florais, provenientes das variedades americanas de lúpulo. Seu corpo, amargor e sabor de lúpulo são médios. O malte fica em segundo plano. O aroma frutado proveniente da levedura deve estar presente.

Belgian Pale Ale: A versão belga desse estilo de cerveja, com coloração clara e sabor leve e equilibrado.

irish

India Pale Ale: A popular IPA, é a queridinha devido a adição maior de lúpulo em sua composição, o que garante uma intensidade de amargor no sabor. Farei um post especial sobre ela.

É sub estilo demais, cada uma mais gostoso que o outro. Aos poucos a gente vai tomando e aprendendo um pouco mais!

Cheer!

IBU: A medida do amargor da cerveja

Aprendemos sobre o ABV agora vamos falar de uma outra sigla que está cada vez mais sendo incluída nos rótulos: o IBU. Lembrando que não é obrigatório incluir o IBU no rótulo. Mas muitas cervejarias têm incluído esse dado para auxiliar seus clientes.

O IBU é a sigla de ‘International Bitterness Units’, que representa a escala mundial para medir o amargor de uma cerveja. Quanto mais baixo for o valor, menos amarga a cerveja será, com isso, quanto maior o valor mencionado, mais amarga ela será.

Como eu já disse no post sobre lúpulos, o lúpulo é o principal responsável pelo amargorinvicta da cerveja. Sem esse gosto amargo do lúpulo, o doce do malte iria predominar e a cerveja ficaria muito doce e enjoativa.

O IBU pode ir de 0 a 150, que é o nível máximo que o paladar humano é capaz de sentir. Ou seja, para o paladar humano, se passar de 150, o amargor se torna indiferente. Algumas cervejas descrevem que têm um elevado nível de IBU, como a 1000 IBU da Invicta. Alguns dizem que tem mesmo, outros dizem não sentir tanto assim.

Quantidade de IBU em uma cerveja

Cervejas com o IBU baixíssimo, normalmente, têm em torno de 5 IBU. Que é o que tem nossas cervejas comuns como Brahma, Skol…Para termos ideia, as Premium Lager, que são mais amarguinhas, como a Heineken e a Stella Artois, possuem entre 15 e 25 IBU.

lupulo

As cervejas populares têm lúpulo?
Têm sim. Mas é inserido tão pouco lúpulo, que é imperceptível.

Quando a medida é aproximadamente 35 IBU já dá para sentir um agradável realce de lúpulo.

Acima de 40 IBU, já sente-se um amargor mais forte. E, daí pra cima, é pura surra de lúpulos e cara feia (que é a que eu faço, já que não gosta de tanto amargor assim)! Os estilos de cervejas que representam essas surras de amargor são: IPA, Imperial IPA, Double IPA etc. Tem IPA no nome, já fica esperto! O certo é que ela seja mais amarga mesmo!

Medindo o IBU

O IBU pode ser medido através de análise química em laboratório, onde também são usados equipamentos como o espectrofotômetro.

Existem algumas fórmulas específicas. Mas aí a gente deixa para os especialistas.

Bora beber?

Então você aprendeu, né?!

Gosta de cervejas mais leves, menos amargas: Pegue aquelas que indicam ter IBU baixo.

Agora, quer experimentar algo mais forte, com mais aroma, mais sabor, mais amargor, provavelmente, mais alcoólica? Bora pros IBU’s lá no topo.

Eu prefiro as intermediárias! Assim, o amargor não atrapalha você sentir os outros sabores da cerveja. Mas, muita gente por aí é lupulomaníaco. Gosta do amargor lá no talo!

Curiosidade

Flying Monkeys Alpha Fornication – 2500 IBUs – É considerada a cerveja mais amarga do mundo. A Alpha Fornication é uma Imperial IPA com 13,3% de teor alcoólico. Olha a cor dela.

ibu

 

#TBT: Ipa Atomica – Asado – Mercado del Puerto (Montevidéu)

ipa atomica

O #tbt de hoje é, também, com uma cervejaria artesanal uruguaia.

Essa é a IPA Atômica, uma IPA da cervejaria Cabesas Bier. Ela tem um aroma cítrico e frutado. Seu sabor tem um amargor equilibrado pela doçura do malte acentuado pelo processo de decocção. Ela não é uma IPA para ipeiros, pois não é tão amarga. Tem um finalzinho amargo super bebível. Seu teor alcoólico é de 6.7% e o IBU é 50.

É uma cerveja bem premiada: Medalia de Bronze em Porto Alegre (2010); Medalia Bronze em Blumenau (2012); Medalia de Prata em Buenos Aires (2013) e Menção Especial em Montevidéu (2016).

Sobre a cervejaria, eu já falei em um post anterior!


20180406_145555O prato é uma comida típica do Uruguai: o Asado de Tiras, um corte nobre da costela do boi, macio e suculento. Ele vem com um molho para temperar, lembrando que as carnes do uruguai vem sem sal nenhum. E pedimos uma batata frita (que veio com casca).

Comemos no El Palenque, que fica no Mercado do Porto, que vai ser o Ponto Turístico desse TBT.

 

 

 


20180406_155854

O Mercado del Puerto como o nome diz, fica próximo ao porto de Montevidéu. Ele não é como os mercados centrais daqui que estamos acostumados, com muita coisa, muita gente, aquela bagunça organizada. Esse é mais arrumadinho, com vários restaurantes servindo as típicas parrilladas. O que achei bem chato são os garçons abordando a gente o tempo inteiro igual na Passarela do Álcool, em Porto Seguro.

O mercado não é grande. Vale a pena parar lá para almoçar.

Além dos restaurantes, tem bares com cervejas artesanais e importadas, lojinhas de artesanatos, lembranças da cidade e doces e chocolates locais.

20180406_14410420180406_144016

Aliás, foi lá que eu comi o melhor alfajor dessa viagem que fiz Uruguai-Argentina.

 

 

Se for em Montevidéu, não deixe de fazer esse passeio! 😉