#TBT: Franziskaner Kellerbier – Burano (Veneza)

kellerbier franziskaner

O #TBT de hoje não é uma cerveja italiana, mas, como tomamos ela em Veneza, falarei dela aqui. Uai, tinha lá? Não, eu levei perdida na mala, de um país pro outro…rs

A Kellerbier da Franziskaner pode ser traduzida como Cerveja de adega, pois é uma cerveja engarrafada sem filtragem, dando a ela a cor âmbar característica e o sabor encorpado. O lúpulo Hallertau confere à cerveja um leve amargor. Tanto o aroma quanto o sabor são maltados, um pouco adocicados/frutados. Uma cerveja suave, cremosa, que desce redondo. Seu  teor alcoólico é de 5,2% ABV.

A história da Franziskaner eu já contei aqui em um #TBT de Munique, na Alemanha, cidade onde essa cerveja nasceu e é encontrada em todas as esquinas.


nero di seppia

Essa nós sentamos em um bar (sim, um bar) para tomar: Bar e Gelateria Sommariva Mario. Eles não ligavam de sentar com nossa bebida. Mas lá tinha Lowembrau! Tomamos também!

O prato do dia foi o Spaghetti al nero di seppia. Quando o prato chega dá um “nojinho” de comer. Esse trem preto, parece “macarrão ao petróleo”. E, saber os ingredientes, não ajuda em nada. Seppia é uma espécie de lula que possui uma bolsinha com um líquido preto, por isso fica dessa cor. Além do líquido, vem uns pedaços da lula também. Mas, ao colocar o primeiro garfo na boca…que delíiiiiiiiiicia, meu Deus! Será que tem isso em BH?


img_2605.jpg

A atração turística deste #TBT é a coisinha mais linda e charmosa que vi na região de Veneza: A ilha de Burano com suas casas coloridas. É uma ilha sossegada, como se fosse nosso interior aqui. Fica pertinho de Veneza, indo de Vaporetto dá uns 10 minutos.

Não tem muito o que fazer lá a não ser passear pela ilha, a pé mesmo, e admirar suas casinhas coloridas em que os moradores são obrigados a pintar a fachada periodicamente. Segundo a lenda, elas foram pintadas assim para, quando os pescadores voltassem para suas casas à noite, pudessem as identificar pelas cores.

Além disso, tem o inclinado campanário que pode ser visto de longe. Ele é tão inclinado que faz qualquer Torre de Pisa morrer de inveja. E tem também várias lojinhas com produtos cheios de renda, que é a arte dessa ilha.

Outra atração pelas redondezas é a vizinha Ilha Murano . Aqui as casas são pequenas iguais as de Burano, mas sem cor nenhuma. O foco da Ilha é nos vidros. Aqui encontramos as famosas, maravilhosas e caríssimas artes no vidro. Se lá já é caro, imagina quando chegam por aqui…

Algumas fábricas deixam ver e tirar fotos dos funcionários fazendo os vidros. É incrível a rapidez que eles fazem. Porém, a maioria das fábricas e lojas não deixam nem mesmo tirar foto das peças à venda. Achei uma bobagem. Detesto entrar em lugares que parecem ter mil olhos em cima de você, mas… deve ter um por que! Talvez por isso eu não tenha entrado em muitas lojas, mesmo porque eu não daria 20 euros num miiiiniiiiii boneco do Bob Esponja, por exemplo.

Aí vão algumas fotos de Murano (sem cor) e seus vidros.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O passeio durou a manhã toda. Valeu a pena! Além do passeio, durante o traslado, você tem a visão de Veneza de longe, é bem bonito!

 

#TBT: Birra Moretti – Gôndolas (Veneza)

O #tbt de hoje é com mais uma tradicionalíssima na Itália: a Pilsen da Birra Moretti. É uma cerveja super-fácil de tomar. Leve e de excelente qualidade. Quem me dera eu as cervejas comuns daqui fossem assim. Refrescante, bem equilibrada, com o amargor na medida. De boa com seus 4.6% de ABV.

barA Birra Moretti teve sua primeira cerveja fabricada para venda, por Luigi Moretti, em 1860, na cidade de Udine na Itália. Somente em 1990, a cerveja deixou de ser local e passou a ser distribuída em toda Itália. Em 1996, foi comprada pela Heineken. Depois disso, a Birra Moretti passou a ser exportada para mais de 40 países em todo o mundo. Por isso, de vez em quando, ela surge nas prateleiras de supermercados aqui de BH.

 

MORETTI_baffo_twitter_avatar_2_400x400

Curiosidade sobre a logomarca: O original bigode de Birra Moretti. “Um dia, em 1942, o sobrinho de Luigi Moretti, o fundador da cervejaria, saindo para o almoço viu um homem de aparência agradável sentado a uma mesa na Trattoria Boschetti em Udine. Havia algo único naquele homem. Ele de alguma forma estava incorporando os valores reais de sua cerveja: autenticidade, tradição, genuinidade. Eventualmente, o Sr. Moretti foi até ele e perguntou se ele poderia tirar uma foto dele. Quando perguntaram ao homem o que ele queria em troca, a única coisa que ele pediu foi outra cerveja Moretti. Desde aquele dia, a imagem desse homem está em todos os rótulos da Moretti, lembrando-nos de onde viemos e para quem nós preparamos nossa cerveja.” – Birra Moretti. Desde então, eles usam a palavra e a imagem do bigode (baffo em italiano) como marca registrada da Moretti.


Essa, nós bebemos no Corner Pub. Um pub que encontramos bem escondido nas ruelas de Dorsoduro, em Veneza. Além de ter uma imensa variedade de vinhos, que inclusive pedi um para experimentar, tem um menu bem diversificado com as deliciosas massas da Itália, como essa lasanha que comemos!

Este slideshow necessita de JavaScript.


20170525_184257.jpg

A atração turística deste #tbt são as gôndolas de Veneza, que sempre remetem ao romantismo e às belezas arquitetônicas da cidade.

Mesmo eu não sendo nada romântica, resolvi fazer o tal passeio. Não achei tanta graça assim, fora que eles “rancam seu coro” de tão caro que é uma voltinha pelos rios da ilha. Mas fui, porque ir à Veneza e não andar de gôndola é a mesma coisa que ir à Paris e não ver a Torre Eifel. O que me deixou mais empolgada no passeio é que, dali, tínhamos acesso “por dentro” de Veneza, conseguíamos ver lugares que não veríamos andando a pé. É legal. Mas não é aquela coisa de “noooooossssaaa é a coisa mais linda do mundo” como dizem por aí. É diferente.

Vamos para algumas curiosidades. Talvez seja mais interessante! Antigamente, a gôndola era utilizada para o transporte dos moradores da ilha. Porém, hoje em dia, é quase usada somente para o passeio de turista.20170525_155008.jpg

No passeio, como falei, a gente passa em partes que não daria para ver a pé, passamos por algumas casas que têm algum significado, ou que pertenciam a algumas pessoas importantes como Marco Polo (viajante mais famoso de todos os tempos).  E o gondoleiro nos apresentava e contava um pouco da história.

Por falar em gondoleiro, durante o percurso eles ficam conversando entre eles, você não entende um “a”. Pesquisei e vi que realmente eles têm um dialeto próprio. Ieu, hein! Ahhh…E para conseguir a licença para ser gondoleiro não é fácil. São várias etapas, desde curso para aprender sobre a história da cidade várias etapas até concurso público. Fora as manobras radicais que você tem certeza que vai bater. Mas não batem.

IMG_2530

As gôndolas são todas ornamentadas. As pinturas são bonitas.  Alguns alugam gôndola com “sanfoneiro” e cantores que tocam aquelas músicas típicas italianas: “Io sooole miiio”. É engraçado. Mas aí já é demais pra mim. Alguns gondoleiros cantam também. Mas aí eu acho que depende da vontade dele…rs. O que pegamos tinha preguiça até de falar. Mas tá bom. Bom que a gente observou mais.

Então é isso. Romântico ou não. Vai pra Veneza? Não pule esta etapa da vida e se jogue nesta miniviagem cultural. Vou deixar mais fontinhas aí pra vocês.

Este slideshow necessita de JavaScript.

#TBT: Birra Peroni – Piazza San Marco (Veneza)

20170525_195833.jpgA partir de agora, o #TBT muda de país. Sonho realizado é sonho compartilhado: Conhecer um pouco da Itália. Apesar de lá ter muita comida deliciosa, também achamos cervejas da melhor qualidade!

Para começar, falarei de uma das cervejas mais tradicionais da Itália: A Standard American Lager da Peroni. Mesmo sendo industrializada é uma cerveja de excelente qualidade. Tem um leve destaque de malte no sabor, já o amargor é mais discreto. O teor alcoólico é leve também de 4.7% ABV

logo_smallA Birra Peroni (Birra = Cerveja em italiano) foi fundada em Vigevano, na Itália, em 1846. Em 2003, Isabella Peroni, última proprietária da fábrica, vende a maioria das ações para a empresa sul africana SABMiller.

Atualmente, a Peroni tem três fábricas: em Roma, Bari e Padova. Além de um Malteria, a Saplo de Pomezia. A produção anual de cerveja  é de 5 milhões de hectolitros, dos quais mais de 1 milhão são exportados. Tá bom ou quer mais?

antico-fornoEsta nós tomamos em uma das milhares de pizzarias que oferecem pizza em pedaço em Veneza, a Antico Forno Venezia. É tipo um fast food de pizza, onde elas já estão prontas na estufa. Os sabores não são muito diversificados. Você escolhe o sabor, eles colocam no forno com lenha. Pronto, é sua. E come em pé. Nesta, a massa era gorda. Imagina a bagunça pra comer sem prato… E a cerveja se bebia em copo de plástico. Mas o que vale é a experiência e o sabor!

20170525_200245.jpg

20170525_200204.jpg

20170525_195840.jpg

 

 

 

 

 

 


20170525_151459

O ponto turístico é a Praça de São Marcos (Piazza San Marco), em Veneza (Venezia). O principal ponto turístico e a única praça de Veneza. Construída no século IX, foi estendida para a sua forma e tamanho atuais em 1177, quando o rio Batário e um porto foram aterrados.

Na praça, fica a Basílica de São Marcos (arquitetura bizantina), o Palácio Ducal de Veneza (também conhecido como Palácio do Doge, e uma obra-prima do gótico veneziano, gigantesco), o Campanário da Basílica e outros edifícios. É tudo muito grande e eu penso daqui: Como construíram esses monumentos em cima do rio e do mar, e naquela época?

Além desses monumentos, tem alguns cafés que, à noite, tem cantores/bandas apresentando músicas típicas italianas. Aí você sente realmente na Itália. De dia, a praça fica abarrotada, eu disse abarrotada de turistas e pombos também. Lá pede para não alimentá-los. Mas, não adianta muito.

A fila para entrar em tudo é grande, assusta! Mas anda bem rápido. Entramos na Basílica e subimos na Torre. Vale a pena. É alto, mas vai de elevador e dá pra ver Veneza toda lá de cima.

A Praça de São Marcos é o lugar mais baixo de Veneza, e quando a água sobe no Mar Adriático por tempestades ou excesso de chuva é o primeiro a inundar. A água drena diretamente para o Grande Canal. Mas quando a maré sobe tem o efeito inverso, e a água do canal escoa para a praça. Por isso, não é muito indicado ir para Veneza em época de chuva.

Nos próximos #TBT`s falarei mais sobre essa cidade, que é encantadora e difícil de entender como existe…rs

Enquanto isso, veja mais fotos da Praça de dia e de noite.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ahhhh, a Itália! Até o próximo!