#TBT: Ichnusa – Bocca della Verità (Roma)

ichnusa

Hoje o #tbt está estranho. Que nome é esse? “Ichnusa”? Sim, essa é uma Premium American Lager, legítima italiana. Achei ela comum. Com o sabor equilibrado, com o final levemente amargo. É o que se espera de um Premium Lager. Sem muito destaque, mas bem gostosa e leve para se tomar aos montes! Seu teor alcoólico também é de boa: 4,7%.

A Ichnusa, é uma cervejaria que surgiu em 1912, em Cagliari,  Sardenha – uma ilha italiana. O nome é uma homenagem ao primeiro nome que a ilha teve.

ichnusa-logo.png

Desde 1986, a cervejaria faz parte do grupo Heineken da Itália, que ainda produz a cerveja na mesma fábrica de fundação e, segundo eles, produzem com a mesma qualidade de sempre.

Ouvi dizer que esta cerveja é um orgulho para os moradores da Ilha. E, pelo que li no site da cervejaria, eles morrem de orgulho de representar a ilha no cenário cervejeiro e morrem de orgulho do local de onde vêm. Tanto que na garrafa da cerveja vem escrito “Anima sarda”, traduzindo: Alma Sardenha. Bacana!

Interessante: Segundo eles, para tomar a cerveja existe um rito: A tampa tem que ser aberta com um guardanapo, para que a qualidade da cerveja se mantenha intacta. 🙂


O prato desse #tbt, ao mesmo tempo que me enche a boca d’água, me lembra de um fato inusitado que não me agradou.

Como já citei em algum tbt anterior, as pizzas lá são individuais. Claro que você pode pedir uma e depois um prato para compartilhar. Mas eles torcem o nariz. Como o recheio é pouco, entramos nessa onda, e pedíamos sempre uma pra cada. Aí estão as pizzas que pedimos em um restaurante em Roma.

Eu pedi a pizza de parma. Veja que é só uma mussarelinha ali, algumas fatias de parma, UM tomate e UMA azeitona. Tirando o tamanho, é individual mesmo!

O problema vem agora. A que Thiago pediu era uma de pepperoni. E o que veio? Bastante abobrinha e berinjela. Deus é pai que não era a minha! Chamamos o garçom e perguntamos se aquilo ali seria o peperoni deles, ele disse que sim!!!! Quase procurei no Google berinjela e abobrinha em italiano! Kkkkkkk. Não foi a primeira peperoni que veio abobrinha. Pedimos em outro local, para ter certeza e vieram as abobrinhas de novo. Acreditem! Crendeuspai! Mas como Thiago gosta e estava com fome, ele não ligou MUITO. Eu devolveria!


20170601_162855

O ponto turístico é mais uma lenda italiana: A Bocca della Verità (A Boca da Verdade). É uma roda bem grande feita em mármore, com várias lendas.

1- Acredita-se que a escultura tenha sido parte de uma fonte romana antiga;

2- Acredita-se também que não passa de um tampão de bueiro, e que retrate um entre vários possíveis deuses romanos, provavelmente Oceano.

3- A melhor lenda é que para saber se uma pessoa estava dizendo a verdade ou não, era necessário que ela colocasse a mão dentro da boca. Se ela estivesse mentindo, a boca devoraria a sua mão. Os homens levavam suas esposas, principalmente para desvendar assuntos obre a (in)fidelidade conjugal. 😦

A Bocca fica do lado de fora da Igreja de Santa Maria in Cosmedin. Para tirar uma foto com a mão dentro da boca, é preciso enfrentar uma fila gigante. Fica um guardião organizando e acelerando o povo. Você tira foto até com pressa, porque ele fica gritando e fazendo gracinha com você. É divertido, para quem não está sendo o motivo da piada..hehe.

Uma observação interessante é que a Igreja, onde fica a Bocca é uma igreja a católica de rito grego, que até hoje tem uma missa celebrada nessa língua. Lá dentro você pode visitar algumas catacumbas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como eu não sabia que, neste dia, eu entraria na igreja, fui com trajes não adequados (como eles dizem). O guardião da Bocca, que também é responsável pela entrada da igreja, olhou pra mim, começou a rir e tacou 1 km de pano (sei lá como isso chama), falando que eu precisava de muito. Kkkk. Veja o resultado disso na foto! Será que eu estava à vontade?

20170601_163114

Mais fotos do entorno da Igreja:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ah. Próximo dali, haveria uma missa do Papa Francisco. Veja a estrutura montada! Ao fundo o Fórum Romano e Paladino.

20170601_165725

#TBT: Tennent’s Super – Pantheon

20170601_222647

A cerveja desse #tbt não é italiana, mas, como foi bebida nas ruas de Roma, ela faz parte dessa boa lembrança. Sim, lá existiam algumas lojas que vendiam cervejas semi-geladas. E, nós, como legítimos brasileiros, pegávamos uma para sair andando pelas ruelas escuras daquela cidade.

Essa aí é Tennent’s Super, uma Strong Lager, da Wellpark Brewery (Glasgow- Escócia), fabricada desde 1885 é a mais vendida do seu país. É uma cerveja diferente, pois é uma lager bem forte. O teor alcoólico é de 9,3%. Apesar disso, ela é bem fácil de beber, não é licorosa como as cervejas com alto teor. Você só sente o álcool no final. Seu sabor é predominantemente maltado (doce), com um amargor bem leve no final. Adorei!

A Wellpark Brewery é uma cervejaria situada em Glasgow, Escócia. Fundada em 1740, por Hugh e Robert Tennent, comprada pela antiga Inbev.


O prato não pode ser diferente né?! Afinal, a Itália “foi feita” pra comer! Esse aí é o Talharim à bolonhesa (tagliatelle alle bolonesi). Infelizmente, não lembro o nome do restaurante. Mas, na Itália, não tem erro. Entre em qualquer “biboca” que você vai comer deliciosas massas e molhos! Fotinho para dar água na boca.

20170531_143817.jpg


O ponto turístico é mais um lugar superconhecido da Itália: o Panteão (Pantheon). Construído em Roma, por volta de 125 d.C., sua cúpula é ainda hoje a maior cúpula de concreto não reforçada do mundo. Isso deixa muito arquiteto encucado! Nessa cúpula, fica um “buraco” redondo, por onde entra o sol.

20170531_155213

A construção é um “trem”gigantesco. E, como a praça onde fica é bem pequena, você não consegue ver e muito menos tirar foto dele todo. Ah, e na praça ainda tem uma fonte gigante (que novidade, fonte na Itália). A localização é bem gostosa, tem alguns restaurantes, sorverterias etc.

O Pantheon é uma das mais bem preservadas estruturas romanas antigas, e olha que sempre esteve em uso. Hoje, é usado como uma igreja católica, onde acontecem missas e celebrações todos os dias. Do lado de dentro, é tão espaço que cabem as celebrações, com as centenas de turistas curiosos, como eu!

20170531_153818

Lá também encontram-se as tumbas dos reis da Itália: Vittorio Emanuele II e Umberto I, além da tumba do famoso pintor Raffaello Sanzio (Rafael).

Vamos de fotos!

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

#TBT: Dreher – Coliseu (Roma)

20170529_193305.jpg

A cerveja deste #tbt é mais uma legitima italiana: a Pilsen da Dreher Birra. Fabricada desde 1773, é a primeira cerveja italiana. E que responsabilidade, hein?! É uma cerveja bem leve com o final um pouco amargo. Ideal para ser bebida no dia a dia. Sim, ela também tem milho, porém não é aguada como as daqui. Seus ingredientes são: água, malte de cevada, milho e lúpulo. O seu ABV é 4,7%.

A história dessa cervejaria é meio confusa. Então não entrarei em detalhes. Mas, conclui que ela foi criada em Trieste, na Itália, por uma família de tradição cervejeira, os Dreher, em 1773.

índiceComo a família é de cervejeiros, Anton Dreher, um dos filhos do mestre cervejeiro Franz Anton Dreher (que criou a Dreher),   começou a administrar a cervejaria da família e passou a produzir cerveja também, se não me engano, em Viena (Áustria), em 1841, e tornou-se o primeiro “Lagerbier” do mundo. O primeiro a fabricar uma lager, cerveja de baixa fermentação de alta qualidade.

Desde 1974, a produção e comercialização da cerveja Dreher na Itália é gerenciada pela Heineken Itália SpA, com sede administrativa em Milão .


O prato do dia é o Spaghetti a Carbonara. De tudo que comi no país das massas, essa foi a melhor. Ô trem delícia!

Não lembro o nome do restaurante. Só lembro que ele ficava no Vaticano.


O ponto turístico foi mais um sonho realizado. Símbolo do Império Romano, enfim chegou meu dia de conhecer o Coliseu (Colosseo)!

20170531_095359.jpg

O Coliseu é o maior anfiteatro já construído. Ele foi erguido no centro de Roma, em 70 e 90 d.C (núuu). Estimasse que ele poderia abrigar entre 50 a 80 mil espectadores. O local recebia combates de gladiadores que lutavam entre si e com animais, além de receber espetáculos públicos.

Os primeiros combates disputados para comemorar a conclusão do Coliseu duraram cerca de 100 dias e se estima que, só nesse período, centenas de gladiadores e cerca de 5 mil animais ferozes tombaram mortos.

As apresentações de luta no Coliseu eram gratuitas. Os espectadores se dividiam nas arquibancadas em cinco diferentes setores conforme sua posição social. Os senadores de Roma sentavam bem próximos da arena de combate, as pessoas de baixa renda, por exemplo, ficavam no último piso do estádio. Havia uma entrada exclusiva que dava acesso ao camarote destinado ao imperador romano e seus convidados. Essa tribuna especial ficava num ponto privilegiado do anfiteatro, bem próximo à arena, onde o imperador era reverenciado pelos gladiadores antes dos espetáculos com uma saudação que se tornaria famosa: “Salve, César! Aqueles que vão morrer te saúdam”.

batalha naval.jpg

Sabia que até encenação de batalhas navais eram feitas lá? A arena era inundada parcialmente, através da água vinda de aquedutos, para que as embarcações pudessem flutuar. Depois a água era rapidamente escoada por canais.

Lá você pode alugar um àudio-guia que conta muitas histórias.

 

Embora parcialmente arruinado por causa de danos causados ​​por terremotos e saques, o Coliseu é ainda um símbolo da Roma Imperial. É uma das atrações turísticas mais populares da capital italiana, que recebe em torno de 4 milhões de turistas.

Ao entrar, você fica imaginando “como eles conseguiram, naquela época, construir algo tão complexo e imponente?”. Apesar de ter perseverado bastante coisa, lá você tem que trabalhar com a imaginação. Imaginei aquelas arquibancadas lotadas e, lá no centro, as batalhas “comendo soltas”. Embaixo da arena, tem uns labirintos, onde ficavam os animais e os gladiadores para entrar em cena.

Embaixo tem as fotos das ruínas dos labirintos e depois das arquibancadas. Use a imaginação!

Em 1990, o Coliseu foi reconhecido como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Em 2007, o Coliseu foi inserido entre as novas Sete Maravilhas do Mundo.

Amei conhecer! Amo ver de perto esses lugares que só vemos na TV.

20170531_115141

Felicidade!

#TBT: Birra Baladin – Fórum Romano (Roma)

stout baladin
Stout

#tbt com cerveja artesanal italiana? Vemos por aqui. Essa foi a única cerveja artesanal que tomei na Itália. Não por falta de opção, mas porque meu objetivo lá foi somente para conhecer as cidades, os pontos turísticos, então não me preocupei em procurar cervejarias.

O tempo era corrido, então consegui selecionar uma só, que foi o Open Baladin, bar da Birra Baladin. Como tomamos várias lá, não falarei de uma específica. Todas que tomamos eram deliciosas.

O Open Baladin conta com mais de 200 rótulos de cervejas especiais, dessas, 40 são de produção exclusiva da Baladin. Algumas são servidas em garrafas, outras na torneira, como dizem por lá: “birre alla spina”.

Achei as coisas lá bem carinhas. Mas, vale a pena cada gota bebida e cada batata comida. É um local bem descontraído, muitos jovens, música e fica no centro de Roma.

Ah, o cardápio também é variado. Comemos a batata rústica com molhos especiais.

Vejam as fotos. O local é bem escuro, por isso as fotos não ficaram muito boas.

baladin botelha

A história da Birra Baladin começa em 1986, depois que Teo Musso (fundador), tomou uma cerveja Belga. Ele ficou tão encantado com aquilo, que resolveu abrir um bar, em Piozzo (Turim -Itália), chamado Le Baladin que venderia cervejas especiais, com destaque para as Belgas. Mas ele tinha um grande desafio, pois, Turim é conhecida por produzir um dos melhores vinhos italianos. E o seu desafio era implantar a cultura cervejeira por ali.

logo_baladin.jpg

Teo viajou para a Bélgica, aprendeu a fazer sua cerveja e, em 1996, passou a produzir e comercializar a Birra Baladin. Hoje, é uma das maiores cervejarias artesanais da Itália, que conta com mais de 30 variações de sabor em suas garrafas de formato super diferente.


A comida deste #tbt é mais um prato típico italiano que comemos em Roma. A lendária Lasanha à bolonhesa. Não é muito diferente das que comemos por aqui. Vai uma foto para dar aquela água na boca, acompanhada de uma Nastro Azzurro, cerveja que já falei por aqui.

20170601_232913.jpg


IMG_3233

E o ponto turístico é um local onde os romanos láaa de antigamente, antes de Cristo, usavam para ostentar e, hoje, são ruínas carregadas de história: o Fórum Romano.

Ali, funcionava o principal centro comercial da Roma Imperial. Era no Fórum que aconteciam as cerimônias triunfais e de eleições, onde eram realizados discursos públicos, os processos criminais, os confrontos entre gladiadores, e o centro dos assuntos comerciais. Muitas decisões ali tomadas, afetam até hoje a vida de milhões de pessoas.

O Fórum é enorme, tem que ter muita “perna” para poder conhecer tudo. Eu, sinceramente, não dei conta de ir em tudo. Mesmo porque era bem confuso. Alguns lugares não tinham placas.

20170531_132745.jpg

A história do local começou aproximadamente em 600 a.C. Vários Imperadores passaram por ali, e cada um mandava construir Templos, Basílicas, Arcos para marcar sua passagem. Em 608 d.C. foi construído o último monumento do Fórum Romano. Ou seja, foram 10 séculos de construções.

Os monumentos construídos pelos imperadores se decaíram junto com o Império Romano e se tornaram ruínas. Os mármores e pedras preciosas que restaram foram extraídos, destruindo quase que completamente o local. O Fórum ficou completamente abandonado por muitos anos e, grande parte dos monumentos, ficaram soterrados, que acabou por preservá-los. A grama tomou conta, e acabou virando pasto por alguns anos.

No início do século XIX, foi dado início aos primeiros trabalhos de escavação. Até hoje, arqueólogos ainda descobrem algo por lá. Mais fotos…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Perto dali fica o Palatino, 40 metros acima do Fórum Romano. Lá do alto existem seis mirantes que tornam possível ver vários pontos turísticos de Roma, do Fórum à parte do Vaticano e Coliseu. Muito legal. Mas a história dele é muito extensa. Vou ficar devendo!

Não tenho a história, mas tenho fotos!!! Veja mais aí!

Este slideshow necessita de JavaScript.

#TBT: Birrificio Poretti – Vaticano

20170529_010346

O #tbt de hoje é com mais uma cerveja original da Itália: a Tre Luppoli da Birrificio Angelo Poretti. Uma cerveja fabricada com três variedades de lúpulo. Mesmo assim,  é leve, sem muito amargor, com um sabor bem equilibrado e refrescante. É uma lager perfeita para o dia-a-dia. ABV: 4,8%

A Birrificio Angelo Poretti é uma cervejaria italiana, fundada em 1877, por Angelo Poretti, em Valganna, na Itália.  Em 1982, o Grupo Carlsberg comprou 50% das ações da empresa, seguido em 1998 por mais 25%. Em 2002, o grupo dinamarquês adquiriu os restantes 25% e, assim, obteve a propriedade total da Angelo Poretti.

logo angelo porettiSuas cervejas são baseadas em diferentes combinações de lúpulo. E o nome delas tem relação com a quantidade de lúpulos usados como a Tre Luppoli (3), 4 Luppoli, 5, 6…tem até 10 e as Reservas de Cervejaria como a Pale Ale e a Brown Ale.


O prato deste TBT foi a primeira massa que comi em Roma: o Nhoque com espargos e parmesão (Gnocchi con asparagi e grana). Uma delícia que comemos no Eden Barberini Bistrot.


20170530_103938-e1531272546398.jpg

O ponto turístico desta vez é um mundo à parte dentro de Roma: o estado do Vaticano.

Confesso que antes de ir, eu nunca havia lido ou estudado nada sobre o Vaticano. A única coisa que sabia que era a “cidade” do Papa, na Itália, onde ele fazia umas missas de vez em quando e que lotava de fiéis da Igreja Católica. Nada mais!

Quando cheguei lá, fiquei super curiosa pela história que gira em torno daquele Estado. Quando cheguei no hotel, não consegui dormir. Passei a noite no Google, lendo sobre aquele lugar e seus mitos e verdades.

Não vou falar tudo aqui, porque precisaria de um e-book para isso. Mas falarei sobre curiosidade e o que achei interessante por lá. Não, o Papa Francisco não estava na janelinha quando fui. Olha  a janelinha ae (essa do meio)!

20170530_100155

Curiosidades:

– Vaticano tornou-se um Estado em 1929.

– o Vaticano é um Estado independente, com selos e moeda própria e que tem como chefe de governo o Papa.  Os poderes executivo, legislativo e judiciário são comandados por ele;

– O local tem cerca de 800 habitantes, a maioria funcionários da igreja, de diversas nacionalidades. Aproximadamente 450 pessoas têm cidadania do Vaticano. Não é qualquer um que pode morar lá. Para ser habitante do Vaticano é preciso autorização.

guarda vaticano

– A segurança é constituída pela Guarda Suíça Pontifícia, composta por oficiais/guardas de nacionalidade suíça.

– Os soldados da Guarda Suíça, que são as Forças Armadas do Vaticano, devem ser celibatários, cumprir rituais litúrgicos e não podem dormir fora do Vaticano. Achei muito bonitinha a roupa deles…rs

– Por questões de ordem religiosa, solteiras de até 22 anos de idade de famílias constituídas residentes no Vaticano não podem morar nos limites do Estado. Hã?

– O Estado é cercado por um muro. Na foto abaixo o muro está no nosso lado esquerdo.

20170601_124732

Basilica di San Pietro

A fila para entrar, tanto na Basilica di San Pietro (São Pedro) quanto no Museu do Vaticano,  é gigantesca. A da Basílica anda rápido. A do museu não, por isso é importante comprar antes a entrada pro Museu.

20170530_093836-e1531273374561.jpg

Em frente à Basilica fica a Piazza di San Pietro, onde os fiéis aglomeram em dia de missa. A gente vê a Basílica assim de frente e não imagina o quanto ela é gi-gan-tes-ca! E tem uma verdadeira multidão dentro dela (fotos abaixo). Vocês vão reparar que lá dentro eu estou com outra camisa. Pois, não pode entrar com o ombros nem joelhos à mostra. Ah, e não sei porque, mas não podia pisar nessa faixa do meio que está aí nessa primeira foto.

20170530_11471320170530_113829

Dentro da Basílica, fica também a famosa estátua Pietà, de Michelangelo, feita em mármore. Ela fica protegida por vidros blindados depois da tentativa de depredação por um maluco. É difícil demais tirar uma foto dela. Gente demais!

Tem também a estátua de bronze de São Pedro, feita por Arnolfo de Cambio. A fila por ali é gigante, formada por fiéis que andam e passam a mão, beijam o pé da estátua. Passam somente no pé direito, tanto que eles está desgastado, nem dá pra ver a divisão dos dedos mais. Não tirei foto de perto pois não dá pra chegar perto. E chega de fila.

Outro monumento gigantesco é Baldaquino, feito por Bernini, de bronze dourado, com quase 30 metros de altura. É o altar papal. Somente o Papa pode celebrar missa ali. Ele está exatamente sobre o suposto Túmulo de São Pedro, que fica ali debaixo,na Necrópole.

20170530_113042.jpg

Você já ouviu falar em Necrópole? É uma cidade que fica embaixo do Vaticano, onde ficam túmulos e mausoléus de famílias romanas ricas e de alguns papas. É possível visitá-la, mas eles não divulgam muito isso. Não consegui agendar minha visita,  pois tem que ser com muitos meses de antecedência. Dentro da Basílica tem uns “bueiros”que dá pra ver que existe algo passando pelo subsolo.

Em uma das dezenas de capelas lá de dentro, está o túmulo do Papa João Paulo II. Nas capelas você pode entrar e rezar à vontade. Algumas podemos tirar foto, outras não. Os confessionários e as capelas com missa não podemos tirar fotos.

20170530_114931.jpg

Subi na cúpula, onde dá pra ve r o Vaticano lá do alto. Quem tem claustrofobia, não é muito legal de ir. Pois o espaço vai se estreitando a medida que você sobe. É terrível, passa morcego. Se você cansar ou passar mal, nem o Papa te tira de lá. Imagina você ter um mal estar nessa escada de caracol e tem uma fila gigantesca na sua frente e atrás de você? Aiaiai. Mas, vale a pena a vista. Fotos abaixo. A primeira foto é a casa do Papa.

Museu do Vaticano

É outro lugar a ser visitado no Vaticano. É gigante também.

Com esculturas, sarcófagos e pinturas dos mais conhecidos artistas. Aí depende do seu interesse para parar nas que tem mais interesse. Lá tem uma janela que dá pra ver o jardim da casa do Papa.

No final do museu, tem a Cappella Sistina, decorada com pinturas dos maiores mestres italianos, como Perugino, Botticelli, Cosimo Rosselli, Domenico Ghirlandaio, Pinturicchio, Piero di Cosimo, Luca Signorelli e Michelangelo, que pintou no teto o imenso e famoso Juízo Universal, obra que demorou cinco anos para ser terminada. É linda, realmente.

Antes de entrar, tem uma placa falando que é proibido tirar foto e falar lá dentro. Mas o que você mais vê é uns “João sem braço” fingindo que não estão tirando foto, e um bando de sem educação que não para de falar. É um lugar fechado, abafado e tem uma multidão lá dentro olhando pro teto. E essa falta de educação chega a irritar, porque agita o lugar e os seguranças ficam o TEMPO TODO GRITANDO: “NO FOTO, NO FOTO”. “SILENCE, PLEASE”; “SILENCIO”; “XIIIIU”; “É UM LOCAL SAGRADO”; “SACRO”.

Afinal, é lá na Capela Sistina que se realiza o conclave, processo de escolha do novo Papa. Lá você vê a chaminé de onde sai a fumacinha preta ou a branca: Habemus papam.

A foto abaixo não é minha peguei no google.

capela sistina

É muita informação. Não tem como fazer um post pequeno sobre o Vaticano. Mi scusi! Sorry! Desculpe me!

Mais umas fotos do lado de fora.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

#TBT: Birra Menabrea – Fontana di Trevi (Roma)

tbt-original.jpg

E o #tbt de hoje é com essa legítima italiana: a Birra Bionda (Cerveja Loira) da Birra Menabrea. Uma Premium American Lager, que leva, sim, o famoso milho. Porém, é uma cerveja feita com qualidade. Com aroma e sabor maltados e o amargor é bem leve. Não é como “as de milho” daqui, mesmo porque não sabemos a quantidade usada. Em geral, é uma cerveja leve, fácil de tomar!  Seu ABV é 4,8% 😊

menabrea.png

A Birra Menabrea surgiu em 1846, na cidade de Biella (próxima a Milão e Turim), na Itália. Seu nome é inspirado no sobrenome dos seus criadores. São produzidos anualmente cerca de 100 mil hectolitros de cerveja, parte para exportação em vinte países.

Além da Bionda, eles fabricam também a Ambrata (Premium Amber); a Strong (Premium Strong); a Rossa (Double Malt); a Weiss (Unfiltered); a 1846; e as comemorativas de 150 anos da cervejaria.


O prato do dia é essa maravilha de calzone. É mais um prato que os dois “zoiudos” pediram um para cada. Não lembro o recheio. Mas, por lá, as massas não vem com recheios com muito incremento igual aos nossos. Devia ser molho de tomate com calabresa . Aí você pede achando que vai vir um “trem” pequeno. Mas chega essa massa desse tamanho. E, para variar, um olhou pro outro, respirou fundo, e falou: Bora que temos muito pra andar. Delicioso! Comi tudo, viu mãe! Olha minha cara de: Vamos lá!


O ponto turístico é o lugar mais cheio que já vi na minha vida: A Fontana di Trevi. É um dos principais pontos turísticos de Roma. Você pode ir lá em qualquer hora. 9h da manhã, 23h, qualquer hora está lotado, com uma pessoa em cima da outra. É difícil achar um espacinho para tirar uma foto.

20170531_184429.jpg

Historinha: Teve uma moça que saiu do lugar em que estava e eu entrei no lugar dela pra tirar uma foto. Ela começou a me xingar, nervosa. Eu falei: Calmaaaa moça! Vou tirar uma foto só e saio! Aí ela viu o exagero dela e me pediu desculpas. Depois que tirei a foto, saí e ela estacionou lá de novo. Ai gente! Tanta coisa para fazer em Roma, e tem gente que fica pendurada em uma fonte. Me poupe!

A fonte é realmente linda! Eu cheguei e custei para conseguir fechar a boca. Grande (é a maior de Roma, com cerca de 26 metros de altura e 20 metros de largura), com os monumentos branquinhos e a parte da água azulzinha. É muito linda mesmo. Mas precisa ficar essa multidão o tempo todo lá? Estou achando que tem gente que não fica em hotel, fica na fonte. Não é possível.

fontana di trevi

De acordo com a história, a fonte foi construída em 19 a.C. Porém, seu aspecto final data de 1762. O nome de Trevi deriva de Tre Vie (três vias), já que a fonte era o ponto de encontro de três ruas.

Existe a tradição de atirar uma moeda de costas para a fonte para poder voltar à Roma. Em 2016, foram recolhidos um milhão e meio de euros que foram usados em projetos beneficentes.

Vejam aí mais fotos desse “trem” lindo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

#TBT: Tuborg – Piazza del Popolo (Roma)

20170528_212115.jpg

O #tbt de hoje é com esta pilsner dinamarquesa, a Green Tuborg. Uma cerveja comum, normal para os padrões internacionais. Feita com água, levedura, lúpulo e malte lager, um tipo de malte levemente tostado. Seu sabor é adocicado, super suave. No final, tem o típico amargor moderado de uma cerveja bem fabricada. ABV: 4,6%

logo tuborg

A Tuborg foi fundada em 1873 por Carl Frederik Tietgen, com sede em Hellerup, um distrito do norte de Copenhague. O nome Tuborg está relacionado ao nome da rua onde foi fundada a cervejaria. Ela produziu a primeira cerveja tipo pilsner da Dinamarca em 1880 e a embalou em garrafas com um rótulo verde distinto. Tornou-se instantaneamente popular entre os dinamarqueses.

Em 1969, foi comprada pela empresa Carlsberg. Hoje, a Tuborg se tornou uma marca internacional, presente em 70 países.


O prato é um divino Penne a Carbonara e uma lasanha do Restaurante Il Nuovo Faro di Angelo e Pierangelo. Deliciosos. Esse dia optei por um vinho da casa. A sobremesa foi o Tiramisù, uma sobremesa tipicamente italiana.


O ponto turístico do #tbt enfim chegou em Roma. Ahhh, Roma. Uma aula de história em cada esquina que se passa!

20170529_172459

Hoje vou falar da Piazza del Popolo (Praça do Povo), uma praça diferente que tem portal para entrar nela, local que, conforme a história, o imperador Nero morreu e foi sepultado. E, como tudo em Roma, é pura história.

A praça é gigante. Em seu centro, está o obelisco Flamínio, com seus 24 metros de altura, chegou em 1589, vindo do Egito.

Na entrada da praça, está a Santa Maria del Popolo (ou Basílica de Santa Maria do Povo), que abriga várias obras de artes. E, para quem gosta do filme Anjos e Demônios, aqui fica a Capela Chigi: Que tem uma pirâmide (símbolo pagão dentro de uma Igreja Católica) e o Anjo (estátua de Habacuque, de Bernini) que aponta para o chão da capela, que tem a pintura que chamam de Morte Alada.

Além dela, tem as duas igrejas gêmeas, como são chamadas por serem bem parecidas: a Santa Maria in Montesanto e Santa Maria dei Miracoli ou dos Milagres. Em uma delas tinha uma arte bem no centro, que era uma cabeça pendurada. Ai, não gostei daquilo.

Subindo uma escadaria de 135 degraus por ali, tem-se acesso à Piazza di Spagna, onde dá para ver a Piazza del Popolo pelo alto.

Este slideshow necessita de JavaScript.