#TBT: Löwembräu – Chinesischer Turm (Munique)

loowembrau

O #tbt de hoje é com mais uma cervejaria tradicionalíssimas de Munique: A Löwenbräu. A Munich Dunkel deles, não diferente das outras, é uma delícia. Uma cerveja mais escura, com sabor de malte, encorpada. É bem equilibrada, em que o amargor do lúpulo dá pra sentir bem pouco e o doce é ligeiramente sentido também, com notas de caramelo. Em sua fabricação são usados como base maltes torrados especiais.

O teor alcoólico é 5,5%. Interessante que divulgam seu valor calórico que é 48 kcal. De boa!

Essa nós tomamos no bar da Franziskaner, o Zum Franziskaner. Isso mesmo, tomamos uma marca na cervejaria de outra marca…rs Isso porque, em 2003, a Franz fundiu-se com o grupo que produz algumas cervejas, e a Löwenbräu, assim como a Spaten, fazem parte desse grupo.

Um detalhe que tem em alguns bares por lá é esse cobertor. Alguns bares deixam cobertores individuais nas cadeiras. Como estava ventando muito, logo dei um jeito de enrolar no meu.

20170524_171558

Tomamos também a original da Löwe, que é super padrão alemão de ser. E o tira gosto? Hummm…esse sim, foi diferente e gostoso: o Bayerische Freilandente. Traduzindo na prática… Pato assado com bolinhos de batatas e repolho vermelho cozido com molho de maçã. Eitaaa!

lowenbrau sloganA Löwembrau  é mais uma das tradicionais da Bavaria. Foi produzida pela primeira vez em 1383. Porém, somente em em 1524, em Munique, num lugar conhecido como “Löwengrube” (cova dos leões), que foi construída uma fábrica de uma cervejaria que mais tarde ficaria famosa no mundo: a Löwembräu, que significa “cervejaria do leão”, animal que também faz parte da logomarca.

Como eu disse anteriormente, em 1997, com o objetivo de manter a presença e crescer, ela se fundiu com a Spaten. Em 2003, a marca foi adquirida pela Inbev (atual Anheuser-Busch InBev), iniciando um forte período de expansão internacional.

A cervejaria também  é uma das 6 cervejas oficias da Oktoberfeste de Munique. Junto com a Augustiner, Hacker-Pschorr, Hofbräuhaus, Paulaner e Spaten-Franziskaner. E a Löwe participa desde a primeira edição, que aconteceu em 1810.

loewenbraeu-oktoberfest.jpg


O ponto turístico desse post é a Chinesischer Turm (Torre Chinesa), que fica no Englischer Garten, um imenso jardim, onde você vê de tudo. Gente fazendo piquenique, passeando, andando de bicicleta, fazendo nude ao vivo…rs. Sim, vimos um peladão por lá, pegando energia do sol.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

20170524_154040.jpg

Adentramos no jardim para achar a tal torre e tomar umas. Andamos muito, pois não conseguíamos achá-la. É imenso mesmo. Enfim, achamos a torre que foi construída em 1790, com 5 andares e 25 metros de altura. Como muitos monumentos em Munique, foi bombardeado na 2ª Guerra e reconstruído.

No pé da torre, tem um grande biergarten com comidas típicas alemãs e muita HB para tomar. Quando fomos não estava muito cheio. Vimos turistas orientais, americanos e nativos que estavam ali para almoçar e beber (sim, lá é costume beber aquele copo de 1 litro durante o almoço. Devem ser curtidos).

É um lugar bem gostoso para descansar um pouco da bateção de perna turística.

Veja mais fotos:

TBT: Radeberger – QBA – Chocolateria Rausch Schokoladenhaus (Berlim)

O #tbt de hoje é com esta pilsner –  da RadRadebergereberger Exportbierbrauerei. Segue o padrão alemão de qualidade, com a Lei da Pureza “debaixo do braço”. Tem o sabor bem equilibrado, com o dulçor de malte perceptível no início e, no final, um leve amargor. Aliás, ela tem aromas e sabores marcantes de lúpulo, já que usam um pouco mais de lúpulo que a maioria das pilsners. Enfim, é uma cerveja excelente, refrescante. E, como não poderia ser diferente das pilsners alemãs, apesar de ser mais encorpada, sua drinkability está lá em cima. Seu teor alcoólico é de 4.8%, bem levinha!

Radeberger Logo BWV.svgRadeberger Exportbierbrauerei ou somente Radeberger Pilsner foi fundada em 1872, na cidade de Radeberg, nas proximidades de Dresden, Alemanha. Ela foi a primeira cervejaria da Alemanha a fabricar cerveja exclusivamente Pilsner. E até os dias de hoje ela somente fabrica este estilo, na mesma cidade. Eles não fabricam em outros locais, pois, segundo eles, isso faz com que a cerveja tenha um sabor consistente em todo o mundo. Ou seja, há mais de um século que eles fabricam a mesma cerveja com o mesmo padrão no mesmo lugar!

Mas isso de não fabricar em outros países para manter o padrão é meio controverso. Quantas cervejas importadas chegam aqui com o sabor alterado devido às longas viagens? Mas também existem cervejas que são fabricadas em vários países e que não mantêm o mesmo padrão.


logo

Essa nós tomamos em um restaurante cubano chamado QBA. Seu interior é todo decorado com alusões à Cuba. Os espaços interno e externo são pequenos. No dia em que fomos, estava lotado. Tinha uma banda cubana tocando músicas cubanas (claro) e estava super animado. Muitas pessoas de pé dançando, cantando. Diferente de todos os restaurantes/bares que entramos em Berlim. Ele fica no Mitte.

E a comida? Meu D-E-U-S do céu! Foi o único lugar que encontramos comida descente por lá. Arroz? Feijão? J-E-S-U-S amado!! E olha que nem sou fã de arroz e feijão assim. Era pra comer ajoelhados. O prato para dois veio farto. A gente não aguentaria comer tudo em circunstâncias normais. Mas era comida de verdade! Não era batata, salsichão, joelho de porco e bretzel!! Respira fundo “mô-fi”, que cabe mais!  🙂

20170520_221819

O prato que pedimos foi essa beleza aí chamada “Plato QBA” – filé de porco grelhado, mandioca, legumes frescos, congris (nosso arroz com feijão preto), bananas verdes cozidas e salada (25 euros). Não tem nada demais. Mas fica 4 dias comendo salsichão com batata pra você ver. A Radeberger custou 4,50 euros – 500 ml.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gostou? http://www.qba-restaurant.de


Hoje o post vai ficar grande, isso que dar ficar muito tempo sem escrever.

h

E o ponto turístico de hoje não é um monumento, igreja…mas que, mesmo assim, deveria ser parada obrigatória em Berlim: a Chocolateria Fassbender & Rausch ou Rausch Schokoladenhaus. Se eu rezei aquilo tudo ali em cima quando eu vi o arroz e o feijão, imagina o quanto eu rezei, babei, salivei quando entrei dentro dessa loja?

Fundada em 1863, é a primeira “chocolateria-café” da Alemanha.

Na loja, ao entrar você se depara com diversas réplicas de monumentos como a Torre de TV de Berlim, o Portão de Brandenburg, o Titanic, ursão, avião, todos feitos de chocolate!! Vontade de “cair de boca”. Fora essas maravilhas a parte, lá tem uma infinidade de bombons, barras, trufas que a gente não sabe qual escolher.

Já na chocolateria-café é servido as mini tortas artesanais, trufas, pralinês e outras sobremesas que vêm diretamente da fábrica de chocolate. Não é o paraíso? Seria, se os preços não fossem um pouquinho altos.

Se tiver por lá, não deixe de ir. Certeza que vai sair com pelo menos umas 10 trufas na mão! Aí vai o site porque eu não sou obrigada a salivar sozinha www.rausch.de :p

Mais fotos para você salivar comigo!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chega né? Escrevi o post inteiro salivando..rs

#TBT: Allgäuer Büble Bier – Pergamonmuseum (Berlim)

20170520_001013.jpg

A cerveja do #tbt desta vez é Edel Weiss Bier da Allgauer Büble Bier. Uma cerveja de trigo de estilo alemão, feita com ingredientes nobres, que é o que sugere a palavra “Edel”. Feita com água, malte de cevada, extrato de lúpulo, lúpulo. Com o sabor frutado (banana), seguido de um aroma delicado de lúpulo, que também dá um pouco de amargor à cerveja. Uma cerveja agradável de tomar.

Álcool: 5,3%

A Allgauer Büble Bier faz parte do grupo Allgäuer Brauhaus AG, fundado em 1911, que tem sede e origem em Kempten (centro urbano da região campestre do Allgäu), localizado na Bavaria, Alemanha. O grupo fabrica uma grande variedade de cerca de 20 cervejas diferentes.

logoO rótulo da Allgauer Büble Bier trouxe muita polêmica na Alemanha, por ter uma criança segurando uma jarra de chopp. Porém, eles explicam que este rótulo simboliza um costume antigo em Allgäu: antes, quando a cerveja ainda não estava disponível no mercado para comprar, elas eram servidas apenas em barris e, para consumi-las, era necessário ir no local de fabricação. Com isso, os pais mandavam seus filhos nos locais para pegar a cerveja fresca, direto do barril, e levar para casa na jarra.

A Allgauer Büble Bier surgiu em 1950 e, hoje, contém 7 tipos de cervejas: Edelbrau, Bayrisch Hell, Edel Weiss Bier, Edel Weiss Alkoholfrei, Urbayrisch Dunkel, Radler, Fest Bier

todas.jpg


O ponto turístico do #tbt de hoje é com o Pergamonmuseum (Museu Pergamon), localizado na Ilha dos Museus, centro de Berlim, onde encontram-se mais quatro outros museus. Construído entre 1910 e 1930, hoje, ele é o museu mais visitado de Berlim. É enorme! Demoramos por volta de duas horas para explorar suas três alas monumentais.

avatar

 

O museu está organizado em três partes: Coleção de Antiguidades Clássicas;  Museu do Antigo Oriente Médio; e  Museu de Arte Islâmica.

O que mais me fascinou foi o de “Antiguidades Clássicas”, pois adoro as histórias da Grécia e Roma antiga. Ao entrar, você se sente dentro da história, pois há obras de arte da antiguidade grega e romana: arquitetura, esculturas, inscrições, mosaicos, bronze, jóias e cerâmica. E o áudio-guia conta cada detalhe. Parece mesmo que você está passando por aquela época.

Obs: Não tinha áudio-guia em português, tive que ouvir aquela mulher com voz estridente falando em espanhol. 🙂 

 

As principais exposições são: o Altar de Pérgamo, do século II aC, construído para Zeus, na antiga cidade grega de Pérgamo (que atualmente chama-se Bergama e faz parte da Turquia). Ele foi encontrado durante escavações, no final do século XIX, levado para Berlim e reconstruído em seu tamanho original. Foi feito com escadarias em mármore, colunas e friso em baixo-relevo que exibem a batalha entre os deuses e gigantes da mitologia. Não tivemos acesso, pois ficará fechado até 2020 para reforma. ☹

altar-de-zeus-en-pergamo
Imagem retirada do site: http://www.auladehistoria.org

E a outra atração é o Portão do Mercado de Mileto, com 17 metros de altura e 29 metros de largura, era um portal que dava acesso ao mercado da antiga cidade de Mileto (atualmente Turquia).

 

Saí de lá com o pescoço doendo. Mas, valeu a pena!

Veja mais fotos aí embaixo. Algumas ficaram ruins porque a câmera do meu celular não é muito boa para tirar fotos em locais com pouca luminosidade. E lá não pode entrar com câmera grande.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

#TBT: Berliner Kindl – Holocaust-Mahnmal (Berlim)

Berliner KindlO #tbt de hoje é essa deliciosa pilsner da Berliner Kindl, uma cerveja tradicional em Berlim. Onde íamos, ela estava na prateleira. É uma pilsner clássica, feita de acordo com a Lei da Pureza Alemã: água, malte, lúpulo (extra-finos) e leveduras. Como foi feita dentro dos padrões, o gosto é o mesmo das demais: amargor médio equilibrado com o leve doce do malte, no finzinho sente o amargo. Tem gosto de Berlim…rs

Com 5,1% de teor alcoólico, ela é uma cerveja clara, leve, ideal para dia a dia. Esta, nós bebemos no mesmo “butequinho” perto da Alexanderplatz.

A Cervejaria Berliner Kindl é uma das mais antigas da Alemanha, fundadcopoa em 1872 por um grupo de empresários com objetivo de produzir o tradicional estilo berlinense para enfrentar a então novidade das lagers bávaras. A cervejaria cresceu rapidamente Logomarcanos primeiros anos, mas, como toda Alemanha, sofreu muito nas duas grandes guerras. A retomada veio apenas na década de 50 através do suporte do mega grupo Raderberger.

 


Holocaust_memorial_tree

O ponto turístico deste #tbt é o Memorial aos Judeus Mortos da Europa, também Memorial do Holocausto (Holocaust-Mahnmal), localizado no Tiergarten, em Berlim. É um memorial, inaugurado em 2005 (60 anos do fim da Segunda Guerra Mundial), em homenagem aos seis milhões de judeus mortos durante o regime nazista. São 2.711 blocos de concreto, cinza escuro, em uma área de 19.000 metros quadrado com terreno ondulado. A altura dos blocos varia de 0,2m até 4,8 metros, dando um clima de confusão quando você caminha pelo labirinto que eles formam.

É muito grande, não dá para andar muito por ele. Além disso, o clima nele é péssimo, muito pesado. Eu, por exemplo, não consegui nem sorri para tirar foto, é estranho! Os turistas caminham por ele em silêncio. Tem uns “sem noção” que sobem nos blocos. Mas logo é repreendido por algum segurança.

20170518_171814

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não sei o que tem lá, mesmo você não tendo vivido nem de perto o que passaram, te faz ficar pensando naquelas pessoas que sofreram na mão dos nazistas. E olha que nós nem fomos no “Local de Informação”. Uma sala subterrânea, onde é documentado sobre a perseguição e o extermínio dos judeus, além de guardar os nomes de todas as vítimas conhecidas do Holocausto. Arrepio só de lembrar!

Vale a pena dar uma passadinho por lá e sentir um pouco dessa história.

Até breve!