Sobre estilos: Bock

Bock

A Bock é uma cerveja da família lager, como a pilsen, ou seja, de baixa fermentação. Muitos acham que lager são cervejas claras. Mas, está aí a Bock para provar que não.

Esse estilo surgiu no século XIV, na cidade de Einbeck, no norte da Alemanha, e posteriormente recriado em Munique.

O nome “Bock” é baseado em uma variação do nome “Einbeck” do dialeto Bávaro, e usado apenas após chegada dessa cerveja em Munique. “Bock” também significa “bode” em alemão, sendo comumente usado em logotipos e propagandas.

Sua principal característica é o destaque do malte, tanto no aroma como no sabor. Os maltes torrados usados na receita dão uma coloração escura e sabor e aromas intenso, com notas de toffe e caramelo. São pouco amargas, pode ter o final seco ou doce (mas não muito).

É um estilo relativamente forte em relação ao teor alcoólico, que  varia de 6% a 7,5%.  Já em relação ao seu amargor, é levemente lupulada, com IBU entre 20 e 27.

Variações do estilo

Maibock ou Helles bock: uma versão mais clara e lupulada da bock tradicional;

Weizenbock: uma versão da bock feita com trigo. Resultando em uma cerveja de trigo forte com teor alcoólico mais elevado;

salvator

Doppelbock: , uma versão mais forte e maltada. Seu teor alcoólico pode ir até 10%. A Salvator da Paulaner é maravilhosa!;

Eisbock: uma versão muito mais forte feita pelo congelamento parcial da cerveja para posterior remoção do gelo de água que forma. Após a remoção do gelo a cerveja fica bastante concentrada e, com isso, o resultado é uma cerveja com sabor realçado e bem alcoólica, podendo chegar a 14%. Nu!!

caracu

Observação importante

Não vai confundir Bock com malzbier “pelamordedeus”. As malzbier são escuras também, porém essa coloração não vem dos maltes torrados, mas sim da adição de caramelo e xarope de açúcar, a tornando uma cerveja doce. Além disso, seu teor alcoólico é baixo, entre 0 e 4%. Falei sobre essa diferença no post Malzbier x Cerveja Escura

Cerveja no Inverno?

O inverno chegou de vez! E, para beber, do que a gente lembra?

stout

Antes da revolução das cervejas artesanais, a gente lembrava do vinho sim. Mas, graças aos nossos mestres cervejeiros e suas mil e uma possibilidade de criação, hoje, podemos encontrar no mercado diversificados estilos de cerveja para espantar de vez esse frio.

Para mim, qualquer cerveja pode ser tomada em qualquer época do ano, mas, temos que concordar que algumas têm determinadas características que combinam mais com o frio. São cervejas mais encorpadas, com sabores e aromas mais intensos e com teor alcoólico mais elevado, pois trazem uma sensação de aquecimento.

Exemplos de estilos que dão uma “esquentada no peito” são:  Russian Imperial Stout (RIS), Porter, Dubbel, Tripel, Bock, Weizenbock, Barley Wine, Scott Ale etc (Veja aqui sobre mais estilos). Amo todos esses estilos, assim como existem os “lupulomanícos” eu sou “maltemaníaca”.

Todas eles harmonizam muito bem com as comidas típicas de inverno como queijos, fondues, carne assada, chocolate e massas, que ficam excepcionais juntos!

Pra dar água na boca, vai aí dicas da mineirinha aqui, de cervejas mineiras para o inverno (observe o alto teor alcoólico delas):

loba

(estilo) Strong Scotch Ale – (cervejaria) Cervejaria Loba: Aroma profundamente maltoso, com caramelo frequentemente aparente. Esteres e álcool são presentes e lúpulo de baixo a moderado. Estão presentes notas de malte torrado ou defumado. Maltosa e frequentemente doce, sugerindo sobremesa. Corpo cheio, apresentado uma viscosidade espessa e pesada, com calor alcoólico macio, já que este equilibra com dulçor do malte. ABV: 9,0% / IBU: 60

BACKER-BRAVO

Imperial Porter -3 Lobos Bravo – Cervejaria Backer: Extremamente complexa e intensa, a Imperial Porter leva em sua receita maltes tostados, açúcar mascavo e passa por um período de maturação em madeira umburana. Robusta e aveludada traz notas amadeiradas, de canela, melaço e chocolate amargo. Seu final sutilmente adocicado traz consigo uma interjeição: Bravo! ABV: 9% / IBU: 42.5Trindade

Porter – Inhô Trindade -Cervejaria Brüder: Ela possui notas de chocolate e café extraídos unicamente de um malte muito especial, chamado Carafa. ABV: 7,0% / IBU: 20

black czarStout – Black Czar – Cervejaria Velho Brasa: Possui uma coloração escura, elaborada com maltes especiais torrados e achocolatados e tem a adição de quatro lúpulos especiais. Tem uma espuma deliciosamente cremosa além de ser bastante encorpada. ABV: 7,0%

mantrap

Barley Wine – Imperial Red Trap – Cevejaria Mantrap: É uma cerveja que leva, em sua receita, rapadura de beterraba. Sua cor é rubi intensa, enquanto sua espuma é marrom e duradoura. Seu corpo alto a torna praticamente “comestível”. Em seu sabor, impera a presença de caramelo associado à uma grande carga de lúpulos americanos, resultando numa cerveja muito bem equilibrada. ABV: 9,8% / IBU: 70

petroleumRussian Imperial Stout – Petroleum – Cervejaria Wäls: Produzida com diversos tipos de grãos escuros. Corpo aveludado, licoroso e denso. Aromas complexos de chocolate belga, café, toffee e caramelo. Amargor equilibrado. Espuma de baixa formação e longa durabilidade. Maturada com cacau extra bruto/torrado Belga. ABV: 12% / IBU: 70

jack

Dubbel – Dubbel Jack Daniel`s – Cervejaria Gerais. Foi a única que não tomei. Mas, tenho ótimas recomendações. Complexa, moderadamente forte, dulçor rico de malte, e de coloração avermelhada profunda. Elaborada com seis diferentes tipos de malte, além de um toque de baunilha. Maturada em barril de whiskey Jack Daniels. ABV: 7,1%

inocencia.png

Tripel – Inocência – Krug Bier: Esta cerveja de estilo Belgian Tripel tem aroma completo de fenóis que remetem a cravo e canela. Apresenta um fundo de frutas amarelas que fazem com que ela tenha um baixo amargor e ótimo drinkability. No entanto, apesar de parecer leve, sua alta concentração de álcool pode levar o indivíduo a agir de forma nefasta e trazer várias consequências. ABV: 8,0% / IBU: 27