Brasil tem seu segundo estilo reconhecido como estilo de cerveja brasileiro

Como já sabemos, o Brasil, até alguns dias atrás, tinha apenas um estilo reconhecido como genuinamente brasileiro, o estilo Catharina Sour. Porém, agora temos mais um estilo reconhecido mundialmente como brasileiro: o Brazilian Pale Ale, apelidado por aqui de BR-Ale.

O reconhecimento veio da Brewers Association (BA), através da revisão anual do seu Guia de Estilos de Cerveja 2022 ou, como é conhecido nos Estados Unidos, as Diretrizes de Estilo de Cerveja.

Desde 1979, a BA compila diretrizes e descrições de estilo de cerveja para ajudar cervejeiros, bebedores, organizadores de competições e juízes. Categorizar uma bebida tão complexa como a cerveja é um desafio difícil e complexo e para isso a BA conta com especialistas da indústria cervejeira, análises físicas de cerveja e informações de cervejeiros de todo o mundo como guias para criar esse recurso.

As Diretrizes de Estilo de Cerveja são um produto direto e uma mistura de significado histórico, autenticidade tradicional e popularidade no atual mercado consumidor de cerveja artesanal. Adicionar um estilo ou modificar um estilo de cerveja existente é levado muito a sério e só pode ser feito após extensa consulta especializada, pesquisa e análise de fatores de mercado.

Agora, que você sabe dessa informação, viu que ter um estilo reconhecido não é fácil? Por isso, nós, brasileiros, temos que comemorar! Esse feito entra para a história da cerveja no Brasil. Além disso, é um incentivo a mais para os cervejeiros brasileiros que estão sempre estudando e inovando em suas produções.  

Algumas cervejarias já fabricaram o estilo e colocaram no mercado mesmo antes desse reconhecimento. Espero que, agora, esse estilo possa estar mais presente nos supermercados e torneiras de chope.

Confira a descrição da Brazilan Pale Ale no Guia:

Brazilian Pale Ale – NOVIDADE para 2022

Cor pálida a dourada, alta formação de espuma, com boa duração. A névoa fria é aceitável. Intensidade média-baixa a média de aroma e sabor de malte, com notas de cereais, crosta de pão, sem caramelo. Final levemente doce. Aroma e sabor de lúpulos típicos brasileiros com amargor médio a médio-alto com aromas florais, herbais e/ou levemente cítricos. As características de fermentação têm ésteres tópicos de frutas amarelas presentes em níveis médios a médios-altos. Pode ter um leve tempero que lembra cravo. Corpo médio-baixo a moderado, alta drinkability, final crocante. Geralmente 3,8-5% ABV. SRM 3-7.

Fonte: site Bar do Celso e World Beer Awards

Heineken lança novo rótulo

No dia 21 de março, o grupo Heineken lançou seu mais novo rótulo, a Heineken Silver. A nova cerveja vem com uma proposta mais refrescante e menos amarga, mas mantendo a qualidade da Heineken original.

Ela leva os mesmos ingredientes da original. Porém, para criar seu sabor extra-refrescante, a Heineken Silver teve que ser fabricada usando um processo de água gelado a -1° C. O resultado é uma cerveja premium, mais leve, com menor teor alcoólico (4% de ABV , enquanto a original é 5%), com menos amargor (10 IBU, a original tem 18 IBU) e com menos calorias, sem gordura e zero açúcar.  

O foco da cervejaria são os consumidores que estão na faixa dos 18 aos 34 anos. Esse público prefere cervejas mais refrescantes, menos amargas e com teor alcoólico mais reduzido. Esse é um nicho de mercado que vem crescendo nos últimos anos e, por isso, a Heineken quer assegurar sua presença com esse público também.

A cerveja estará disponível em 19 países como Estados Unidos e alguns países da Europa, entre eles o Reino Unido. Ainda não há informações de quando ou se a Heineken Silver será disponibilizada para o mercado brasileiro. Mas, se consideramos que o Brasil é o maior mercado da marca, podemos ter uma expectativa boa de que ela pode vir a aparecer por aqui também para matarmos a curiosidade.

Heineken lança a primeira cerveja virtual

A Heineken Silver não ficou somente no mundo real, ela também foi inserida no universo metaverso. A marca holandesa lançou a cerveja virtual Silver que passa a estar presente na Decentraland, uma plataforma digital imersiva.

A Heineken Silver é produzida com código binário e, em vez da levedura e do malte, a matéria-prima são os pixéis. A Silver virtual é produzida com lúpulo de código binário, cultivado por agricultores de NPC (non-player character).

A Heineken garantiu seu espaço no universo da realidade virtual em uma ação publicitária que satiriza a intensa busca de outras marcas por não ficar pra trás em nenhuma tendência. Durante o evento, Bram Westenbrink, chefe global da Heineken, explicou o por quê da ação. “É uma proposta que brinca com a própria marca e com outras empresas que estão entrando no metaverso, lançando produtos que são mais apreciados no mundo real”, afirmou.

Ciente de que seus produtos talvez não fossem tão queridos no mundo digital quanto são ao vivo e em cores, Westenbrink aproveitou o evento de estreia para convidar os consumidores a experimentarem a verdadeira Heineken Silver.  “Por enquanto, você não pode provar pixels e bytes. Então, queremos fazer uma brincadeira com isso e lembrar a todos que nada supera o sabor de uma cerveja refrescante. Isso inclui nossa nova Heineken Silver, no mundo real”, disse o executivo.

Fonte: Com informações dos sites da Money Times, da Forbes e da Heineken

Heilige Lourdes: um ponto de encontro de cervejeiros no coração de BH 

A dica de Onde Beber Artesanal de hoje fica atrás de um dos principais pontos turísticos de BH, a Praça da Liberdade. 

Eu estou falando do Heilige Pocket do bairro de Lourdes. 

Com uma decoração moderna e um espaço aconchegante a casa conta com ambiente interno e externo. Na parte de fora, para quem gosta de observar o movimento da rua, ficam mesas e cadeiras na calçada. Já para quem gosta de um ambiente mais intimista, o ambiente interno é o ideal. 

Além das mesas e cadeiras para sentar e tomar umas, com som ambiente agradável, no espaço encontra-se uma lojinha de souvenir, com roupas, acessórios e cervejas de garrafa da marca. Tem também um bebedouro, onde você pode servir água à vontade, e a estrela da casa: a parede com as torneiras! 

Para beber 

A casa conta com 10 torneiras com os mais variados estilos, indo da Pilsen, passando por American Pale Ale e Barley Wine. Todos chopes de fabricação própria da Cervejaria Heilige. 

Como você tem a opção de colocar a quantidade que você que no copo, experimentei um pouco alguns. Todos redondinhos, frescos e excelentes! Destaque para o chope Belgian Trippel que estava divino. 

O esquema lá é autosserviço. Você baixa o aplicativo Heilige Pocket e coloca a quantidade de créditos. Escolhe o estilo. Com esse mesmo aplicativo, através do QR Code, você libera a torneira, ela destrava e você pode servir a quantidade que desejar. Os créditos não expiram, você pode voltar quantas vezes quiser na mesma unidade para gastar. Liberdade é tudo, meus amigos! 

Mas, se tiver alguma dúvida, é só chamar o Francisco que ele te ajuda, dando dicas de cervejas e ensinando a tirar o chope da forma correta.  

Para comer 

O pub não conta com cozinha. Porém, eles pedem pratos dos restaurantes vizinhos que chega bem rápido e quentinho. Em alguns sábados, a casa conta com a presença do Pit Smoker do Assacabarasa. Uma espécie de food truck que serve pratos com carnes defumadas.

Pit Smoker Assacabrasa

No dia em que fui conhecer a casa, estava sendo servidas carnes defumadas com batata frita e mini hamburger que estavam sensacionais. 

Eu adorei tudo na casa, o atendimento, o ambiente, os chopes frescos e os pratos servidos. Com certeza voltarei mais vezes. Para você que quer conhecer uma casa nova ou que esteja passeando nas redondezas da Savassi, Praça da Liberdade, não deixe de fazer um pit stop lá. Garanto que vai gostar.   

Heilige Pocket Lourdes 
Rua da Bahia, 1880 – Lourdes
Belo Horizonte – MG 
Instagram: @heiligepocketbh.lourdes 

Obs: A Heilige é uma marca de cerveja artesanal do Rio Grande do Sul, há mais de 10 anos no mercado e presente no varejo em 18 estados. Em BH, a cervejaria possui duas unidades. Já falei sobre a unidade do bairro Buritis aqui também. Confira aqui: Heilige Pocket Buritis

ABV – Volume de álcool na cerveja

Você sabe ler o rótulo de uma cerveja?

O rótulo contém diversas sigla que, ao serem bem compreeendidas, fará total diferença na escolha da cerveja.

Hoje, falarei do ABV que, normalmente, está em destaque no rótulo.

cerveja-my-antonia-garrafa-rabada-harmonização-abv

ABV: é a abreviação de Alcohol by Volume. Ou seja, é uma definição adotada internacionalmente para indicar o percentual em volume da quantidade de álcool em uma bebida alcoólica. Isso permite que você saiba quanto da garrafa de cerveja é álcool e quanto é o restante da bebida.

Ou seja, o percentual indica o quanto de álcool tem a cada 100ml de cerveja. Se o rótulo indica que a bebida tem 5% de ABV, ela tem 5mL de álcool para cada 100mL da bebida.

Algumas cervejas trazem a sigla APV, que significa Álcool Por Volume.

A medida é representada em pontos percentuais “%vol.”

Como o álcool é colocado na cerveja? Leia aqui

Como é  calculado o ABV de uma cerveja?

Existem diversas fórmulas que calculam o ABV de uma cerveja e não é simples de explicar e, se você não produz cerveja, vai ficar mais difícil ainda entender.

A principal fórmula usada para calcular o ABV de uma cerveja é:

%ABV = 131,25 * (Gravidade Inicial, a OG – Gravidade Final, a FG).

Ou seja, primeiro mede-se a densidade do mosto antes da fermentação, conhecida também como Original Gravity (OG) – Gravidade Inicial. Em seguida, subtraia esse valor com o valor da densidade depois da fermentação, conhecida também como Final Gravity (FG) – Gravidade Final: o resultado dessa diferença é a densidade somente dos açúcares que foram consumidos na fermentação.

Pega esse valor, multiplica por 131,25, e sai o resultado do ABV.

Por exemplo, uma IPA com OG 1,065 e o FG 1,0082.
%ABV = 131,25 * (OG – FG)
%ABV = 131,25 * (1,065 – 1,0082)
%ABV = 7,455%

É complexo. Melhor deixar essa parte para os cervejeiros profissionais.

Qual a função do álcool mesmo?

Você deve ter pensado: deixar a gente alegre e nos relaxar!

Ele faz isso também. Mas, ele tem algumas funções técnicas e sensoriais como:

– Atua como conservante natural da cerveja. O meio alcoólico dificulta o desenvolvimento de contaminações microbiológicas, e essas contaminações são mais fáceis de acontecer quando não há o álcool. Assim, cervejas com maior ABV, maior teor alcoólico, podem ser conservadas por mais tempo. Observe que as mais alcoólicas têm prazo de validade maior.

– Em relação ao fator sensorial,  quanto maior o teor alcoólico, maior o impacto sensorial na cerveja. Em cervejas com baixo teor alcoólico, o álcool tem um impacto muito baixo no sensorial. Já nas cervejas mais alcoólicas, é possível sentir esse impacto tanto no aroma quanto no sabor. O álcool cria alguns aromas em conjunto com ésteres e outros componentes, e até mesmo à medida que essa cerveja envelhece.

Em algumas cervejas o teor alcoólico é tão alto que você sente perfeitamente o álcool tanto no aroma, quanto no sabor! Além disso, ao beber, é possível sentir aquele aquecimento alcoólico.

Enfim, existe teor alcoólico para todos os tipos de paladares e resistências!

E como vou saber se aquele ABV é fraco?

No Brasil, são classificadas como cervejas de baixo teor alcoólico as cervejas que tiverem de 0,5% a 2,0%, de médio teor alcoólico as que tiverem de 2,0 a 4,5% ABV e as com mais de 4,5% ABV são as de alto teor alcoólico.

Existem também as cervejas de 0,0% ABV, que são as totalmente sem álcool. E são consideradas cervejas, sim! Pois, elas passam pelo mesmo processo de uma cerveja normal.

Como é retirado o álcool da cerveja? Leia aqui

Eu considero forte as que estão acima de 6%. Mas, cada um tem seu paladar, tem uma resistência para o álcool. Experimente! Aprenda seu limite e seja feliz.

Beba com moderação! Independente do teor alcoólico da cerveja escolhida, não abuse! O excesso, além de fazer mal para a saúde, acaba o seu dia seguinte, a cabeça dói, o corpo fica mole. Ressaca nunca é uma boa opção.

Consumir cerveja com moderação tem seus benefícios.
Leia aqui sobre “Os benefícios da cereveja para a saúde”.

3875347

Curiosidade

A cerveja mais alcoólica do mundo tem o ABV em 70%. A Koelschip Mystery of Beer, da holandesa Brouwerij ‘t Koelschip. De acordo com um de seus donos, o máximo teor alcoólico que uma cerveja poderá chegar é de 80%.  A cerveja é vendida em garrafas de 330 ml por €45, mas também está disponível em porções de 40 ml, custando €10 a dose.

Koelschip-Mystery-of-Beer

No Brasil, uma cervejaria do interior de São Paulo, a Cervejaria Cuesta, quebrou o próprio recorde ao lançar a cerveja com o maior teor alcoólico do país. Envelhecida em barris de carvalho por dois anos, a Beer Brandy Oak Aged 2021 tem 35% de álcool.

Veja o teor alcoólico das cervejas de massa:

Antárctica e Skol: 4,7%
Brahma: 4,8%
Quilmes: 4,9%
Nortenã: 5%
Heineken: 5%
Bohemia Pilsen: 5%
Stella Artois: 5%
Serramalte: 5,5%


Rotulagem da bebida

A rotulagem de bebida não é  feita sem parâmetros. Ela é regulamentada principalmente no Decreto nº 6.871/2009, mas também há regras específicas estabelecidas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Ou seja, para aquele produto estar no mercado ele precisa conter uma série de exigências dos órgãos regulamentadores.

No mesmo decreto no artigo 11 determina que cada unidade de cerveja deverá conter, em seu rótulo, algumas informações visíveis e legíveis, sendo que o INMETRO e o MAPA também têm atos normativos regulando os caracteres. Abaixo, as principais informações obrigatórias:

1) nome empresarial e endereço do produtor ou fabricante, do padronizador, do envasilhador ou engarrafador ou do importador;

2) número do registro do produto no MAPA; Se não tiver esse número a cerveja não pode ser comercializada!

3) denominação do produto em item distinto e destacado das demais informações do rótulo, com letras impressas em negrito, em cor única e em contraste com o fundo do rótulo. Os caracteres devem, ainda, respeitar tamanhos mínimos a depender da quantidade de líquido;

4) marca comercial;

5) lista de ingredientes em ordem decrescente de proporção. Logo após ou abaixo da lista de ingredientes deve vir advertência sobre a presença direta ou de derivados de ingredientes alergênicos (incluindo o glúten);

6) a expressão “Indústria Brasileira”, por extenso “jamais abreviada”;

7) conteúdo líquido expresso em unidade de medida de volume, em cor contrastante com o fundo onde estiver impresso ou com o líquido, caso a embalagem seja transparente. O símbolo da unidade de medida depende da quantidade de líquido (“ml ou mL” para menos de 1 litro; “l” a partir de 1 litro).

O INMETRO também disciplina que o tamanho dos algarismos que indicam a quantidade de líquido depende do conteúdo líquido.

8) graduação alcoólica, expressa em porcentagem de volume de álcool etílico, à temperatura de vinte graus Celsius; (formas corretas % Vol. Alc. ou v/v)

9) identificação do lote ou da partida;

10) prazo de validade;

11) frase de advertência, caso a cerveja tenha o teor alcoólico acima de 13% a frase obrigatória deve ser “Evite o Consumo Excessivo de Álcool”.

Fonte: revistabeerart.com
ousejacerveja.com

Estilos de cerveja para beber no outono

Chegou o outono! Por ser uma estação que vem depois verão e antes do inverno é considerada um período de transição. Uma das principais características do outono é a redução gradativa das temperaturas diárias, que passam de elevadas a mais amenas, antecipando o período frio que vem na sequência. Assim como os dias amenos, ainda é possível sentir dias um pouco mais quentes, já que estamos saindo do verão.

Pensando nessas características, trouxe quatro estilos de cerveja que vão combinar muito bem com essa estação, seja em seus momentos quentes ou em seus momentos mais frios, com aqueles ventinhos gostosos.

Pega essas dicas, aproveite seu outono e beba com moderação!

– Red Ale: cervejas de corpo médio, leve dulçor de caramelo e baixa presença de lúpulo. Fácil de beber, com bastante realce para o malte, doce no início e mais torrada e seca para o final. Bem refrescante, ela vai descer fácil nos dias mais quentes do outono.

– Oktoberfest Bier ou Märzen Bier: O aroma dos maltes alemães é moderado. Sentem-se notas de pão, tostadas, e pouco a nenhum aroma de lúpulo. Na boca, o malte inicial sugere alguma doçura, mas o final é seco. Sente-se o tostado e é m pouco encorpada. Combina tanto com os dias quentes, quanto os dias mais amenos.

– Dry Stout: Uma cerveja preta com um sabor tostado pronunciado, muitas vezes semelhantes aos de café. O sabor tostado pode ser seco e como café, a um tanto achocolatado. Corpo médio, baixo amargor, e final seco. É fácil de beber, porém, consegue dar uma esquentadinha no corpo. Combina com os dias quentes ou com os dias frios.

– Belgian Dubbel: tem aromas complexos, possuem doces de malte, possivelmente contendo notas de chocolate, caramelo e/ou tostado. Há a presença de ésteres frutados moderados, podendo incluir banana ou maçã, e são comuns os fenóis picantes e os álcoois superiores. Os sabores deste estilo têm qualidades semelhantes ao aroma, contendo um complexo sabor de malte médio a médio-alto, e embora seja doce, acaba terminando moderadamente seco. Como é um estilo mais forte e mais alcoólico, cai muito bem com os dias mais frios.

Espero que tenha gostado dessas dicas. Se seguir alguma delas, me marca lá no Instagram @cervejeirauai !

Cervejarias criadas por mulheres

As mulheres estão cada vez mais presentes no universo das cervejas artesanais.

Temos marcado presença em diversas áreas do meio cervejeiro seja apenas como consumidoras, apreciadoras, seja trabalhando diretamente com cerveja em fábricas antes, durante e depois da produção, no marketing, no comercial. Enfim, as mulheres estão ocupando um espaço que pode ser delas também.

Quando o assunto é consumo, de acordo com uma pesquisa feita pelo MindMiners, 57% das mulheres brasileiras consomem bebidas alcoólicas, sendo que 72% consomem cerveja. 

Divulguei recentemente, aqui, essa outra pesquisa feita em 2021. Mulheres contribuem com o aumento do consumo de cerveja

Quando o assunto é o mercado profissional, sabemos que ainda temos muito para caminhar. Segundo o 1º Censo das Cervejarias Independentes Brasileiras (2019), do DataSebrae, cerca de 89% das cervejarias nacionais são comandadas por homens, contra 11% comandadas por mulheres.

Mesmo com uma participação discreta nesse ramo de atuação, algumas mulheres têm tentado mudar essa realidade. Aqui, eu listo oito cervejarias fundadas por mulheres e que, com certeza, vão inspirar outras a fazer o mesmo.

Atenção! Além dessas oito, em seguida, mencionei mais um monte de cervejarias criadas por mulheres. Então, siga até o final para não perder nenhuma!

1 – Cervejaria Lokira

Criada em 2019, em Belo Horizonte, por Ana Flávia Gomes Lopes e Flaviana Guimarães. A cervejaria tem como um dos objetivos promover a democratização do mercado e do universo cervejeiro no geral.

2 – Cerveja Benedita

Criada por três mulheres periféricas de São Paulo, Melissa Miranda, Eneide e Márcia Martins, a Cerveja Benedita tem como slogan “Feita por elas para Todos”.

3 – Cervejaria Dádiva

A Cervejaria Dádiva foi criada em 2014, em Várzea Paulista,  por Luiza Lugli Tolosa. A cervejaria produz inúmeras cervejas especiais. De acordo com a Dádiva, eles criam com ingredientes novos cervejas inovadoras.

4 – Maria Bravura Cervejas Especiais

Criada em 2016, em Paraguaçu Paulista, pela psicóloga Maria. A cervejaria apresenta receitas diferentes e caseiras de cervejas artesanais.

5 – Cerveja Macuco

A Macuco é uma cervejaria independente criada por Mica e Nanda, em 2016, na cidade de Porto Alegre. A cervejaria preza pelo fortalecimento da identidade brasileira, principalmente nas receitas das cervejas que levam ingredientes selecionados como frutas nacionais. 

6 – Japas Cervejaria

Um trio de mulheres nipônicas, de São Paulo, Maíra Kimura, Yumi Shimada e Fernanda Ueno, são responsáveis pela cervejaria que resgata as origens japonesas e busca representar a união entre o Brasil e o Japão através de cervejas com sabores e aromas diferentes.

7 – Cervejaria Teresense

Inaugurada em 2019, no Espirito Santo, a Cervejaria Teresense foi criada pela engenheira e mestre-cervejeira Luana Hoffmann. A cervejaria traz receitas próprias e um jeito especial de preparar cerveja artesanal: aliando a paixão, matéria prima de qualidade e tecnologia.

8 – Femme Cerveja Artesanal

Diretamente da Paraíba, a Femme Cerveja Artesanal é uma cervejaria criada em 2017 por Ranny de Sousa. Que também é quem elabora todas as receitas das cervejas.

Fonte: o Guia da Cozinha

Muito mais cervejarias criadas por mulheres!

Depois que publiquei o post “8 Cervejarias criadas por mulheres” no Instagram, diversas pessoas começaram a indicar cervejarias criadas por mulheres que eu não havia citado.

Com isso, peguei todas as cervejarias mencionadas, conferi e inclui nessa lista.

No total, consegui reunir dezenas de cervejarias criadas por mulheres, além dessas oito. Li sobre todas e vou te contar, tem cada história!

Sei que tem muito mais, mas, fiquei feliz demais pela repercussão do post e pela ajuda de todos.

Para organizar a lista, separei por estado e indiquei a cidade e o @ de cada cervejaria. Assim, você vai poder procurar saber sobre cada uma, além disso, vai poder procurar por elas para consumir seja online ou quando for em suas respectivas cidades.

Caso saiba de alguma que não esteja nessa lista, me manda por direct no www.instagram.com/cervejeirauai para que eu possa atualizá-la.

Aí vão as outras 50 cervejarias criadas por mulheres:

Para ver o post parte dois, clique aqui.

Minas Gerais (16)
@cervejalibertaria  (Viçosa)
@castrocervejaria (Uberlândia)
@trioracervejaria (Uberlândia)
@pandega_beer  (São Domingos do Prata)
@cervejariamagia (Belo Horizonte)
@cervejariaaldeiadamata (Serra da Canastra)
@cervejariarhara (Belo Horizonte)
@cervejariaonix (Capim Branco)
@cervejariaflorestaelfica (Catas Altas)
@cerveja_serafina (Belo Horizonte)
@cervejariaempirica (Montes Claros)
@ovelhanegracervejaria (São João del-Rei)
@cervejariapelizer (Araguari)
@hop.makers (Divinópolis)
@cervejarialiberteoficial (Paracatu)
@alavrasnovense (Lavras Novas)

São Paulo (3)
@blondine.oficial (Itupeva)
@saobernardocervejaria (São Bernardo)
@bemtebrew (Ribeirão Preto)

Rio de Janeiro (2)
@adcraftbeer (Nova Friburgo)
@cervejadamulherguerreira (Rio de Janeiro)

Espirito Santo (1)
@cervejariagrecco (Venda Nova do Imigrante)

Rio Grande do Sul (10)
@daluzcervejaria (Porto Alegre)
@cervejasapatista (Porto Alegre)  
@staunenbier (Porto Alegre)
@hildegard_cervejas  (Porto Alegre)
@cervejainsurreicao (São Francisco de Paula)
@zingarabirra (Porto Alegre)
@muttbrewery (Porto Alegre)
@sinapses.conexoes (Porto Alegre)
@mataleaooriginal (Santa Maria)
@oripacha (Morro Reuter)

Santa Catarina (4)
@cervejacevademina (Florianópolis) 
@ballenabrewery (Florianópolis) 
@maltescraftbeer (Florianópolis)
@penhascocervejaria (Penha) 

Paraná (1)
@lavelkra (Matinhos)

Goiás (2)
@cervejariasaobento (Alto Paraíso)
@cervejacolombina (Aparecida de Goiânia)

Bahia (3)
@proacervejaria (Lauro de Freitas)
@cervejarosaroja (Salvador)
@brabahcervejaria (Salvador)

Acre (1)
@seringalbier (Rio Branco)

Maranhão (2)
@cervejariaquadra66 (São Luis)
@cervejariadona (São Luís)

Alagoas (1)
@pareacervejaria (Maceió)

Paraíba (1)
@birrificio55 (João Pessoa)

Piauí (1)
@cervejariaininga (Teresina)

Pernambuco (2)
@cervejariarisoflora (Recife)
@friedahaus (Recife)

Em 2022, para atualizar esses dados e manter as pessoas informadas, publiquei um novo post: “50 cervejarias criadas por mulheres”. Veja a repercussão dele clicando aqui.

Hoje, já estamos em 58 cervejarias. Com certeza esse número é maior. Me mande e ajude a divulgar!

Astúcia Cervejaria: 12 torneiras para você deixar de lado seus movimentos friamente calculados

Como vocês sabe, sempre pode contar com minha astúcia quando o assunto é cerveja. Por isso, aqui estou eu, como mais uma dica imperdível de Onde Beber Artesanal em BH!

Sigam-me os bons!

A dica de hoje é o Taproom da Cervejaria Astúcia.

Enstrada do bar com balcão na porta

O lugar

É um espaço aconchegante, pequeno, porém, com o coração grande que cabe todo mundo que chega.

Além de algumas mesas na parte interna e do balcão, o bar conta com mesas na calçada para quem prefere sentir aquele ventinho no rosto e gosta de ver o movimento do local que é um point do bairro.

Mas, não é só isso, além do espaço para beber e a lojinha para comprar produtos deles, a fábrica da cervejaria fica bem ali.

Fábrica da Astúcia Cervejaria

Eu logo aproveitei da nobreza do Tieds, um dos sócios da cervejaria, para conhecer tudo. O espaço foi inteligentemente ocupado, sem canto perdido. São dois andares onde ficam distribuídos os tanques, locais para guardar os insumos, máquina para lavar bairris, máquina para fechar latas e até rotular. Alguns desses serviços, inclusive, eles fazem para terceiros também.

Geladeira de lupulos
Câmara fria

Hoje, eles produzem 2.500 L por mês de cerveja fresquinha, que saem dos fermentadores e vão direto para o barril. O barril vai para a câmara fria e é engatado nas torneiras do taproom. Ou seja, mais fresca que isso, só tomando direto dos tanques.

E para beber?

Palma, palma, não priemos cânico! Lá, cerveja é o que não falta. São dozes torneiras com cervejas próprias e de outras cervejarias convidadas. É para ficar perdido mesmo! Na dúvida, chame O Chapolin Colorado! Mentira (rs), chame o Lima, muito solicito e ágil, ele vai te ajudar a fazer a melhor escolha.

Doze torneiras com cerveja fresca

Os painéis com as cervejas disponíveis estão bem em cima das torneiras. Ali, você pode ver todas as informações, nome, estilo, ABV, IBU e valores. Se preferir, é só pegar o QRCode e escolher.

Quando vou pedir cerveja, normalmente, os meus movimentos são friamente calculados. Mas, confesso que fiquei perdida com tanta opção boa. Fui de English Pale Ale, Imperial Sour, Dry Stout, Bourbon Ale e APA. Thiago foi nas IPAs, da mais leve para às mais forte.

Os preços variam de acordo com a quantidade e o estilo. As de 350ml vão de R$8 a R$20 e as de 473ml vão de R$12 a $26. Para quem preferir, eles envasam latas de 473ml ou growler de 1L para levar para a casa.

English Pale Ale
Imperial Sour
Dry Stout
NE IPA

Hoje, a Astúcia Cervejaria conta com os seguintes estilos próprios: NE IPA, Smoked Black IPA, American IPA, German Pils, Hop Lager e Dry Stout com Nitrogênio. Além desses, a cervejaria está sempre lançando cervejas colaborativas com outras cervejarias e cervejas sazonais. E te garanto: São todas excelentes.

E para comer?

O espaço não conta com cozinha. Oh! E agora, quem poderá nos defender?

Eles não têm cozinha, mas eles pedem os pratos dos bares vizinhos. São três tipos de opções: Comidas de buteco do Santo Buteco, comida mexicana do El Matador e hamburger do Anchor Burgers.

Nós fomos de comida mexicana do El Matador! Nachos com guacamole e chili de carne. R$24,90 o Nacho com guacamole e R$10 o chili extra. Já o Burrito não deu tempo de sair na foto..rs

Nachos com Guacamole e Chili de Carne

Eu suspeitei desde o princípio que seria tudo muito bom na Astúcia Cervejaria. Desde o atendimento, clima às cervejas. Eu recomendo e voltarei mais vezes!

Cervejaria Astúcia
Rua Viçosa, 121 – São Pedro
Belo Horizonte – MG
Instagram: @astuciacerveja
Site: http://www.cervejaastucia.com.br

Espaço Artéza: um espaço para se sentir em casa com cerveja em BH

Gosta de se sentir em casa e ainda ter diversas opções de cerveja artesanal para tomar e relaxar?

Hoje, o Onde Beber Artesanal estaciona no Espaço Artéza, que foi construído dentro de uma clássica casa antiga de BH.

O local

O espaço teve adaptações para se transformar em um bar mas manteve toda a estrutura da casa. Ao chegar, você se depara com a casa e dá vontade de chamar “ó de casa!”. A entrada é pela garagem que dá acesso a um túnel que te leva para o quintal da casa, onde acontece o movimento.

Antes, não poderia deixar de destacar o caixa, que é um pedaço de uma Kombi dos anos 80. A decoração do espaço é bem eclética e rende diversas fotos instagramáveis.

O espaço principal, ou seja, o quintal, conta com uma parte coberta e a outra parte aberta que, em dias de sol, deve ser bem concorrido. Como no dia que eu fui o tempo não estava bom, só havia uma mesa nesse espaço aberto. Sentamos lá e não deu outra. Em menos de uma hora a chuva caiu e tivemos que ir para a parte coberta.

É um ambiente super agradável, com pessoas agradáveis e a música ao vivo complementa ainda mais o espaço que é prazeroso de sentar e relaxar.

Para beber

Se com tudo que eu falei já te deu vontade de ir, agora, que chegou a melhor parte, eu tenho certeza que você já está pegando o celular e colocando o endereço para saber como chegar. 🙂

A casa conta com 12 torneiras de chope. No dia em que fui, onze eram cervejas próprias da Cervejaria Artéza e uma convidada. E tem opção para todos os gostos: Belgian Pale Ale, GoIAPA,Pilsen, Hop Lager, Vienna Lager, American IPA, New England IPA, Sour, Dry Stout, Double IPA e Porter com Jack Daniel´s.

Os preços variam. Os de 300ml vai de R$9 a R$12. E os de 500ml vai de R$12 a R$16.

Nós fomos de Vienna, Dry Stout, Jack Porter, NE IPA, American IPA e Double IPA.

Vienna e NE IPA
American IPA
Dry Stout
Double IPA e Jack Porter

Por lá, você pode adquirir também as garrafas e latas da cervejaria para levar para casa.

Além das cervejas, tem algumas bebidas de dose e drinks.

Para comer

O cardápio é bem variado também. Para quem quer petiscar, tem porções para tira-gosto. Para quem está com mais fome, tem opção de hambúrgueres e hot dogs.

Nós pedimos a torre de Onion Rings (R$ 21,50) que veio bem crocante acompanhada com três molhos: maionese cítrica, cheddar e barbecue. E pedimos, também, Picanha Grelhada (R$ 49,90) com chimichuri acompanhada de batata frita. O ponto da carne veio do jeito que pedimos, o molho estava excelente!

Para conferir as opções e preços é só acessar cervejaarteza.com.br/cardapio

E o atendimento? Excelente. Garçons superatenciosos e rápidos!

Adorei conhecer a casa! Achei tudo muito bom, desde o espaço, ambiente, chopes e comida. Com certeza, voltarei mais vezes.

Espaço Artéza
Rua Cuiabá, 302 – Prado
Belo Horizonte – MG
Instagram: @cervejaarteza
Site: http://www.cervejaarteza.com.br

Carnaval em casa: guia para curtir a folia em segurança e com cerveja

Confira as dicas que a Krugbier preparou de como gelar e quais os melhores acompanhamentos para tomar uma cerveja durante o feriado em casa

O carnaval é o feriado mais brasileiro e mais animado do ano e, apesar da necessidade do isolamento social, sempre damos aquele jeitinho de aproveitar a situação da melhor forma. Ainda que momentaneamente não possamos fazer grandes eventos, é possível curtir a data estando muito bem acompanhado, e sem precisar sair!

Todo mundo já sabe que a cerveja é a rainha de todos os carnavais. Neste ano, que tal trazer a estrela da festa para sua casa? Então, confira o guia carnavalesco que preparamos, em parceria com a sommelière de cervejas Fabiana Bontempo, embaixadora da Krug Bier, e convide os mais chegados para uma folia longe das aglomerações.

Como deixar a sua cerveja geladinha?

Esqueceu de colocar para esfriar? Fica tranquilo que essa dica aqui vai te salvar!

*Como o sal reduz a temperatura de congelamento da água, ao misturar no cooler um pouco de sal na água com gelo, você consegue abaixar até 0 grau em menos de 15 minutos!

*Outra dica é embrulhar suas garrafas em papel-toalha úmido e guardá-las no freezer, pois também acelera o processo!

Só não vale esquecê-las lá, hein?!

Bateu a fome?

Verão e carnaval: o melhor é optar por cervejas claras, que trazem a leveza e o sabor que a época requer! Olha só as nossas indicações e os petiscos que mais combinam elas:

*Krug 20: Puro malte sem glúten em sua composição, leve e refrescante pelo “dry hopping” de lúpulos neozelandeses, que trazem notas cítricas e florais ao aroma e sabor, corpo leve e amargor baixo. Ideal para os dias quentes e aperitivos como croquete de cogumelo, tábua de frios (queijos e embutidos em geral).

*Áustria Hefeweizen: Cerveja de trigo muito versátil, combina com vários tipos de alimentos, uma boa dica é degustá-la mais de uma vez, com diferentes opções e escolher a sua preferida! Algumas das nossas dicas são: isca de peixe e salsichas alemãs.

*German Pils: Puro malte dourada, de corpo leve, amargor moderado e final seco, a Krug German Pils traz como estrela principal o perfil floral dos lúpulos alemães, que surpreendem a cada gole e harmonizam perfeitamente com torresmo de barriga com limão e mel, ou um churrasco.

*Submissão: Apesar de ser uma cerveja leve, apresenta notas intensas de lúpulo tanto no aroma e sabor quanto na sensação de amargor. Para equilibrar a intensidade dessa Session Ipa, dê uma incrementada na intensidade do prato, com opções como bolinho de bacalhau, queijo canastra e asinha de frango na brasa.

*Calúnia: Fiel representante do estilo American Pale Ale, a Calúnia é uma cerveja dourada com corpo médio e amargor moderado. O destaque vai para a combinação de lúpulos cítricos americanos, que trazem uma explosão de aromas e sabores, e surpreende ainda mais quando combinada a um hambúrguer vegano ou uma costelinha com barbecue.

Pensando em facilitar a sua vida, a Krug Bier preparou o Bloquinho Krug, para você levar a folia para casa. O kit conta com as cervejas de 600ml Austria Lager, Krug 20, German Pils, Hefeweizen, Submissão e Calúnia, além de adereços indispensáveis: três serpentinas, um saco de confete, um lança confete, um mini estandarte, duas máscaras da Coleção Impressionista, uma barba Ignorância, duas tattoos temporárias, seis bolachas e ainda um chaveiro abridor!

(foto: Divulgação/ Krug Bier)

Agora sim, você pode curtir seu carnaval sem preocupações! Só não se esqueça de beber com moderação e jamais dirigir se tiver bebido.

PEÇA SUA KRUG EM CASA:
Kit Bloquinho Krug: de R$ 149 por R$ 109
http://www.krug.com.br
Instagram: @krugbier

#TBT em Munique: Olimpíadas, carro e cerveja: De volta para o passado com um salto para o futuro

A cerveja deste #TBT em Munique é mais uma clássica dessa cidade. A Lagerbier Hell é uma Munich Helles da Augustinerbräu München.

Seu aroma é bem suave, sem característica marcante. O sabor também é leve, trazendo um equilíbrio perfeito entre o dulçor e amargor, com um final levemente lupulado, tornando a cerveja ainda mais refrescante. ABV: 5,2%

Sobre a Augustinerbräu eu falei aqui. 

Um extra sobre a cerveja Tegernseer Hell, uma Munich Helles da Cervejaria Herzogliches Bräustüberl Tegernsee  


Para nosso passeio, hoje, eu trago dois pontos turísticos: um lembra o passado e o outro, é totalmente o futuro.

O Olympiapark – o Parque Olímpico de Munique, construído para os jogos olímpicos de 1972, que é preservado em excelentes condições até os dias de hoje e se transformou em uma opção gratuita de lazer para os moradores de Munique, além de locais para esportes e entretenimento.

800px-Olympiastadion_Muenchen.jpg

IMG_5723

Ali, foram construídos o aquário Sea Life, a Torre Olímpica (de onde dá pra ver Munique de cima, quando fomos estava reformando), o parque aquático e o Olympiastadion – Estádio Olímpico de Munique que, quando da sua inauguração, cabiam 80 mil espectadores.

O estádio já foi palco de diversas competições como: Copa do Mundo de 1974, final da Eurocopa e final da Liga dos Campeões. Sua principal característica é o teto retrátil.

Antes da construção da Allianz Arena, ele era a casa dos times da cidade: o Bayern de Munique e o Munique 1860. Hoje, além de alguns jogos, é palco de grandes shows e outros espetáculos como o Cirque du Soleil.

Aqui, eu contei sobre minha visita na Allianz Arena.

IMG_5716

Tirando o lago, bem sujo, o restante era tudo bem limpo e conservado. Subimos no topo de uma montanha artificial. Haja perna. Lá vimos todo parque olímpico do alto, dizem que de lá se vê o mais bonito pôr do sol de Munique. Mas, quando chegamos lá em cima, começou a chuviscar. Nós somos desses, levamos chuva para onde vamos. Precisando, entre em contato…rs

Este slideshow necessita de JavaScript.

No caminho para o Parque Olímpico, nos deparamos com o enorme prédio da BMW que nada mais é que a sede mundial da marca. Ali, fica a BMW Welt , que traduzindo seria Mundo BMW, e o BMW Museum.

predio da BMW

Ali, está a fábrica da BMW, o prédio da administração e o museu da marca, conhecido como prédio “Quatro Cilindros”. No mesmo espaço tem exposição de carros e motos, entrega de carro aos compradores, espaço para jogar em simuladores, loja de souvenir concessionária e fica em frente à sede da BMW em Munique.

Os visitantes podem entrar nos carros e tirar dúvidas sobre os modelos. Por lá, a gente vê carros da BMW, Mini, e da Rolls-Royce, que também pertence à marca.

No amplo edifício, ainda se encontram restaurante, lanchonete, lounge e espaço para eventos.

Entramos para babar um pouco. Diferente das dezenas de árabes que ali estavam, rindo à toa, com cara de “quantos desses eu vou mandar entregar lá em casa?”.

Uma palhinha para quem gosta de carros e motos. Lembrando que fomos em 2017. Então, esses carros, que na época eram lançamentos, já devem estar ultrapassados.