Cientistas brasileiros criam cerveja especial para quem tem diabetes

O produto tem a possibilidade de consumo diário por pessoas pré-diabéticas (uma unidade) e diabéticas (duas unidades)

A Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) assinou um contrato de licenciamento para comercializar uma cerveja com efeitos medicinais para pessoas com diabetes.

cerveja - diabéticos - Rosemary

Foto: AEN

O produto considerado inovador é resultado de uma pesquisa desenvolvida no Laboratório de Biotecnologia e Ciências Biomédicas (Biomed), do campus do Centro de Desenvolvimento Educacional e Tecnológico de Guarapuava (Cedeteg).

Cerveja com benefícios

Depois de cinco anos de estudos, os resultados demonstram benefícios para a saúde humana.

Na composição da cerveja estão presentes bioativos do alecrim-do-campo, tipo de planta nativa da América do Sul. A planta se encontra geralmente em países como Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai.

Esses bioativos auxiliam na redução da glicemia (nível de açúcar no sangue) e do nível de gordura no sangue. Além disso promove a diminuição de danos renais e hepáticos.

A bebida terá produção e distribuição em larga escala pela Cervejaria Heimdall. A fabricante de bebidas artesanais atua principalmente no mercado cervejeiro da região Centro-Sul do Paraná.

O licenciamento consiste na transferência de tecnologia para a empresa e envolve, ainda, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR) e a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Unicentro (FAU).

Reconhecimento

De acordo com o professor Carlos Ricardo Maneck Malfatti, biomédico responsável pela pesquisa, o licenciamento é uma forma de incentivo à ciência.

“Essa ação reforça a importância da tríplice hélice entre academia, governo e mercado. Nesse cenário, as universidades desenvolvem as pesquisas, o setor público promove o fomento às pesquisas e o empresário contribui para o desenvolvimento econômico”, afirma o professor.

Doutor em Bioquímica, ele destaca o potencial de retorno financeiro para a universidade, a partir do direito de uso e comercialização de produtos e serviços que resultam de pesquisas científicas. “Quando o mercado comercializa os resultados de estudos acadêmicos, as instituições de ensino superior conquistam mais recursos para produzir novas tecnologias e inovações”, diz Malfatti.

A equipe responsável pela pesquisa é composta por estudantes de graduação e pós-graduação, entre alunos de iniciação científica e dos cursos de mestrado e doutorado dos programas de pós-graduação em Ciências Farmacêuticas e em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação da Unicentro; além do Programa de Pós-graduação em Promoção da Saúde do Centro Universitário Guairacá (UniGuairacá), de Guarapuava.

A cerveja

A cerveja será comercializada com o nome de Rosemary, tradução do inglês para alecrim.

Ela segue o estilo herbal beer, com um sabor levemente frutado e com graduação alcoólica de 4.3%, a mistura do extrato de alecrim com as cascas de limão deixam essa Witbier ainda mais refrescante.

A recomendação de consumo para clientes pré-diabéticos é de uma unidade ao dia, enquanto para os já diabéticos é um pouco maior, podendo serem consumidas duas unidades do produto diariamente para o combate à diabetes.

Por fim, além dos benefícios para a saúde, a cerveja possui aroma e sabor agradáveis.

Fonte: http://www.canalrural.com.br e @heimdallcervejaria

Bebendo cerveja de forma responsável

No final de junho, assisti à palestra “O papel do álcool no processo civilizatório e consumo responsável”, que fez parte do Congresso “Cerveja é Gastronomia” organizado pela Abracerva e pelo Sindicerv.

As falas do Dr. Fernando Soléra, coordenador da Comissão de Controle de Doping da CBF e médico oficial de Controle de Doping da FIFA e Conmebol, que destacou o consumo responsável, me chamou atenção, por isso resolvi trazer esse assunto aqui para o blog.

De acordo com o Dr. Fernando, o álcool é absorvido pelo corpo de forma rápida. Dentro de uma hora, já absorvemos todo o álcool que consumimos. Porém, a velocidade vai depender da concentração de álcool que tem a bebida e do estado de nutrição da pessoa.

A absorção do álcool é mais rápida quando a bebida alcoólica é ingerida com estômago vazio, provocando um pico elevado de concentração no sangue. Agora, se tomar bebida alcoólica com proteínas, gorduras e carboidratos, que são os principais tipos de alimentos energéticos, a absorção é melhor. Por isso, NUNCA BEBA COM O ESTOMAGO VAZIO!

O álcool ingerido é transportado pelo sangue para todos os tecidos que contém água. As maiores concentrações encontram-se no cérebro, no coração, nos rins, no músculo e no fígado.

É no fígado que cerca de 90% a 95% do álcool ingerido é metabolizado.  Diferente da absorção, a metabolização do álcool é lenta. Ou seja, a expulsão do álcool do corpo acontece devagar. Pode demorar até 8 horas. O EFEITO É PROPORCIONAL A DOSE. Ou seja, quanto mais bebida ingerida, mais tempo ela vai ficar no seu corpo. E mais sentirá o efeito negativo do álcool.

Foto: Pixbay

Consumido em grande quantidade, nosso fígado não consegue metabolizá-lo, passando a atingir todo o organismo, incluindo o coração, o sistema nervoso central, o estômago e os rins, provocando diversas reações responsáveis pela “embriaguez”.

Além da dosagem, outros fatores interferem na metabolização do álcool. Cada corpo metaboliza o álcool de uma forma. Por isso, NÃO EXISTE UMA DOSAGEM IDEAL.

As diferenças no metabolismo do álcool podem colocar algumas pessoas em maior risco para desenvolver problemas relacionados ao álcool. Independentemente da quantidade que uma pessoa consome, o corpo pode metabolizar apenas uma certa quantidade de álcool a cada hora.

Por exemplo, as mulheres metabolizam o álcool mais lentamente que os homens e, consequentemente, apresentam uma concentração de álcool no sangue mais elevada após consumo da mesma quantidade de bebida.

A distribuição de gordura no corpo de homens e mulheres, por exemplo, é diferente e isso acaba impactando a circulação do álcool. Outra diferença está na quantidade de água no organismo, pessoas do sexo femino apresentam um volume um pouco menor e, ao ingerir a mesma dose de álcool, ficam com uma concentração maior no corpo. 

Além disso, geralmente, as mulheres contam com menos enzimas no fígado para metabolizar o álcool e isso pode fazer com que os efeitos da bebida persistam por mais tempo no seu corpo. Por tudo isso, a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de outras autoridades médicas é a de que mulheres sempre bebam em menor quantidade do que os homens em uma mesma ocasião. 

Outros fatores que interferem além do sexo feminino ou masculino são: a idade, a estrutura física (altura, massa corporal), a vulnerabilidade genética, o estado de saúde o, padrão de consumo e os contextos relacionados à ingestão de bebidas alcoólicas (se bebe durante as refeições, por exemplo).

Além da alimentação, a hidratação durante e após o consumo da bebida alcoólica também é importante. Estar hidratado quando beber (um copo de água para cada um de álcool) e ingerir muito líquido também no dia seguinte ajuda a eliminar pela urina as toxinas que restam no corpo.

 Foto: IS/

Portanto, sabemos que o excesso de álcool é muito prejudicial à saúde.

Porém! Porém! Seu consumo responsável é benéfico. De acordo com o Dr. Fernando, existem pesquisas cientificas que falam sobre os benefícios do álcool para o organismo. Hoje, isso é um fato na medicina. Inclusive, já falei sobre isso aqui – Benefício da cerveja para a saúde

Outro dado interessante trazido pelo médico é que, no Brasil, 5% da população é alcoólatra. “Para uma população, 5% é muita coisa. Porém, devemos levar em consideração também outro dado: que o Brasil é o país com o menor percentual de pessoas alcoólatras. E isso é muito bom.”, finaliza.

Enfim, já sabemos o que devemos e o que não devemos fazer. Seja responsável, respeite os limites de seu corpo.

Fontes: Palestra Dr. , Dr. Fernando Soléra durante o Congresso “Cerveja é Gastronomia”
Site Universidade Federal do Ceará – Seara da Ciência
Site CISA – Centro de Informação sobre Saúde e Álcool
Site Dr. Jairo Bouer

Benefícios da Cerveja Artesanal para a saúde

A gente nem precisa de muita desculpa para tomar uma cerveja artesanal não é mesmo?

Agora, se eu te contar que elas têm alguns benefícios para a nossa saúde, elas vão descer até mais redondo, né?!

cerveja artesanal

Existem diversos estudos que comprovam as qaulidades positivas da cerveja para o nosso organismo devido à sua composição.

Já sabemos que a cerveja artesanal é feita com água, malte de cevada ou outros cereais, lúpulo e levedura. Esses, por serem ingredientes naturais, não causam prejuízo à saúde. Diferente das cervejas industrializadas, onde podemos encontrar essências, corantes, estabilizantes, conservantes, ou seja, produtos artificiais que não fazem muito bem se consumido ao longo do tempo.

ingredientes cerveja

Voltando à nossa artesanal, ela contém quantidades significativas de nutrientes. Possui potássio, cálcio, magnésio, sódio, fósforo, selênio, ácido fólico, vitaminas (sobretudo do complexo B), proteínas e fibras dos cereais.

Esses ingredientes podem trazer uma série de benefício para saúde, como possuir ação antioxidante e anti-inflamatória, oferecendo efeitos benéficos na redução do risco de algumas doenças.

Vejam outros benefícios:

anatomia-do-corpo-humano-36135143

– Inibe e previne o desenvolvimento de células cancerígenas, devido ao xanthohumol, composto químico presente no lúpulo;

– Tem a capacidade de melhorar o sistema imunológico do organismo, evitando que nos contagiemos com doenças infecciosas como o resfriado, devido ao humulone, um componente do lúpulo;

– É uma das poucas fontes dietéticas de silício, um mineral que ajuda a melhorar a densidade dos ossos, prevenindo a osteoporose.

– Reduz o risco de ataque cardíaco em 30% e aumenta o bom colesterol.

– Reduz em até 40% as chances de desenvolver pedras nos rins.

– Por ser anti-oxidadante, aliadas aos compostos polifenóis, diminue as chances de desenvolver o Mal de Alzheimer ou de sofrer Acidente Vascular Cerebral (AVC).

– Auxilia na diminuição dos níveis glicêmicos e aumenta a sensibilidade à insulina.

– Ajuda na redução do estresse oxidativo, devido ao seu potencial antioxidante.

– Combate à insônia através do lúpulo, que colabora para a ação de um neurotransmissor que promove o efeito sedativo e diminui a atividade do sistema nervoso.

– Reduz a ansiedade e o estresse.

Mas, atenção!

Esses benefícios que a cerveja artesanal traz para a saúde só são possíveis se ela for consumida com moderação. Eu acho que não dá para falar qual é a quantidade ideal para cada pessoa, para ser considerado moderado, pois depende do estilo de vida que cada uma leva.corpo-saudc3a1vel

Mas, uma coisa é certa, tudo em excesso faz mal. Com a cerveja não é diferente.

Chopp_EscuroOutra informação para quem preocupa com os quilos a mais é que, quanto mais álcool tiver, mais calorias você estará consumindo. Então, se quiser manter a dieta, escolha cervejas menos alcoólica, além das menos encorpadas. Sem esquecer que uma parte da culpa dos quilos a mais vem dos acompanhamentos (tira-gostos) servidos com a cerveja. Cuide-se!

Leia aqui sobre cervejas Low Carb

Leia aqui sobre cervejas Zero Álcool

8 doenças provocadas pelo álcool

A fórmula do sucesso?
Beba com moderação! Beba água! Mantenha uma dieta balanceada! Faça atividades físicas!

Boa sorte!