#TBT: Berliner Pilsen – Berliner Fernsehturm

berliner pilsnerO TBT de hoje é essa Berliner Pilsner (no rótulo, o urso – símbolo de Berlim) uma German Pilsner produzida por Berliner Kindl Schultheiss Brauerei. É uma cerveja típica alemã, porém, com aquele amargorzinho no final típica das cervejas com garrafa verde.

Nessa resenha, eu vim confirmar o que muitos dizem. Sim, a cerveja na Alemanha é servida em temperatura ambiente. Tudo bem que a temperatura por lá, na maioria das vezes é gelada, mas e o verão, que é bem quente?

Nós estivemos lá no meio de maio (transição do primavera para o verão), e já estava quentinho. E, mesmo as cervejas estando em geladeiras, elas permanecem em temperatura ambiente. Não é nem fresquinha, é como se tivesse tirado da prateleira do supermercado. Se você reparar bem, todas as cervejas que eu posto de lá, nenhuma está geladinha. Talvez porque, para eles, aquela temperatura ali de maio não era tão quente.

Nessa foto abaixo, a cerveja tinha acabado de ser entregue para a gente. É exatamente assim que eles bebem cerveja lá, a garrafa não tem nenhum suorzinho, aquele mesmo, que brilha nossos olhos por aqui.

Berliner Pilsner - Cervejeira uai
Berliner Pilsner com currywurst e batata frita

Quando o moço nos entregou essa cerveja, Thiago pegou na garrafa, olhou e pediu para que ele a trocasse. Ele pegou outra, também de dentro da geladeira, e entregou. É claro que ela estava exatamente do mesmo jeito da outra. E, é claro que o moço não entendeu nada.

Para se ter uma ideia da temperatura, a garrafa mais gelada que eu tomei é como se você colocasse uma longneck na geladeira comum e pegasse 15 minutos depois. Já as cervejas em barril (chope) são as que são servidas fresquinhas, um pouco mais geladinhas. Bem pouco!

Eles estão tão acostumados com essa temperatura da cerveja que pegam cerveja de engradado a venda e já saem tomando. Vi alguns guardando a cerveja na mochila, entrando no metro e, ao descer, abria a cerveja denovo e continuava bebendo. Temperatura ambiente não é o problema para eles.

Ao longo dos dias em que estávamos lá, fomos nos acostumando com essa temperatura. Mas, detalhe, todas que bebemos, inclusive as de 1 euro, eram de excelente qualidade. Relamente a temperatura era o que menos importava.

Voltando na foto

O local da foto é o Curry 61. Tem vários desses fast foods espalhados por Berlim que servem basicamente a mesma comida. Esse é um dos mais populares da cidade. A maioria, come-se em pé mesmo. Achei “interessante” foi a mesa/lixeira. Em cima você coloca a comida, come, e, logo embaixo, já é a lixeira. Já joga fora para o próximo. É como se você comesse em cima de uma lixeira de shopping..rs

A comida servida são as típicas alemãs, que foi a nossa primeira refeição ao chegar em Berlim. Não poderia ter sido outra. Comemos o tradicional Currywurst, que é basicamente salsicha com catchup (o deles é especial da casa) e curry com pimenta do reino. Um pouco picante, mesmo não gostando de nada picante, foi tranquilo de comer. E para acompanhar: Pomes Frites (batata frita). Que delícia! Großer appetit!

Ponto Turístico:

Torre de TV de Berlim

Depois de comer, fomos para um dos principais pontos turístico da cidade: a Berliner Fernsehturm ou Torre de TV de Berlim: a construção mais alta da Alemanha, localizada na Alexanderplatz, no centro da cidade. Ela é tão alta que dá para vê-la em diversos pontos de Berlim. Usávamos ela como referência para voltar para o hotel, pois nosso hotel era próximo.

 Para entrar, segurança total. Tivemos que passar por detectores de metal, abriram nossa mochila e só assim pudemos entrar. Melhor assim! 🙂

São 147 andares. O elevador vai da base ao topo em 40 segundos. Que loucura! De lá dá pra ver muito de Berlim, que é plana. Dá para avistar diversos pontos turísticos que são mapeados e apontados lá da torre. Além disso, tem o restaurante que fica em uma plataforma giratória, ele roda lentamente para que você possa avistar toda cidade.

Quando fomos, não tinha filas. Mas, dependendo da época, acho bom acessar o site antes e comprar o ingresso. São vários tipos de entrada, por isso, é bom ler com atenção o site deles.

Alguns pontos turísticos que ficam próximo à Torre:

Prefeitura de Berlim
Marienkirche – Igreja de Santa Maria
Fonte de Netuno com 10 metros de altura e 4 mulheres ao seu redor representando os rios da região.

#TBT: Hofbräuhaus – Berlim

Munchner hell

O #tbt de Berlim de hoje vai ser com essa delícia. E como não amar, tomando direto da fonte? Ela é a Hofbräu München Hell, que tomei na HB de Berlim. É uma cerveja super suave e refrescante. O que a diferencia das pilsners é que ela é mais maltada. O lúpulo aparece de maneira sutil trazendo um leve amargor, com o propósito de equilibrar o dulçor. Com a drinkability bem alta, dá pra tomar muitos desse humilde copo de 1 litro.

ABV: 5,1%

4C_NEGATIV

A Hofbräuhaus München foi fundada em 1589 pelo Duque William V da Baviera para evitar ter que comprar cerveja da baixa Saxônia, sendo de uso exclusivo do Duque. Apenas em 1828, a cervejaria foi aberta ao público. A marca registrada HB é a mais antiga marca de cerveja em Munique. Em 1879, o antigo diretor da cervejaria, Johann Nepomuk Staubwasser, registrou pela primeira vez a marca Hofbräuhaus.

O restaurante HB Berlim

Quando você entra no restaurante, sua “ficha cai” que você está na Alemanha. Lá os garçons estão vestidos com roupas típicas alemãs. Isso não é comum, viu. Lá as pessoas se vestem como em qualquer lugar,rs. Eles fazem você se sentir em uma festa do interior da Alemanha. Além de estarem a carater, os garçons são superatenciosos e alegres (não muito comum também), te dão dicas de cerveja e pratos se pedir.

Em falar em comida, comemos esse prato aí. Eu preferia nem descrever, basta olhar a foto para ver que delícia que era e bem farto pra dois. o Krosse Riesenhaxe: um típico joelho de porco com salada de repolho e molho picante, com  bolinhos de batatas. Essa batata é bem diferente, na textura e no sabor! Ô trem bom, sô!

20170517_210633

Além da Müchner Hell, bebemos a Dunkel e uma sazonal, que esqueci o nome. 😦

No dia que fomos, estava tendo músicas típicas com uma banda superanimada, que tocou até Michel Teló. “Nossa..nossa, assim você me mata”. E o mais engraçado eram eles cantando com sotaques. Alguns que estavam sentados, até arriscaram levantar e fazer uns passinhos. Bem animado!

20170517_203921

De tempos em tempos eles cantam a clássica música deles de brindar em que todos levantam e começam a cantar: “Ein Prosit, ein Prosit der gemütlichkeit!” (Um brinde, um brinde à alegria!). Aí começam a brindar batendo FORTE seus canecões nos canecões das pessoas próximas. É de arrepiar! Aí eu entendi porque esses canecões têm que ser grossos e resistentes..rs. Eles brindam com vontade, detalhe: olhando no olho!

Outra coisa que achei interessante por lá é o espaço em que eles guardam, com cadeados e numeração, algumas canecas (que eles chamam de Mass), como se fossem joias. Essas canecas são passadas de geração para geração, são heranças de famílias tradicionais da cidade, que somente quem pertence a essas famílias têm o direito de usarem. Quando eles vão lá, já têm a caneca separadinha. Ésó levar a chave, abrir e pegar a sua caneca. Bacana, né?!

20170517_204012

A decoração é totalmente alemã, claro! Com aqueles mesões de madeira compartilhados e tudo muito bonito e organizado usando as cores de Munique (azul e branco). 

Eu amei a experiência. Mais uma HB pra lista: Munique, Berlim e Belo Horizonte…


Além das cervejas, eu sempre trago um ponto turístico nos meus #TBTs. Como a HB é um ponto turístico em si, vou deixar aqui como ponto a Alexanderplatz, que fica ao lado da HB.

A praça é uma das mais conhecidas de Berlim e mega movimentada. Lá, você vê de tudo, adolescente conversando e bebendo, idosos passeando, turistas admirando a movimentação do local e artistas de rua.

Esse movimento todo se dá devido às diversas linha de metrô que passam por lá e às diversas lojas, conveniências, lanchonetes e shopping localizado ao redor.